Futuro do setor demanda inovações sustentáveis – FCE

Química e Derivados, Futuro do setor demanda inovações sustentáveis e experiências sensoriais - FCE Cosmetique/FCE Pharma

Química e Derivados, Futuro do setor demanda inovações sustentáveis e experiências sensoriais - FCE Cosmetique/FCE Pharma

Futuro do setor demanda inovações sustentáveis e experiências sensoriais

Produtos com conceitos inovadores e experiências sensoriais devem moldar a imagem da 24ª Exposição Internacional de Tecnologia para a Indústria Cosmética – FCE Cosmetique, cujo lema é “Descubra a beleza do futuro”. A mostra acontece de 21 a 23 de maio, no pavilhão de exposições do São Paulo Expo, das 11h às 19h.

Química e Derivados, Carvalho: consumidores estão mais atentos ao meio ambiente
Carvalho: consumidores estão mais atentos ao meio ambiente

“Há uma forte tendência de que as empresas formuladoras de cosméticos optem cada vez mais por soluções naturais, produtos ecologicamente corretos, mais suaves e que atendam o apelo de preservação do meio ambiente, principalmente porque os consumidores estão mais conscientes e cobram esse posicionamento das empresas”, declara Diego Nicolau de Carvalho, diretor de portfólio da NürnbergMesse Brasil.

Já a Exposição Internacional de Tecnologia para a Indústria Farmacêutica – FCE Pharma deve evidenciar, segundo Carvalho, a busca por métodos de logística mais eficientes e a transformação digital da indústria, em que todos os componentes são integrados e inteligentes. As duas feiras somam mais de 550 marcas expositoras, ocupando uma área de 40 mil m2. “Esperamos receber cerca de 16 mil pessoas, um público qualificado, ávido por novidades e lançamentos”, acrescenta.

O executivo diz que “muitas novidades” estão reservadas para os visitantes. As duas feiras terão rotas setorizadas (matéria-prima e fragrâncias; embalagens e envase) e novos eventos paralelos. Na FCE Cosmetique, o R&D Academy, um laboratório do futuro todo automatizado, irá mostrar como a indústria 4.0 está sendo aplicada. “É uma chance de ver em primeira mão as inovações do setor”, salienta, entusiasmado.

Também inédito, o Innovation Center proporcionará, além da exposição de novos insumos, a oportunidade de os visitantes de P&D e marketing assistirem palestras e participarem, de forma exclusiva, de experiências sensoriais e demonstrações. “A prática e a teoria vão proporcionar ao visitante um know-how único e diferenciado”, destaca. Uma rodada de negócios reunirá fabricantes de cosméticos com empresas fornecedoras de ingredientes. A FCE Pharma terá novamente a sua Rodada de Negócios, organizada pela Abiquifi, em parceria com a Apex-Brasil.

Carvalho ressalta que esta FCE Cosmetique conta com “uma parceria inédita da Beauty Fair – Feira Internacional de Beleza Profissional, o mais influente evento de beleza das Américas, como embaixadora oficial do evento”. Com o objetivo de estreitar o relacionamento com a indústria de cosméticos – e gerar novos negócios –, a Beauty Fair será responsável pela curadoria dos compradores da indústria para as rodadas de negócios com os expositores de ingredientes. A união das empresas irá qualificar ainda mais o público visitante da feira, fomentar negócios, além de divulgar novos ingredientes e soluções em primeira mão.

“Acreditamos que esta parceria seja uma conquista não só para nossos negócios, mas para todo o setor, que será beneficiado com o conhecimento, a experiência e a influência de cada uma em sua área de atuação. A força desta união está nas relações construídas ao longo dos anos. É isso o que nos move”, diz Cesar Tsukuda, diretor da Beauty Fair, que terá lugar de 7 a 10 de setembro, no Expo Center Norte, também na capital paulista.

Além da curadoria, a Beauty Fair convidará os seus principais expositores para participar e contribuir com o Insight Experience, área de conteúdo exclusiva para membros do Hospitality Class. Apoiará ainda o projeto R&D Academy.

As duas feiras apresentarão sete atrações tecnológicas, experiências sensoriais e demonstrações de tecnologias de ponta:

Talk Science: Pela primeira vez, a FCE Cosmetique apresenta o Talk Science, um encontro moderno e inovador que trará palestras dinâmicas e diferentes de tudo o que já foi apresentado. Quem estiver na feira terá acesso aos conteúdos de Life & Science que foram trabalhados ao longo do ano e publicados no blog de conteúdo, unindo o digital e físico.

Innovation Center: De forma pioneira, o evento mostrará o desafio da ciência cosmética: fornecedores apresentarão o mais alto conhecimento científico e de inovação de seus ingredientes, que influenciarão os grandes sucessos de vendas e encantarão os consumidores.

R&D Academy: Um laboratório totalmente tecnológico mostrará como funcionará a comunicação autônoma e os fluxos de processos automatizados no futuro. Diante das mudanças na relação do profissional de P&D com a tecnologia e as reinvenções de novas soluções, o público poderá conferir como será a estrutura e as tecnologias de ponta que chegarão em breve.

Logitech Science: Um novo evento paralelo. Localizada em um pavilhão estratégico, no interior dos dois grandes eventos de farmácia e cosmética, a Logitech Science se destina à cadeia logística. Empresas como Accenture, Braspress, DHL, Grupo Polar, IBM e Roland Berger vão compartilhar diversas soluções de como será a logística do futuro, ou a tão comentada logística 4.0. Objetivo é otimizar custos e desburocratizar processos.

Congresso Latino-Americano e Ibérico de Químicos Cosméticos: O Colamiqc, é o maior congresso do segmento cosmético da América Latina e terá, entre os palestrantes, o economista Ricardo Amorim. No dia 22, a partir das 10h55, ele desenvolverá o tema “Perspectivas para a economia brasileira, latino-americana e de Portugal em 2019 e nos próximos anos”.

Edith Filaire, diretora científica do Grupo Greentech, vai falar no dia 21, às 10h40, sobre “Harmonização da microbiota cutânea para a manutenção da saúde da pele”. Patrice Bellon, que foi headmanager de P&D na Shiseido e fashion brands, estará no evento no dia 21, às 10h50. Juliana Bondança Pereira, consultora da Factor-Kline, abordará “Como a tendência aos naturais tem impactado o mercado brasileiro de ingredientes”, no dia 22, às 10h20.

Giorgio Dell`Acqua, presidente do Comitê de Assuntos Científicos da Sociedade de Químicos Cosméticos de Nova York, tratará do assunto “Ingredientes alimentares transformados em ativos para cosméticos”, no dia 22, às 9h45.

Simpósio de inovação ANF: O tradicional Simpósio da Academia Nacional de Farmácia está marcado para o primeiro dia e irá concentrar grandes nomes da academia, unindo indústria e pesquisa. É uma oportunidade para profissionais e pesquisadores que atuam em diferentes ramos, nos quais se aplicam as ciências farmacêuticas, tais como: pesquisas farmacológicas e ensaios clínicos, muito especialmente para aqueles que estão em programas de pós-graduação ou pós-doutorado. No último ano, a instituição se ocupou de temas de grande interesse, como ciências farmacêuticas, tecnologia na indústria, regulamentação sanitária e sistemas de qualidade.

Insight Experience: Esta é a parte de conteúdo do programa de relacionamento Hospitality Class, criado pela NürnbergMesse Brasil, a partir de uma necessidade do mercado. Por conta da agenda agitada dos executivos de grandes empresas, com presença cada vez mais escassa em eventos, a empresa organizadora elaborou “um projeto atrativo e completo em serviços, conteúdos e experiências para reunir os grandes players da indústria em um só lugar”.

Produtos verdes – Produtos e iniciativas que levam em sua produção matéria-prima natural estão ganhando cada vez mais espaço nas prateleiras e no mercado cosmético. Os produtos verdes têm sido um dos nichos de maior crescimento nos últimos anos dentro dos ramos de higiene e beleza.

A consultoria americana Grand View Research prevê que o segmento de beleza verde, dentro do mercado de cosmético, deverá atingir um faturamento de US$ 25 bilhões até 2025, em todo o mundo. A ascensão é impulsionada pela geração millenium. Mais do que carregar o emblema natural, os consumidores buscam produtos verdes também com funções estéticas efetivas e, principalmente, de saúde.

“Hoje, quando a gente fala de cabelos, falamos em um contexto mais global, não só de tratar o cabelo em si, mas muito de tratar o conceito de saúde. O couro cabeludo e o cabelo precisam estar bem tratados”, explica Elaine Scarelli, líder regional da indústria de home e personal care na América Latina da DuPont.

Ao citar a matéria-prima natural Genencare OSMS, a especialista afiança que o ingrediente contribui com o fortalecimento dos fios, redução de frizz e até mesmo o tratamento do couro cabeludo. Esta matéria-prima natural foi desenvolvida no Brasil e testada em variados tipos de cabelos, tanto em fios virgens como em fios duplamente danificados. Este é um dos temas que serão debatidos no encontro do Talk science.

“A indústria global está lançando muitos cosméticos voltados à saúde e ao bem-estar mental dos consumidores. Um exemplo são os probióticos. É uma tendência muito forte lá fora, principalmente na Ásia, na Coréia do Sul, no Japão e na China, que estão usando lactobacilos. No Brasil, algumas marcas já estão lançando ingredientes probióticos em seus cosméticos”, conta Juliana Martins, especialista de beleza da Mintel. Outras tendências globais: os chamados “active beautys” (maquiagens com ativos antitranspiração) e os cosméticos antiestresse.

“Vivemos uma era de minimalismo”, pontifica Juliana Bondança, da Factor-Kline. “Por isso, as pessoas buscam ingredientes mais funcionais e a eliminação daquele rótulo repleto de fórmulas que não se sabe a origem. As pessoas querem saber o que estão consumindo”. Entre os produtos multifuncionais que estão surgindo, há forte tendência para os de práticas esportivas. “Para isso, formulações com formadores de filtros mais eficazes, que ofereçam a fixação necessária, estão sendo mais procuradas”, observa.

Outras duas tendências que deverão crescer ainda mais são o experimentalismo e a customização. “Os consumidores não possuem mais um apego pelas marcas ou produtos e, sim, pela experiência que ele irá proporcionar, por isso testam diversas formas de consumo, até encontrar a que mais se adapte ao seu estilo de vida e gostos pessoais”, narra a analista.

Exemplo dessas tendências: as linhas Botanéa e Source Essentielle, da L’Oréal Professionnel. A primeira é uma coloração profissional 100% vegetal e vegana, à base de três plantas: Henna, Indigo e Cassia, da Índia. O resultado são três pós vegetais que, quando combinados e misturados com água, permitem a criação de uma ampla variedade de tons personalizados, desde o louro claro ao castanho escuro.

A segunda linha é uma junção de tecnologias e ingredientes naturais para tratamento dos cabelos. Na fórmula, glicerina e inclusões botânicas de calêndula, lavanda, jasmim ou folhas de acácia. A criação foi pensada no modelo de consumo sustentável, permitindo uma redução de 30% de plástico em cada embalagem. A Botanéa possui embalagem recarregável em salão. “Esse apelo natural e sustentável é uma resposta à demanda que a indústria vem recebendo e que pode ser um ponto de partida para outras criações”, conclui Juliana.

Crise – Os mercados cosmético e farmacêutico não passaram incólumes pelas crises política e econômica do país. De acordo com Carvalho, as indústrias sentiram bastante, apesar de resilientes e de apresentarem bons números comparados a outros setores. Assim, 2018 não alcançou a expectativa de faturamento e as empresas precisaram se reinventar e se adequar à realidade.

“Nosso intuito em 2019 foi manter o mesmo número de 2018, sem grandes planos de expansão, porque precisamos respeitar e acompanhar os passos destas indústrias. Estamos trazendo inovações e novas atrações para atrair maior público e promover mais negócios. Isso é algo que está sendo construído e, com certeza, dará muito resultado. Segurar estes números em um momento de atenção do mercado, é um ponto muito positivo”, opina Carvalho.

Ele prossegue: “Embora o Brasil tenha passado por mudanças para se ajustar à crise, o segmento ainda é promissor. Aliás, as feiras são uma ferramenta de marketing eficaz e produtiva para as empresas que passam pela crise. Levantamento da Ubrafe (União Brasileira dos Promotores de Feiras) indica que, só em 2019, serão, ao menos, 14 feiras de negócios a mais do que o ano anterior. Isso porque o Brasil possui um dos principais e mais diversificados mercados de feiras de negócios mundiais. Só em São Paulo, ela movimenta mais de R$ 15 bilhões por ano”.

A 24ª FCE Pharma é apontada como o único evento na América Latina que reúne em um só lugar os maiores fornecedores de produtos e serviços voltados para toda a cadeia produtiva do setor farmacêutico e os maiores compradores, que estão em busca de inovações e lançamentos do mercado. É a principal plataforma de marketing e vendas com um papel importante para a evolução do setor. Há lançamento de tendências, produtos e serviços, como também exposição de cases e compartilhamento de conteúdo e experiências nas conferências e palestras.

Na contramão de diversos setores da economia brasileira, o mercado farmacêutico vem despontando na lista de maior faturamento nacional. Um estudo da Sindusfarma sobre o perfil da indústria, em 2018, deixa claro que esse crescimento está relacionado ao aumento da expectativa de vida, maior preocupação com a saúde, avanços tecnológicos, crescimento no mercado de genéricos, gestão competitiva das indústrias, lançamentos, avanço da biotecnologia, fusões e aquisições, entre outros fatores.

A integração desses fatores resultou em um cenário favorável para o crescimento. Dados da Interfarma (Associação da Indústria Farmacêutica de Pesquisa) mostram que, no Brasil, o mercado farmacêutico teve um período de auge nos últimos dez anos, com crescimento médio acima de dois dígitos. O mercado brasileiro atingiu R$ 62 bilhões em 2015, o 7º maior do mundo. Mesmo com perspectivas estáveis para a economia nacional, dados das principais consultorias internacionais ainda estimam crescimento de 7,9% ao ano entre 2015 e 2020 para o segmento de varejo.

A FCE Cosmetique é considerada a principal plataforma de negócios do setor cosmético na América Latina e a única feira que abrange todas as etapas do desenvolvimento e produção, apresentando desde a matéria-prima, embalagens, maquinários até acessórios, fragrâncias e serviços. Há outro grande diferencial: o evento ocorre poucas semanas após os maiores lançamentos de produtos na Europa, ou seja, é um espelho para o mercado brasileiro. E proporciona conteúdo qualificado com palestras de profissionais de renome, inclusive internacional.

Empresas – A Química Anastácio dará destaque especial para a sua linha de silicones destinada ao segmento de personal care. Novos ativos, derivados de algas, recém-lançados na Europa, estão entre as novidades tecnológicas. A expectativa da empresa é “aproveitar o aquecimento da economia e do mercado para alavancar negócios com os clientes ativos, além de desenvolver novos clientes”.

Além disso, a Química Anastácio vai expor o seu portfólio completo de matérias-primas, que incluem ácidos e álcoois graxos, ativos naturais, cânfora, ceras, conservantes, ésteres, filtros solares, lanolina, glicerinas, mentol, óleos minerais, propilenoglicol, salicilato de metila, sorbitol, silicones, tensoativos, vaselinas, entre outros.

Química e Derivados, Futuro do setor demanda inovações sustentáveis e experiências sensoriais - FCE Cosmetique/FCE Pharma

A Vollmens Fragrances escolheu a FCE Cosmetique para celebrar os seus 15 anos de existência, apresentando fragrâncias desenvolvidas com exclusividade. Há muito a comemorar porque a empresa tem apresentado “significativo crescimento, batendo recordes de faturamento”. O ano passado, por exemplo, fechou com um notável crescimento de 56%.

A empresa importa 90% das matérias-primas utilizadas na produção e criação de suas fragrâncias. “A proposta é fazer com que a perfumaria nacional se desenvolva e o consumidor brasileiro absorva as inovações de marcas que investem cada vez mais em imagem, comunicação e, principalmente, qualidade de produtos. O objetivo é criar perfumes que alcancem sucesso de público junto com nossos clientes, como o Gigi, da Avatim”, afirma Patricia Shimojo, gerente de marketing.

A Nanovetores, uma empresa brasileira conhecida pelo desenvolvimento de ativos nano e microencapsulados, vai exibir uma linha facial composta por biopolímeros naturais: a Active IN Pearls. Trata-se de diferentes ativos encapsulados por meio da nanotecnologia envoltos no formato de pérolas – que são feitas de materiais naturais e livres de parabenos, petrolato, silicones, óleo mineral e sulfatos, solventes orgânicos, glúten e lactose.

Para Ricardo Henrique Ramos, CEO da Nanovetores, os produtos são um tratamento de beleza natural de alto desempenho. “As cápsulas são baseadas em materiais biocompatíveis e biodegradáveis, totalmente seguros para as pessoas e a natureza”, observa. “Além disso, com a nanotecnologia – que está presente em todos os nossos produtos – maximizamos o desempenho dos ingredientes ativos, o que garante proteção, maior permeabilidade e controle sobre a liberação do composto”, complementa o CEO.

O estande da Dinaco “traz uma visão holística da beleza”. O visitante vai ficar surpreso ao se deparar com um spa de bem-estar, com visual minimalista de inspiração oriental, onde poderá ser feita uma avaliação da sua pele.

Considerando que uma das características do atual consumidor é a demanda por transparência – os ingredientes ganharam importância –, a empresa convidou o Instituto de Pesquisa Clínica (IPClin) que, com os aparelhos Dermoscan e Corneometer, poderá diagnosticar os níveis de hidratação, textura e uniformização da pele. Após essa análise, o visitante poderá aplicar protótipos com as especialidades químicas Dinaco e refazer a avaliação, que irá demonstrar a eficácia dos ingredientes. A Dinaco conta com um amplo portfólio de especialidades químicas.

A AB Plast, empresa brasileira que produz frascos, potes, tampas e batoques, é uma das pioneiras a utilizar PET PRC (um material reciclado) na fabricação de embalagens, pensando na redução do impacto ambiental. “Cada vez mais as empresas estão focadas em sustentabilidade, e, nós estamos alinhados a essa tendência e à demanda do mercado”, comenta Sidnei José Pereira, diretor comercial.

Além do PET PRC, a empresa também trabalha com produtos biodegradáveis e polietileno verde – o chamado “PE green”. Pereira com a palavra: “No primeiro, colocamos um aditivo para a fabricação do frasco que o torna biodegradável. No segundo, a diferença está na matéria-prima usada: o PE geralmente é feito a partir do petróleo, mas o PE green provém da cana-de-açúcar”. A AB Plast já participou da exposição anteriormente e fornece embalagens para O Boticário, L’Oréal, Natura, Unilever, entre outras companhias.

A nova linha SafePack, do Grupo Polar, será lançada na FCE Pharma. Desenvolvida para manter e garantir estabilidade sob temperaturas extremas por mais tempo, os kits térmicos atendem às novas exigências regulatórias. A logística de temperatura controlada (cold chain) mudou totalmente com a emissão, em 2017, do Guia para a Qualificação de Transporte de Produtos Biológicos, e a eminente publicação da nova RDC de Boas Práticas de Armazenagem, Distribuição e Transporte, pela Anvisa.

O diretor de operações, Ricardo Miranda, sinaliza que o mercado de cold chain está em constante mudança e foi importantíssimo analisar o mercado: “Desenvolvemos o combo ideal, aliando diferentes materiais de isolamento, como o das placas Polar VIP (painéis de isolamento a vácuo) com os PCMs para lançar a família SafePack em três opções diferentes. Os produtos obedecem às leis nacionais de prevenção à poluição, atoxicidade, respeitando o conceito de química verde, mantendo a faixa de temperatura, seja de 2ºC a 8ºC, entre 15ºC a 25ºC, ou negativa.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.