Meio Ambiente (água, ar e solo)

Atuação Responsável – Indústria adota a política da boa vizinhança

Marcelo Furtado
15 de maio de 2000
    -(reset)+

    Distribuição também quer ser responsável

    O comércio de produtos químicos no Brasil está elaborando seu próprio programa de compromisso com a proteção ambiental e com a saúde dos funcionários e populações circunvizinhas. Sob a denominação de “Distribuição Responsável”, o programa está sendo desenvolvido pela Associação Brasileira do Comércio de Produtos Químicos (Associquim) e pelo Sindicato do Comércio Atacadista de Produtos Químicos para Indústria e Lavoura do Estado de São Paulo (Sincoquim) de modo a observar as peculiaridades da atividade. “Estamos estudando o assunto para ver os tópicos que são mais relevantes e como eles devem ser abordados”, disse Rubens Medrano, diretor-presidente das entidades setoriais. “O Responsible Care e o congênere da NACD (associação norte-americana de distribuição química) são o ponto de partida para o programa, mas é preciso adaptá-los à realidade nacional”.

    Uma vez definidas as prioridades e os princípios do programa, a idéia é discutir a iniciativa com entidades que mantenham programas semelhantes, a começar pela própria Abiquim, organizadora do Atuação Responsável, a fim de assimilar experiências e alcançar sinergias. Depois de eventuais adaptações o programa estará com o desenho definitivo, para atingir a meta de aprimorar a qualidade e a segurança das operações envolvidas na distribuição de produtos químicos. “Tanto as distribuídas como os clientes terão a ganhar com isso, principalmente pela maior transferência de tecnologia”, disse Medrano.

    Definidas as prioridades e as normas a observar, os distribuidores nacionais serão avaliados por empresas especializadas em auditoria ambiental. As entidades de classe apenas homologarão os laudos apresentados.

    Nos EUA, a National Association of Chemical Distributors (NACD) mantém desde 1991 o Responsible Distribution Process, ao qual aderiram todos os membros da associação. O processo é composto por vários princípios de orientação e nove códigos de práticas gerenciais, de modo a promover o melhoramento contínuo do desempenho ambiental, de segurança e de saúde ocupacional do setor. Desde 1999 foram instituídas verificações de sistemas de gerenciamento, fiscalizações na sede dos distribuidores-membros para confirmar o respeito ao programa. As auditorias são conduzidas por empresas especializadas, contratadas pela NACD.

    Conheça cada um dos códigos

    Química e Derivados, Atuação responsável: conheça cada um dos códigos

    Atuação responsável: conheça cada um dos códigos

    Segurança de Processos (Sepro): Composto por 24 práticas, destina-se a prevenir a ocorrência de acidentes industriais nas instalações das empresas, por meio do uso de ferramentas de análises de risco e de conseqüência, associadas à aplicação de medidas para eliminar as fontes de risco identificadas.

    Saúde e Segurança do Trabalhador (SST): Composto por 19 práticas, garante condições seguras de trabalho e um ambiente adequado nas áreas industriais, de modo que a empresa seja um local isento de riscos à saúde e proporcione segurança dos trabalhadores, sejam eles contratados ou terceiros.

    Transporte e Distribuição (Tradi): Com 16 práticas, destina-se a reduzir o risco das atividades de transporte, por meio da melhoria de segurança das etapas de distribuição de produtos químicos. Além disso, estabelece requisitos para melhorar a resposta emergencial a eventuais acidentes.

    Proteção ambiental (PA): Com 15 práticas, visa reduzir a geração de efluentes, emissões e resíduos das operações industriais, pela otimização da gestão dos processos de produção.

    Diálogo com a Comunidade, Preparação e Atendimento a Emergências (DCPAE): Com 20 práticas, facilita o diálogo entre as empresas e os públicos interno (colaboradores) e externo (comunidade, mídia, clientes, etc). Visa dar transparência às questões de interesse comum, bem como preparar as empresas e as comunidades vizinhas às instalações industriais a atuarem em eventuais emergências.

    Gerenciamento de Produto (Gepro): Com 12 práticas, visa fazer que as questões ligadas à saúde, segurança e meio ambiente sejam consideradas em todas as fases do desenvolvimento, produção, manuseio, utilização e descarte de produtos químicos, para garantir sua utilização da forma mais segura possível.



    Recomendamos também:








    0 Comentários


    Seja o primeiro a comentar!


    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *