Impermeabilizantes: Poliureia entra em campo para proteger o Maracanã

O primeiro gol marcado na reforma do estádio do Maracanã, palco da esperada final da copa do mundo deste ano, foi marcado pela Huntsman, em parceria com a Radial Química, de Guarulhos-SP.

A dupla conseguiu driblar os materiais concorrentes e isolar o ceticismo do consórcio responsável pelas obras para emplacar o revestimento de poliureia na impermeabilização das áreas expostas do estádio, bem como nos espaços de circulação de pessoas.

Para convencer o consórcio construtor, a Radial Química, há 40 anos produzindo soluções técnicas em tintas, produtos de impermeabilização e de isolamento térmico, precisou montar um conjunto de testes de campo.

E com ele, atestar a elevada resistência da poliureia, fornecida pela Huntsman, e sua superioridade em relação a outros revestimentos, sob condições adversas.

Ao final, a Radial Química conquistou o contrato mediante o qual formulou e aplicou poliureia pura sobre 60 mil m² de arquibancadas, em 11 mil m² de calçadas e em mais de 100 mil m² no entorno do estádio, banheiros, bares e vestiários.

Química e Derivados, Arquibancadas e áreas de grande circulação foram tratadas por spray
Arquibancadas e áreas de grande circulação foram tratadas por spray

Isso tudo foi realizado em apenas 102 dias, de janeiro a abril de 2013, vencendo as elevadas temperaturas e umidade do período.

Para tanto, a Radial Química empregou seis conjuntos hidráulicos “Gama” para aplicar o material em spray, com os aditivos e agentes de cura necessários.

Leia Mais:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios