HBA: Feira quase dobra de área e acolhe 16 mil pessoas

Em função dessa filosofia, a ISP também apostou na promoção de linha de matérias-primas de origem natural. Com a argentina Dhacam como parceira, a empresa lançou extratos glicólicos e oleosos divididos em ervas, frutas, raízes, flores, especiarias, sementes e cereais. “Essa linha vem complementar nosso portfólio. Os extratos vegetais são sinérgicos aos nossos produtos tradicionais”, Liliana relatou. Na opinião dela, essa tendência de mercado, daqui a alguns anos, não será mais um diferencial e sim obrigação.

Nichos de mercado – Entre as novidades apresentadas na HBA, a Makeni Chemicals, companhia voltada para importação, exportação e distribuição de produtos químicos e petroquímicos no Brasil, destacou os produtos da Basf. No caso, o ativo Retistar e os Luviquat Excellence e Luviquat Style. O primeiro trata-se de um retinol estabilizado, enquanto os outros dois são compostos quaternários destinados a formulações para cabelos da linha afro. “O momento é apropriado para investirmos em grupos étnicos”, comentou o gerente de negócios da Makeni Alexandre Duque Sousa. As principais características do Retistar são a estabilidade superior contra degradação, a flexibilidade no desenvolvimento de produtos e a eliminação do custo do processo sob atmosfera inerte. O produto destina-se sobretudo às indústrias de pequeno e médio porte por não requerer equipamentos sofisticados, como o faz o retinol convencional. O Luviquat Excellence, por sua vez, pode ser incorporado a condicionadores “rinse off” e “leave in”, mousses, relaxantes e produtos de tratamentos mais aprofundados, e o Style é indicado para formulações destinadas a cabelos crespos, com permanente ou danificados. Recomenda-se o uso em mousses e loções que necessitam do calor do secador para serem ativados. “O produto mantém o penteado por mais tempo”, explicou Sousa.

Química e Derivados: HBA: Rocha - resultados rápidos com redução nos custos.
Rocha – resultados rápidos com redução nos custos.

A fornecedora de matérias-primas Cosmotec Especialidades Cosméticas expôs uma ampla gama de produtos de seus fornecedores internacionais. O Phytosphingosine ETP, produzido pela Degussa/Goldschmidt, foi apresentado como uma das novidades. Trata-se de um ingrediente ativo de combate aos efeitos da radiação UV, ao processo de envelhecimento e aos sintomas inflamatórios da pele. Desenvolvido a partir de processo de biofermentação, essa préformulação aquosa de fitosfingosine, de acordo com o fabricante, pode ser incorporada na fase aquosa mesmo a frio. Da norte-americana GE Silicones, a Cosmotec mostrou o Velvesil 125, o mais recente componente modificador de sensorial da empresa. Obtido a partir de uma molécula precursora bifuncional, um macromonômero, capaz de se autopolimerizar formando uma rede polimérica tridimensional, o produto é composto de uma porção volátil e de outra sólida. Em produtos skin care, sun care e color cosmetics, o Velvesil promete conferir estabilidade à formulação e diminuir a sinerese (processo responsável pela separação de fases em emulsões), além de disfarçar rugas, por meio do preenchimento de imperfeições da pele por partículas sólidas de silicone, e de oferecer controle do brilho e resistência à água, atributo que proporciona maior durabilidade às formulações e ativos.

De outra empresa parceira, a também norte-americana Kobo Products, o estande da Cosmotec contou com a sílica Shell e o Dry Water. O primeiro produto possui propriedades capazes de absorver a oleosidade da pele, em até sete vezes o seu peso, enquanto o Dry Water é um ativo veiculado na forma de pó que se torna líquido em contato com a pele. Como representante da japonesa Nikkol, a empresa mostrou a linha de derivados de vitamina C, VC-IP e VC-PMG, estáveis frente a formulações tradicionais da cosmética.

Também apostou nos novos pigmentos perolados da Sun Chemical, o Sun Pearl e o Sun Shine, este último é produzido a partir de mica sintética, o que lhe confere um efeito branco e brilhante nas formulações de maquiagens premium.

Para a vice-presidente de marketing Marly Yajima Fagliari, no quesito inovações tecnológicas, os formuladores de cosméticos ainda dependem sobretudo das indústrias internacionais, como pôde ser comprovado nos lançamentos apresentados pela empresa na feira. “O que pode ser feito no Brasil são as matérias-primas mais básicas, como os extratos e os surfactantes”, afirmou.

A Rhodia Home, Personal Care & Industrial Ingredients (HPCII) lançou o Mirasun. Produto destinado à fabricação de filtros solares, é resultado da tecnologia de nanopartículas, desenvolvida nos laboratórios e centros de pesquisas da empresa. A vantagem refere-se à possibilidade de permitir ao formulador envasar o filtro solar em embalagens com atomizador (pump sprays).

Dessa forma, o produto pode ser aspergido sobre a pele, eliminando o incômodo estético proporcionado pelos cremes tradicionais. “O consumidor que utiliza o filtro solar produzido com o Mirasun não fica com aquele aspecto de ‘fantasma’ de quando se passa na pele o filtro solar tradicional em creme”, explicou o gerente de negócios Personal Care da Rhodia HPCII América Latina Francisco Arteaga. O Mirasun, de acordo com o fabricante, também tem como características a facilidade de incorporação à emulsão e a superior proteção aos raios UV, entre outras. Outras especialidades em Personal Care se destacaram no estande da Rhodia, como os produtos Mirasil, destinados a formulações de silicones, e a linha Jaguar, desenvolvida a partir de polímeros naturais derivados de goma Guar, para a produção, sobretudo, de xampu e condicionadores.

Página anterior 1 2 3 4 5 6Próxima página
Mostrar mais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios