Tintas e Revestimentos

Ice 2004 – International Coatings Expo

Maria Silvia Martins de Souza
5 de dezembro de 2004
    -(reset)+

    Química e Derivados: Ice: 34. ©QDOutro produto promovido, o Rocima 63, é voltado à proteção de superfícies de cimento onde algas e fungos em geral proliferam. “Este produto é uma mistura de três ativos; temos estudos que demonstram sua performance superior aos produtos concorrentes”, afirmou Yudy.

    Química e Derivados: Ice: tabelas. ©QDSua concorrente ISP – International Speciality Products também lançou novos preservantes. O gerente técnico do departamento de biocidas Neal A. Machtiger lembrou que os microorganismos se desenvolvem facilmente em ambientes úmidos. Se presentes, podem comprometer a funcionalidade, a performance e o aspecto estético das tintas. Há biocidas que protegem a tinta na lata, isto é, durante o transporte e a armazenagem, e outros que atuam no filme seco, ou seja, na tinta depois de aplicada.

    “Quando se seleciona um biocida é importante levar em conta a sua eficiência, compatibilidade com o restante da formulação, estabilidade, cuidados no manuseio e ecotoxicidade”, disse Machtiger. “Nossa ampla linha de produtos permite aos nossos clientes escolher aquele que mais se adequa às suas necessidades”, afirmou.

    Na feira foram lançados novos produtos da linha Fungitrol, todos à base de IPBC (3-iodo-2-propenil-butilcarbamato) formulado com outros insumos. Os produtos são isentos de odor e VOCs e podem ser usados em sistemas aquosos ou base solvente.

    Química e Derivados: Ice: Yudi -  isotiazolina dá proteção por longo prazo. ©QD Foto - Maria Sílva Martins de Souza

    Yudi – isotiazolina dá proteção por longo prazo.

    “O Fungitrol 720, aplicável em tintas imobiliárias tanto interiores como exteriores, tem uma ação antifúngica de amplo espectro e diferentemente do que ocorre com alguns produtos concorrentes, tem resistência maior ao amarelecimento”, disse Machtiger. “É, além disso, menos perigoso de manusear”, complementou.

    Presente também na feira, a Air Products lançou a emulsão polimérica Airflex EF811, uma dispersão aquosa do copolímero de acetato de vinila com etileno, otimizada em relação às já existentes. A representante de vendas técnicas Kristina M. Donatelli esclareceu que o produto foi desenvolvido para competir com os copolímeros vinil acrílicos usuais, propiciando melhor aplicação a custo equivalente. É indicada para tintas imobiliárias, interiores e exteriores.

    Kristina, informou que os copolímeros vinil acrílicos podem ser atacados por álcalis, o que resulta em muitas falhas quando são aplicados sobre alvenaria recém-construída.

    “Nessa aplicação, nosso produto exibe desempenho bem melhor do que a dos copolímeros vinil acrílicos, tendo excelente resistência à hidrólise alcalina”, disse Kristina, reportando-se a testes feitos com as tintas formuladas com copolímeros concorrentes que apresentaram manchas e falhas três meses após aplicadas, o que não ocorreu com a tinta aditivada com Airflex EF 811, que não mostrou problemas decorrido um ano. A resistência superior aos produtos alcalinos deriva do uso de etileno como co-monômero, que não hidrolisa como ocorre com os monômeros acrílicos. Finalizando, Kristina informou que o produto da Air Products pode também ser usado em mistura com a maioria das emulsões acrílicas comerciais, tornando-as mais resistentes.

    Química e Derivados: Ice: Kristina -  copolímero com etileno bate vinil acrílico. ©QD Foto - Maria Sílva Martins de Souza

    Kristina – copolímero com etileno bate vinil acrílico.

    Serviços – Vários estandes da feira foram ocupados por fornecedores de serviços, caso da Chemidex Inc., de Kansas, EUA. A empresa mantém uma biblioteca on line para formuladores de tintas, onde é possível buscar dados sobre fornecedores, informações técnicas sobre matérias-primas e solicitar amostras. “São mais de 50 mil boletins técnicos, fichas de segurança e formulações sugestivas, e o processo para requisições de amostras leva dez segundos”, disse o vice-presidente de vendas Jerry M. Williams.

    O banco de dados é mantido por 108 fornecedores de matérias-primas, que além de informações sobre esses produtos, podem dar apoio técnico aos consulentes por troca de mensagens dentro do site. O banco pode ser acessado em 12 línguas e contém também artigos técnicos. Na feira, a Chemidex buscou assinantes entre as empresas produtoras de insumos. Para os usuários o acesso é totalmente gratuito, desde que feito o cadastramento.

    “Além da exposição dos produtos e interação com os fornecedores de tintas, o banco tem inúmeros recursos, como fornecer aos seus mantenedores um relatório com dados de usuários que acessaram os boletins técnicos de seus produtos”, disse Williams. No estande da Chemidex havia vários computadores para demonstrações práticas. O site está originalmente voltado para o mercado americano e europeu mas, segundo Williams, usuários latino-americanos também podem cadastrar-se. O endereço é www.chemidex.com.

    Serviços de pesquisa e desenvolvimento, e de aperfeiçoamento de profissionais foram oferecidos no estande do Coatings Research Institute, da Eastern Michigan University. O Professor Dr. John Texter e o diretor da Escola de Engenharia Tecnológica, Dr. Bob Lahidjii, disseram que o instituto, voltado à pesquisa aplicada a revestimentos e tintas, tem cooperado com várias indústrias na busca de produtos com baixo VOC. Tintas de cura UV, análise mecânica de superfície de revestimentos ou tintas com baixo teor de sólidos e isentas de solventes são outros exemplos dessa cooperação.

    As pesquisas na última década geraram mais de cem publicações e apresentações em simpósios, além de três patentes.



    Recomendamos também:








    0 Comentários


    Seja o primeiro a comentar!


    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *