Fispal Tecnologia – Feira de tecnologia para alimentos aproveita alta no consumo para mostrar soluções integradas

Novas motorizações são termômetro– As indústrias de alimentos e bebidas, bem como boa parte de seus fornecedores de máquinas e equipamentos, também investem cada vez mais em sistemas mais modernos de acionamento e controles de alta precisão, levando em conta a forte demanda por servomotores e motorredutores observada nos últimos anos no mercado brasileiro. Só na venda de servomotores, os percentuais de crescimento anual se aproximam dos 30%. Boa parte das aplicações são voltadas para máquinas e equipamentos para o setor de alimentos, como dosadores de ingredientes, empacotadoras e embaladoras.

Química e Derivados, Fispal Tecnologia - Feira de tecnologia para alimentos aproveita alta no consumo para mostrar soluções integradas
Motorredutor de pequeno porte: acima de 12 Nm

“As indústrias estão substituindo cada vez mais motores convencionais assíncronos, elétricos e trifásicos, por servomotores e, em muitos casos, as máquinas chegam a comportar até dez servomotores, visando a alcançar altíssimas velocidades de produção”, exemplificou o consultor Maurício Gama, da Sew-Eurodrive Brasil, fabricante de motorredutores, conversores de freqüência, sistemas descentralizados, servoacionamentos e redutores industriais.

Entre os destaques apresentados pelo tradicional fabricante de motorredutores, conversores de freqüência, sistemas descentralizados, servoacionamentos e redutores industriais, o público conferiu modelos de motorredutores de pequeno porte, com torques acima de 12 Nm (Newton por metro), em várias configurações de eixos, maciços ou ocos, flanges e formas construtivas, adaptáveis às mais diversas aplicações existentes no setor de alimentos, como esteiras para o transporte de embalagens e caixas.

Na linha de redutores industriais, as opções em oito tamanhos, com eixos paralelos ou octogonais, oferecem cobertura à ampla variedade de aplicações, podendo atender às necessidades de grandes misturadores e máquinas de grande porte.

Um esterilizador de embalagens metálicas por indução magnética foi outra novidade apresentada na 23ª Fispal. Desenvolvido pela Montex, de Araras- SP, empresa especializada em montagens industriais e sistemas para limpeza de embalagens, o equipamento utiliza fonte de energia limpa e chega a alcançar 130oC, promovendo a esterilização completa, tanto da superfície quanto do fundo e da tampa das embalagens.

Segundo recomenda o fabricante, a esterilização deve ser feita antes do envase, garantindo o acondicionamento dos produtos em recipientes esterilizados, processo que garante maior segurança e higiene às linhas de embalagem do setor de alimentos.

Cartonados food asseptic em molho de tomate – A Sig Combibloc, divisão do grupo Sig, dedicada ao setor de embalagens assépticas cartonadas, sistemas de envase e fechamento para alimentos e bebidas, divulgou na 23ª Fispal as tecnologias “food asseptic” e “food retortable”, e também oficializou protocolo assinado com o governo do Paraná, com o objetivo de instalar sua primeira fábrica no município de Campo Largo e projetar maior expansão por toda a América do Sul.

O processo “food asseptic”, um dos pilares tecnológicos da divisão, começa a se tornar conhecido do consumidor brasileiro com os molhos de tomate aos pedaços da marca Saúde. Fabricados pela Siol Alimentos, tradicional no segmento de óleos, maioneses e gorduras, as embalagens cartonadas assépticas de200 gramasaté500 gramas, produzidas com essa tecnologia, servirão para envasar uma linha completa de derivados de tomate.

“A Siol Alimentos é a primeira empresa brasileira a adquirir a tecnologia de envase asséptico em cartonados food asseptic, direcionada ao envase de alimentos com alta viscosidade, com fibras e aos pedaços”, informou Luciana de Paula Galvão, gerente de marketing para a América do Sul da Sig Combibloc do Brasil.

Nos sistemas assépticos oferecidos pela divisão, o processo de esterilização dos alimentos nas embalagens cartonadas ocorre à temperatura de138°C, durante período de quatro segundos, dando seqüência ao resfriamento sob temperaturas abaixo de20°C. “Com o sistema food asseptic, exclusivo da Sig Combibloc, conseguimos esterilizar e preservar todas as características e os nutrientes originais dos alimentos, tanto em vitaminas, como em sabor e textura, enquanto que, por meio do processo de esterilização em autoclave, seja em lata, vidro ou cartonado, há perda das propriedades porque, após a exposição ao pico de temperatura de138°C, o alimento ainda é submetido durante 30 até 40 minutos a temperaturas acima de 40oC”, comparou Luciana.

Outra tecnologia divulgada pela Sig Combibloc foi a “food retortable”, opção de envase em cartonados para legumes, frutas e massas prontas para consumo. Também conhecida como Combisafe, é recomendada para alimentos aos pedaços, só que maiores do que15 mme cujas quantidades envasadas em relação às totais superam os 50%.

Novas laminações – As mais recentes tecnologias para laminação de embalagens flexíveis também foram destaque na 23ª Fispal Tecnologia. O grupo italiano Chimica Organica Industriale Milanese, por intermédio da unidade brasileira Coim Brasil, apresentou várias novidades nesse setor, como adesivos alto sólidos, selantes da linha Cold Seal/Release, adesivos em base água, o verniz Universal e o adesivo Retortable.

Página anterior 1 2 3 4Próxima página

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios