Comércio e Distribuição de Produtos Químicos e Especialidades

Investimentos – Evonik amplia produção regional de especialidades

Marcelo Fairbanks
21 de janeiro de 2013
    -(reset)+

    A área farmacêutica também está na mira da Evonik. Em outubro, a companhia inaugurou um laboratório de aplicações farmacêuticas em Guarulhos-SP, com o objetivo de apoiar os clientes no desenvolvimento de revestimentos de medicamentos na forma sólida. “O laboratório está equipado para fazer produções em baixa escala, necessárias para ensaios posteriores de desempenho, contando com equipamentos de ponta para revestimentos funcionais”, comentou Porto.

    Os investimentos na região exigirão a contratação de pessoal em todos os níveis, em quantidade estimada entre 100 e 200 profissionais. “Estamos avaliando a possibilidade de mudarmos a sede regional para outro local, mais amplo”, disse o executivo.

    Expectativas ambiciosas – O faturamento mundial da Evonik em 2011 chegou a € 14,5 bilhões, com Ebitda de € 2,8 bilhões, gerando caixa suficiente para apoiar o desenvolvimento de negócios. “Vamos crescer dentro de nossa plataforma de negócios atuais, com estrutura alinhada com a Alemanha”, afirmou Porto. O faturamento regional no mesmo ano ficou perto de € 650 milhões, ou seja, 4,5% do global. Porto tem por meta elevar esse volume de vendas para € 1 bilhão em 2016.

    Além dos investimentos anunciados, a companhia estuda a possibilidade de lançar insumos químicos com uso na produção de petróleo e gás natural. “A companhia criou em 2011 um grupo de estudos para novos desenvolvimentos, o NBD, que busca oportunidades para os produtos atuais ou inovações e está avaliando essa atividade”, comentou.

    A companhia atua em óleo/gás com o fornecimento de poliamida 12, que substitui o aço em tubulações para condução de hidrocarbonetos. Com ela são feitos tubos leves e flexíveis, com alta resistência, que podem ser transportados e ajustados em curvas com facilidade. Um teste piloto para distribuição de gás com PA12 foi realizado com sucesso em Campo Grande-MS. A fábrica da Alemanha que produz essa poliamida sofreu um incêndio neste ano, mas já voltou a operar normalmente, segundo Porto.

    Um dos pontos fortes da companhia, a produção de metil-metacrilato, base para a produção de chapas acrílicas e vários outros itens, iniciou a construção da nova fábrica de Mobile (EUA), a primeira a usar a nova tecnologia Aveneer, de alto rendimento (95%). Embora use os mesmos ingredientes do tradicional processo ACH (amônia, metano, acetona e metanol), exceto o ácido sulfúrico, o Aveneer consegue reduzir o consumo de energia e as emissões de carbono. A fábrica de Mobile terá capacidade para produzir 120 mil t/ano a partir de 2015. A Evonik produz o metil-metacrilato em Worms e Wesseling (Alemanha), Fortier (EUA) e Xangai (China).



    Recomendamos também:








    0 Comentários


    Seja o primeiro a comentar!


    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *