Cosméticos, Perfumaria e Higiene Pessoal

Futuro do setor demanda inovações sustentáveis – FCE

Hamilton Almeida
20 de maio de 2019
    -(reset)+

    Empresas – A Química Anastácio dará destaque especial para a sua linha de silicones destinada ao segmento de personal care. Novos ativos, derivados de algas, recém-lançados na Europa, estão entre as novidades tecnológicas. A expectativa da empresa é “aproveitar o aquecimento da economia e do mercado para alavancar negócios com os clientes ativos, além de desenvolver novos clientes”.

    Além disso, a Química Anastácio vai expor o seu portfólio completo de matérias-primas, que incluem ácidos e álcoois graxos, ativos naturais, cânfora, ceras, conservantes, ésteres, filtros solares, lanolina, glicerinas, mentol, óleos minerais, propilenoglicol, salicilato de metila, sorbitol, silicones, tensoativos, vaselinas, entre outros.

    Química e Derivados, Futuro do setor demanda inovações sustentáveis e experiências sensoriais - FCE Cosmetique/FCE Pharma

    A Vollmens Fragrances escolheu a FCE Cosmetique para celebrar os seus 15 anos de existência, apresentando fragrâncias desenvolvidas com exclusividade. Há muito a comemorar porque a empresa tem apresentado “significativo crescimento, batendo recordes de faturamento”. O ano passado, por exemplo, fechou com um notável crescimento de 56%.

    A empresa importa 90% das matérias-primas utilizadas na produção e criação de suas fragrâncias. “A proposta é fazer com que a perfumaria nacional se desenvolva e o consumidor brasileiro absorva as inovações de marcas que investem cada vez mais em imagem, comunicação e, principalmente, qualidade de produtos. O objetivo é criar perfumes que alcancem sucesso de público junto com nossos clientes, como o Gigi, da Avatim”, afirma Patricia Shimojo, gerente de marketing.

    A Nanovetores, uma empresa brasileira conhecida pelo desenvolvimento de ativos nano e microencapsulados, vai exibir uma linha facial composta por biopolímeros naturais: a Active IN Pearls. Trata-se de diferentes ativos encapsulados por meio da nanotecnologia envoltos no formato de pérolas – que são feitas de materiais naturais e livres de parabenos, petrolato, silicones, óleo mineral e sulfatos, solventes orgânicos, glúten e lactose.

    Para Ricardo Henrique Ramos, CEO da Nanovetores, os produtos são um tratamento de beleza natural de alto desempenho. “As cápsulas são baseadas em materiais biocompatíveis e biodegradáveis, totalmente seguros para as pessoas e a natureza”, observa. “Além disso, com a nanotecnologia – que está presente em todos os nossos produtos – maximizamos o desempenho dos ingredientes ativos, o que garante proteção, maior permeabilidade e controle sobre a liberação do composto”, complementa o CEO.

    O estande da Dinaco “traz uma visão holística da beleza”. O visitante vai ficar surpreso ao se deparar com um spa de bem-estar, com visual minimalista de inspiração oriental, onde poderá ser feita uma avaliação da sua pele.

    Considerando que uma das características do atual consumidor é a demanda por transparência – os ingredientes ganharam importância –, a empresa convidou o Instituto de Pesquisa Clínica (IPClin) que, com os aparelhos Dermoscan e Corneometer, poderá diagnosticar os níveis de hidratação, textura e uniformização da pele. Após essa análise, o visitante poderá aplicar protótipos com as especialidades químicas Dinaco e refazer a avaliação, que irá demonstrar a eficácia dos ingredientes. A Dinaco conta com um amplo portfólio de especialidades químicas.

    A AB Plast, empresa brasileira que produz frascos, potes, tampas e batoques, é uma das pioneiras a utilizar PET PRC (um material reciclado) na fabricação de embalagens, pensando na redução do impacto ambiental. “Cada vez mais as empresas estão focadas em sustentabilidade, e, nós estamos alinhados a essa tendência e à demanda do mercado”, comenta Sidnei José Pereira, diretor comercial.

    Além do PET PRC, a empresa também trabalha com produtos biodegradáveis e polietileno verde – o chamado “PE green”. Pereira com a palavra: “No primeiro, colocamos um aditivo para a fabricação do frasco que o torna biodegradável. No segundo, a diferença está na matéria-prima usada: o PE geralmente é feito a partir do petróleo, mas o PE green provém da cana-de-açúcar”. A AB Plast já participou da exposição anteriormente e fornece embalagens para O Boticário, L’Oréal, Natura, Unilever, entre outras companhias.

    A nova linha SafePack, do Grupo Polar, será lançada na FCE Pharma. Desenvolvida para manter e garantir estabilidade sob temperaturas extremas por mais tempo, os kits térmicos atendem às novas exigências regulatórias. A logística de temperatura controlada (cold chain) mudou totalmente com a emissão, em 2017, do Guia para a Qualificação de Transporte de Produtos Biológicos, e a eminente publicação da nova RDC de Boas Práticas de Armazenagem, Distribuição e Transporte, pela Anvisa.

    O diretor de operações, Ricardo Miranda, sinaliza que o mercado de cold chain está em constante mudança e foi importantíssimo analisar o mercado: “Desenvolvemos o combo ideal, aliando diferentes materiais de isolamento, como o das placas Polar VIP (painéis de isolamento a vácuo) com os PCMs para lançar a família SafePack em três opções diferentes. Os produtos obedecem às leis nacionais de prevenção à poluição, atoxicidade, respeitando o conceito de química verde, mantendo a faixa de temperatura, seja de 2ºC a 8ºC, entre 15ºC a 25ºC, ou negativa.



    Recomendamos também:








    0 Comentários


    Seja o primeiro a comentar!


    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *