Cosméticos, Perfumaria e Higiene Pessoal

HBA: Cosmética evolui para atender cliente

Quimica e Derivados
5 de julho de 2001
    -(reset)+

    Química e Derivados: HBA: Alfredo considera a fitocosmética a grande tendência do setor.

    Alfredo considera a fitocosmética a grande tendência do setor.

    Setor cosmético faturou R$ 7,5 BI

    Paralelamente à HBA South America, ocorrreu a 15ª edição do Congresso Brasileiro de Cosmetologia. Realizado pela ABC (As­sociação de Cosmetologia do Brasil), o evento, segundo dados da VNU, atraiu em torno de 500 participantes dos setores técnico e científico, um número representativo diante do quadro de profissionais da área que atuam no Brasil.

    Um dos assuntos abordados no congresso diz respeito aos números que movimentam o mercado da beleza. Confiante no crescimento do setor de cosméticos, João Carlos Basílio da Silva, presidente da Associação Brasileira da Indústria de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos/Sindicato da Indústria de Perfu­maria e Artigos de Toucador no Estado de São Paulo (ABIHPEC/Sipatesp), apontou ten­dências e falou a respeito dos principais segmentos da área.

    No ano passado, o setor faturou R$ 7,5 bilhões (líquidos). Número que comprova, segundo Basílio, o caráter rentável desse mercado, desmistificando a idéia de que se trata de uma indústria supérflua para a economia brasileira. “Criamos mais oportu­nidades de emprego do que muitos outros setores, tidos como mais importantes do que o da beleza”, comentou. Em 2000, cerca de 2 milhões de profissionais estiveram ligados à área da beleza, entre empregos diretos, lojas de franquia, venda direta e profissionais liberais, como esteticistas e cabeleireiros.

    A expectativa é de que o setor cresça ainda mais nos próximos anos. Basilio contou que existem segmentos muito lucrativos que tendem a favorecer o desenvolvimento desse mercado. Um deles é o de produtos étnicos. “A indústria de modo geral vem buscando novos nichos de mercado, por isso, faço esse alerta quanto aos produtos étnicos. Aqui no Brasil temos todas as raças. Ou seja, dispomos de um diferencial perante os outros países, já que temos um estímulo natural à criatividade do industrial que busca encontrar soluções para satisfazer esse público. O país pode se tornar um pólo de exportação de produtos étnicos”, entusiasmou-se Basilio.

    Outro segmento a ser explorado é o de produtos responsáveis pelo retardamento do envelhecimento. Diante do aumento da expectativa de vida do brasileiro e da crescente preocupação da população em manter-se com aparência jovem e saudável, Basilio reforçou que a indústria pode ganhar mais mercado se estiver preparada para atender essa demanda.

    Aos interessados por tendências do ramo, mais uma dica: Basilio demonstrou um significativo aumento dos índices de consumo por parte dos homens. Nos últimos dez anos, pode-se dizer que cresceu em 63% o número de consumidores do sexo masculino preocu­pados em cuidar da pele. No segmento coloração capilar, outro dado animador. Ainda na última década, praticamente dobrou o número de homens que consomem esse tipo de produto.

    Também foi tema de palestra a aplicação cosmética dos lipídios exóticos. Joãosinho A. Di. Domenico, diretor técnico e industrial da Ionquímica, falou a respeito dos principais lipídios funcionais em Dermocosmética. Segundo Domenico, trata-se de alternativas naturais que se destacam perante outros produtos por atuarem como emolientes, emulsificantes, lubrificantes, solubilizantes e agentes de espalhabilidade. Entre os produtos exóticos, Domenico evidenciou o Illipê, fruto rico em ácidos graxos, e o Lipex Fitoesterol Canola, que age como antioxidante natural e possui ação hidratante e restauradora.



    Recomendamos também:








    0 Comentários


    Seja o primeiro a comentar!


    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *