Meio Ambiente (água, ar e solo)

Meio ambiente: Análise financeira passa a considerar indicador ambiental

Marcelo Furtado
14 de dezembro de 2002
    -(reset)+

    Desafios para o novo governo na área de saneamento básico

    De acordo com Martin Afonso Penna, diretor executivo da Abiclor – Associação Brasileira de Álcalis, Cloro e Derivados, um dos maiores desafios que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva terá de enfrentar será a questão do saneamento básico. Um número elevado de brasileiros ainda morre por problemas ligados à falta de uma estrutura adequada de saneamento. Segundo o IBGE, na última década, o Brasil retrocedeu nesse setor. De acordo com o Instituto, mais de 30 milhões de pessoas não têm acesso à água tratada e quase dois terços da população não possui serviços de esgoto e coleta de lixo.

    A conseqüência disso é a volta ou o recrudescimento de doenças como cólera, dengue, hepatite A e o aumento dos índices de mortalidade infantil nas regiões mais carentes.

    Felizmente, nem todas as notícias nessas áreas são ruins. Em setembro, durante a realização da Rio 92+10 em Johannesburgo – África do Sul, houve um consenso sobre o direito de todo cidadão ao acesso à água com qualidade e a proposta de redução pela metade da população mundial o número de pessoas sem este benefício, até 2015. Aqui no Brasil, o programa de governo do novo presidente aponta perspectivas de soluções. Entretanto, para viabilizá-las será necessário um conjunto de ações práticas que viabilizem uma parceria do poder público com os diversos agentes da sociedade que possam contribuir para alterar esse cenário, tornando as boas intenções medidas concretas e urgentes.

    Entre as medidas urgentes está o tratamento intensivo da água de abastecimento. É sabido e reconhecido que a intervenção sanitária mais eficaz no combate a doenças de veiculação hídrica é a cloração adequada da água, em todos os municípios brasileiros. Por isso, o apoio da cadeia produtiva de cloro-soda é indispensável para cumprir esse objetivo.

    A Abiclor reitera seu princípio de atuar de forma responsável e coloca-se inteiramente à disposição para integrar os esforços que possam proporcionar água de qualidade para toda a população do País, visando oferecer melhor qualidade de vida.



    Recomendamos também:








    0 Comentários


    Seja o primeiro a comentar!


    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *