Ingredientes alimentícios esperam público maior para revelar tendências atuais – FiSA

Química e Derivados, Ingredientes alimentícios esperam público maior para revelar tendências atuais - FiSAQuímica e Derivados, Ingredientes alimentícios esperam público maior para revelar tendências atuais - FiSA

Apesar das severas crises política e econômica que sacodem o país, a Food Ingredients deste ano apresenta um forte crescimento. “O número de expositores foi superado em 20%”, comemora Márcia Gonçalves, gerente da Fi South America. Ela projeta que o público também deverá ser 20% maior em relação às últimas edições, chegando a 12 mil compradores/visitantes.

Química e Derivados, Márcia: feira impulsiona os negócios dos ingredientes
Márcia: feira impulsiona os negócios dos ingredientes

Com um volume maior de expositores e visitantes “a expectativa é que o volume de negócios supere o registrado na edição anterior”, acrescenta. “Estamos na 22ª Food Ingredients South America, e isso já diz muito a respeito do retorno positivo que recebemos dos expositores e visitantes ano após ano. Se a situação econômica ainda não é a ideal, os números registrados até agora, de marcas expositoras, e os novos formatos que estamos trabalhando, demonstram que existe muita vontade, compartilhada pelos players do mercado, de inovar e crescer. Além disso, historicamente, a indústria de alimentos e bebidas é a última a entrar em uma crise e a primeira a sair. Então, há muito fôlego”, destaca Márcia.

Mais de 700 marcas expositoras, 9.052 profissionais altamente qualificados do país e do exterior (45 países), e uma série de debates (75 palestras) construirão a história deste ano da tradicional feira considerada “líder mundial em ingredientes alimentícios”. O encontro, marcado para os dias 21 a 23 de agosto, no Transamérica Expo Center, na capital paulista, reúne desenvolvedores e fornecedores de ingredientes e produtos, nutricionistas, executivos, startups, pesquisadores e representantes de entidades e centros de pesquisas, do Brasil e do exterior.

A relevância da FiSA pode ser medida pelo público que atrai. “Os executivos, profissionais de P&D e de compras comparecem em peso. Em 2017, 85% dos visitantes declararam ter participação na decisão de compra de suas empresas. Do público total, 31% tinham cargos de diretoria ou eram proprietários das companhias; e 23% eram de P&D. A FiSA é uma força propulsora para o mercado de ingredientes, suplementos, pesquisa e desenvolvimento de produtos”, comenta Márcia.

Estão confirmadas as presenças de expositores de mais de 20 países como Áustria, Bielorrússia, China, Emirados Árabes, Espanha, Estados Unidos, França, Grécia, Guatemala, Hong Kong, Índia, Itália, Malásia, México, Noruega, Peru, Sérvia, Singapura e Suíça. “Em 2017, tivemos 45 países visitantes que vieram fazer negócios com mais de 700 marcas”, observa.

Indagada se a busca por novas tecnologias e soluções é a principal motivação para os participantes, ela responde: “Com certeza, essa é uma das principais motivações. Afinal, durante três dias a feira oferece atrações que formaram uma tradição, como o Seminar Sessions, apresentações de 30 minutos (gratuitas) com lançamentos e novas tecnologias. Destaque para empresas como Aztevia, BRF Ingredients, Bruker, CP Kelco, DuPont, Ecocert, Labonathus, Rousselot, R&S Blumos, Mintel e Vogler”.

Além disso, os visitantes podem participar das visitas guiadas do Innovation Tour, no qual se mostra como as marcas estão respondendo às novas demandas da indústria; do espaço New Product Zone, patrocinado pela Mintel, que destaca as principais inovações do setor; e do Summit de Embalagens, uma grade de conferências sobre soluções em design e tendências.

A feira traz também um Laboratório de Inovação, na qual profissionais da área podem formular soluções inéditas de produtos, e o Supplier Finder, um mapa interativo que permite a busca pelo nome do ingrediente ou empresa, e mostra o caminho até os fornecedores. “Tudo para impulsionar ainda mais a nossa indústria e garantir bons negócios e atualização profissional”, relata Márcia.

Uma das novidades é o Startup Innovation Challenge, concurso que recompensa projetos inovadores. “É uma competição aberta às startups com até cinco anos de atividade, que podem concorrer nas categorias Melhor Inovação em Ingredientes Alimentícios e Melhor Inovação em Produtos Alimentícios. Serão escolhidos cinco finalistas para cada categoria, selecionados por um júri técnico, composto por profissionais de P&D, fabricantes de ingredientes e produtos alimentícios, bancos, incubadoras e outras startups, ainda em julho”, informa Márcia.

Como prêmios, serão oferecidos estandes de 9 m², com montagem inclusa, na próxima edição da FiSA, ou ações de marketing para o banco de dados do evento; consultoria em marketing nutricional prestada pela Equilibrium; solução integrada para determinação de shelflife do produto ganhador e incubação da startup durante o período de um ano, disponibilizada pelo Senai; e créditos com a Euromonitor, que podem ser investidos em assinatura de passaport ou compra de relatórios. A UBM Brazil organiza a competição em parceria com a Equilibrium Consultoria; patrocínio da Euromonitor e do Senai; e apoio da Startupi, OpenStartup, FoodTech e Gramkow.

A FiSA é ainda palco da principal premiação nacional de inovação. O Fi Innovation Awards terá cinco categorias este ano, com três vencedores em cada uma, que serão conhecidos logo no coquetel do primeiro dia: Ingrediente Mais Inovador, Ingrediente Funcional Mais Inovador, Produto Mais Inovador, Produto Funcional Mais Inovador e Suplemento Alimentar Mais Inovador.

Química e Derivados, Ingredientes alimentícios esperam público maior para revelar tendências atuais - FiSA

Haverá um pavilhão dedicado a ingredientes naturais e outro a orgânicos. O visitante também poderá encontrar todo o segmento de Food e Health ingredients nos estandes, soluções ideais para a formulação de alimentos e bebidas funcionais, nutracêuticos, suplementos dietéticos, entre outros produtos voltados à saúde e ao bem-estar.

Conferências – O público terá também a oportunidade de apreciar palestras de institutos, entidades e empresas de renome nacional e internacional, que tratarão do consumo de alimentos na atualidade, alergênicos, tendências regulatórias, clean label, entre outros assuntos.

A cerimônia de abertura será coordenada pelo Instituto de Tecnologia de Alimentos (Ital), com a participação do diretor geral, Luis Madi. O pesquisador Airton Vialta apresentará o tema “Ingredientes, alimentos funcionais processados e saúde”, que tem como base o relatório do 4º Workshop Agropolo Campinas-Brasil. Madi também coordenará o debate entre representantes de entidades e empresas de ingredientes no país.

O primeiro dia terá o workshop da Associação Brasileira da Indústria e Comércio de Ingredientes e Aditivos para Alimentos (Abiam) sobre a nova legislação de suplementos, com presenças confirmadas da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), além de insights sobre o novo comportamento do consumidor.

No dia 22, estarão em pauta questões regulatórias e de segurança de alimentos e estratégias de marketing na era digital. O dia 23 será dedicado ao futuro da nutrição, summit ministrado nos mesmos moldes da Food Ingredients Europe. Especialistas vão abordar as mais recentes descobertas que devem mudar a cara da indústria para além dos próximos cinco anos. A pesquisadora Aline Lemos, do Centro de Tecnologia de Embalagem (Cetea) do Ital, ministrará a palestra “Nanomateriais para embalagens destinadas ao contato direto com alimentos”.

Exposição – Na qualidade de membro fundador da FiSA, a Atias Química tem participado de todas as edições do evento, traçando, paralelamente, uma trajetória de crescimento de seu portfólio de produtos e quadro de funcionários, que aumentou 35% ao longo do período. Com uma filial em Itajaí-SC, a maior parceria nos negócios é realizada em volumes com a Basf, Ciemil, Carbonor, Cargill e Solvay.

A Atias é distribuidora dos corantes artificiais alimentícios da Neelikon, o único com uma pureza acima do especificado pelas normas. A linha de produtos se expandiu com o bicarbonato de amônio e cloreto de amônio grau alimento da Basf, além do cloreto de cálcio em escamas da Solvay e o propionato de cálcio da Perstorp.

A Univar apresenta tecnologias sensoriais para leites vegetais, whey protein aplicado ao mercado de snacks, modulação de sabor para bebidas e snacks, snacks com frutas e vegetais de baixo sódio e zero adição de açúcar. Também divulga tecnologias para melhoria da cremosidade de chocolates e coberturas e aromas para construção de sabores de cerveja. Os visitantes podem degustar todos os produtos no estande.

Com mais de 76 anos de mercado, a Química Anastácio difunde diversos produtos na linha de nutrição humana e esportiva, como adoçantes, ácidos orgânicos, conservantes, aminoácidos, ingredientes, energéticos, vitaminas, gomas, matérias-primas para aromas, proteínas (vegetais e animais) e agentes de corpo e textura.

Entre os destaques de produtos, a empresa relaciona água de coco (em pó, obtido diretamente da liofilização da água de coco natural), extrato de stévia (adoçantes para aplicações nas indústrias de bebidas, aromas, adoçantes de mesa, sobremesas, panificação e laticínios) e óleo de alho natural para aromatização de azeites, biscoitos, pratos prontos e preparados, panificação, hambúrgueres, cárneos, atomatados e conservas.

Química e Derivados, Proteína vegetal de girassol apresenta concentração elevada
Proteína vegetal de girassol apresenta concentração elevada

A empresa russa BioTechnologies está trazendo ao mercado brasileiro a SunProtein, proteína vegetal de girassol, que será comercializado pela Trader Negócios, representante exclusiva para toda a América do Sul. Formulada mediante uma tecnologia exclusiva fornecida pela Alfa Laval, da Dinamarca, essa proteína é 100% natural, pura e concentrada a mais de 80% ‒ por isso, fornece alto valor nutricional.

SunProtein apresenta em sua formulação uma composição completa e balanceada de aminoácidos, incluindo os BCAA – valina, leucina e isoleucina. Tem excelente palatabilidade e digestibilidade (95%) e baixo potencial alergênico por não conter glúten, lactose, soja e aditivos alimentares, além de ser um ingrediente GMO free (não geneticamente modificado).

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.