Cosméticos, Perfumaria e Higiene Pessoal

Futuro do setor demanda inovações sustentáveis – FCE

Hamilton Almeida
20 de maio de 2019
    -(reset)+

    “Vivemos uma era de minimalismo”, pontifica Juliana Bondança, da Factor-Kline. “Por isso, as pessoas buscam ingredientes mais funcionais e a eliminação daquele rótulo repleto de fórmulas que não se sabe a origem. As pessoas querem saber o que estão consumindo”. Entre os produtos multifuncionais que estão surgindo, há forte tendência para os de práticas esportivas. “Para isso, formulações com formadores de filtros mais eficazes, que ofereçam a fixação necessária, estão sendo mais procuradas”, observa.

    Outras duas tendências que deverão crescer ainda mais são o experimentalismo e a customização. “Os consumidores não possuem mais um apego pelas marcas ou produtos e, sim, pela experiência que ele irá proporcionar, por isso testam diversas formas de consumo, até encontrar a que mais se adapte ao seu estilo de vida e gostos pessoais”, narra a analista.

    Exemplo dessas tendências: as linhas Botanéa e Source Essentielle, da L’Oréal Professionnel. A primeira é uma coloração profissional 100% vegetal e vegana, à base de três plantas: Henna, Indigo e Cassia, da Índia. O resultado são três pós vegetais que, quando combinados e misturados com água, permitem a criação de uma ampla variedade de tons personalizados, desde o louro claro ao castanho escuro.

    A segunda linha é uma junção de tecnologias e ingredientes naturais para tratamento dos cabelos. Na fórmula, glicerina e inclusões botânicas de calêndula, lavanda, jasmim ou folhas de acácia. A criação foi pensada no modelo de consumo sustentável, permitindo uma redução de 30% de plástico em cada embalagem. A Botanéa possui embalagem recarregável em salão. “Esse apelo natural e sustentável é uma resposta à demanda que a indústria vem recebendo e que pode ser um ponto de partida para outras criações”, conclui Juliana.

    Crise – Os mercados cosmético e farmacêutico não passaram incólumes pelas crises política e econômica do país. De acordo com Carvalho, as indústrias sentiram bastante, apesar de resilientes e de apresentarem bons números comparados a outros setores. Assim, 2018 não alcançou a expectativa de faturamento e as empresas precisaram se reinventar e se adequar à realidade.

    “Nosso intuito em 2019 foi manter o mesmo número de 2018, sem grandes planos de expansão, porque precisamos respeitar e acompanhar os passos destas indústrias. Estamos trazendo inovações e novas atrações para atrair maior público e promover mais negócios. Isso é algo que está sendo construído e, com certeza, dará muito resultado. Segurar estes números em um momento de atenção do mercado, é um ponto muito positivo”, opina Carvalho.

    Ele prossegue: “Embora o Brasil tenha passado por mudanças para se ajustar à crise, o segmento ainda é promissor. Aliás, as feiras são uma ferramenta de marketing eficaz e produtiva para as empresas que passam pela crise. Levantamento da Ubrafe (União Brasileira dos Promotores de Feiras) indica que, só em 2019, serão, ao menos, 14 feiras de negócios a mais do que o ano anterior. Isso porque o Brasil possui um dos principais e mais diversificados mercados de feiras de negócios mundiais. Só em São Paulo, ela movimenta mais de R$ 15 bilhões por ano”.

    A 24ª FCE Pharma é apontada como o único evento na América Latina que reúne em um só lugar os maiores fornecedores de produtos e serviços voltados para toda a cadeia produtiva do setor farmacêutico e os maiores compradores, que estão em busca de inovações e lançamentos do mercado. É a principal plataforma de marketing e vendas com um papel importante para a evolução do setor. Há lançamento de tendências, produtos e serviços, como também exposição de cases e compartilhamento de conteúdo e experiências nas conferências e palestras.

    Na contramão de diversos setores da economia brasileira, o mercado farmacêutico vem despontando na lista de maior faturamento nacional. Um estudo da Sindusfarma sobre o perfil da indústria, em 2018, deixa claro que esse crescimento está relacionado ao aumento da expectativa de vida, maior preocupação com a saúde, avanços tecnológicos, crescimento no mercado de genéricos, gestão competitiva das indústrias, lançamentos, avanço da biotecnologia, fusões e aquisições, entre outros fatores.

    A integração desses fatores resultou em um cenário favorável para o crescimento. Dados da Interfarma (Associação da Indústria Farmacêutica de Pesquisa) mostram que, no Brasil, o mercado farmacêutico teve um período de auge nos últimos dez anos, com crescimento médio acima de dois dígitos. O mercado brasileiro atingiu R$ 62 bilhões em 2015, o 7º maior do mundo. Mesmo com perspectivas estáveis para a economia nacional, dados das principais consultorias internacionais ainda estimam crescimento de 7,9% ao ano entre 2015 e 2020 para o segmento de varejo.

    A FCE Cosmetique é considerada a principal plataforma de negócios do setor cosmético na América Latina e a única feira que abrange todas as etapas do desenvolvimento e produção, apresentando desde a matéria-prima, embalagens, maquinários até acessórios, fragrâncias e serviços. Há outro grande diferencial: o evento ocorre poucas semanas após os maiores lançamentos de produtos na Europa, ou seja, é um espelho para o mercado brasileiro. E proporciona conteúdo qualificado com palestras de profissionais de renome, inclusive internacional.



    Recomendamos também:








    0 Comentários


    Seja o primeiro a comentar!


    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *