Laboratório e Análises

IPT – Instituto de Pesquisas Tecnológicas moderniza laboratório

Antonio C. Santomauro
18 de novembro de 2010
    -(reset)+

    Após implementar melhorias em seu laboratório de Referências Metrológicas, o Centro Tecnológico de Metrologia em Química (CMQ), do Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT), inaugurou nova etapa da modernização estrutural, agora focada no laboratório de Análises Clínicas.

    Química e Derivados, Analítica, IPT moderniza laboratório de análises clínicas

    O instituto adquiriu cromatógrafo líquido de alta performance

    Esse laboratório recebeu um cromatógrafo líquido de alta performance acoplado a um espectrômetro de massa, capaz de separar as substâncias e identificar sua fórmula molecular. “Conjugando essa informação com aquelas provenientes de outras técnicas aqui disponíveis – como ressonância magnética nuclear, infravermelho e difração de raios X – conseguimos hoje, dentro do mesmo instituto, pegar uma amostra desconhecida e fazer sua caracterização”, salientou Cláudia Maria de Souza, diretora do CMQ. “Podemos ver quais são seus componentes, qual sua fórmula molecular, como essa molécula está estruturada, se ela é amorfa ou cristalina”, detalhou.

    A modernização do laboratório de Análises Clínicas incluiu também a substituição de equipamentos mais antigos, como cromatógrafos e analisadores de carbono e enxofre, por outros de última geração. Simultaneamente, foi reformulado o espaço do físico, agora com um andar dedicado apenas à química inorgânica, outro à orgânica, e um subsolo reservado para análises mais específicas, como difração de raios X e análise de traços e ultratraços.

    Além de propiciar a realização de gama mais vasta de ensaios e testes para um conjunto mais diversificado de clientes, tais reformulações conferem ao CMQ maior capacidade de pesquisa e desenvolvimento de novos produtos. “Já está para sair uma patente na área de ceras, desenvolvida com uma empresa dedicada à texturização de peças”, informou. “No próximo ano, pretendemos fazer análise também por difração de raios X de baixo ângulo, e aí conseguiremos atender de forma mais ampla também a nanotecnologia”, acrescentou.

    Iniciado em 2008, o projeto de modernização dos laboratórios do CMQ está recebendo do IPT verbas de aproximadamente R$ 5,5 milhões, e no próximo ano entra em uma terceira etapa, voltada ao laboratório de combustíveis e lubrificantes. Esse laboratório recebeu recentemente dois espectrômetros de infravermelho, com os quais consegue agora realizar toda a gama de análises requeridas por instituições como a Agência Nacional de Petróleo. “Nele também conseguimos agora fazer mais pesquisa e desenvolvimento, principalmente em biomassa, área hoje geradora de bastante procura”, finalizou Cláudia.



    Recomendamos também:








    0 Comentários


    Seja o primeiro a comentar!


    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *