Meio Ambiente (água, ar e solo)

FENASAN – Tecnologias e serviços disponíveis para vencer déficit do saneamento

Marcelo Furtado
15 de julho de 2012
    -(reset)+

    GRATT

    A fabricante de equipamentos da área ambiental de Capinzal-SC presta esclarecimentos sobre suas linhas de de­cantadoras e tridecanters, empregados para separar sólido do líquido em ETES em duas ou três fases. Também demons­tra seus flotadores de inox, aço carbono e fibra de vidro, sistemas físico e físico-químico utilizados em tratamentos de efluente de indústrias, que se utilizam de injetor de microbolhas para garantir mistura homogênea. Outra linha de ne­gócios engloba a fabricação de unidades móveis compactas e completas para o tratamento de efluente, montadas sobre plataformas tipo roll-on, para garantir a mobilidade rápida das estações até o cliente. A empresa ainda fabrica pe­neiras rotativas e estáticas, aeradores e misturadores su­perficiais, prensa contínua e abrandadores, entre outros equipamentos.

    GRUNDFOS

    Fabricante de bombas, a Grundfos apresenta o rotor S-tube, sistema dotado de um novo conceito hidráulico. Recém lançado no mercado mundial, o produto equipa as bombas submersíveis das linhas S e SL. Fechado e de canal único, o rotor S-tube é indicado para o bombeamento de efluentes e resí­duos. De acordo com a empresa, graças aos novos designs de rotor e da voluta, a operação é feita suavemente desde a sucção ao recalque, sem obstruções de sólidos em suspensão. Ainda conforme a Grundfos, o rotor apresenta também um dos melhores índices de eficiência hidráulica do mercado, alcançando até 84%, sem comprometer a passagem livre de sólidos com diâmetros de até 160 mm. Isso significa maior capacidade de bombeamento sem bloqueios.

    Química e Derivados, Estações compactas de plástico reforçado com fibra de vidro, FENASAN

    Estações compactas de plástico reforçado com fibra de vidro

    HEMFIBRA

    Divulga suas estações compactas de plástico reforçado com fibra de vidro para ETAs e ETEs. Segundo a empresa, já são mais de 600 as estações implantadas em todo o Brasil, que tratariam mais de 1,8 bilhão de litros de águas e efluentes, beneficiando aproximadamen­te 10 milhões de pessoas. Com conceito modular, as estações são implantadas de forma per­sonalizada e após diagnóstico para adequar o sistema a qual­quer tipo de água e efluentes domésticos e industriais. As estações com capacidade de 5 l/s são facilmente transferíveis em um único bloco, já as maio­res, na faixa de 10 a 40 l/s, são projetadas de modo que facilitem seu transporte até o cliente.

    HIDROSUL

    Mostra um novo conceito de es­tações compactas de tratamento de efluentes, de aço inoxidável, sistema bolt linked, no qual os tanques são construídos com chapas de aço inox AISI 304 unidas por parafusos sob pressão e material vedante, sobre uma base de concreto. Montados no local, a ETE é entregue pronta para operar. O sistema de tratamento é biológico por lodos ativados e o módulo básico é composto de tratamento primário por peneira, seguido de reator aeróbio e decantador secundário, opcionalmente pode-se agregar módulos de desinfecção e filtração (reúso), e tratamento para o lodo. Todos os tanques executados com aço inox AISI 304, assim como os aeradores e bombas.

    Química e Derivados, Estação para tratar efluentes montada pela Hidrosul, FENASAN

    Estação para tratar efluentes montada pela Hidrosul

    HUBER

    A alemã Huber mostra a prensa de parafuso Rotamat RoS 3Q, usada para desidratação de logo municipal e industrial. O lodo líquido é bombeado para o reator de floculação da prensa de parafuso. Uma estação de preparação de polímeros prepara uma solução de polímero em pó ou líquido. O polímero diluído é introduzido por um anel dosa­dor na linha do lodo de alimentação e é misturado, de modo intenso, ao lodo em um misturador estático.

    Flocos resistentes de lodo se formam no reator de floculação, de onde o lodo floculado transborda para até três pren­sas de parafusos. A prensa de parafuso é composta de uma cesta de tela inclinada com 0,01” (0,25 mm) de espaçamento. Um parafuso girando lentamente com velocidade variável transporta o lodo gentilmente para cima, por meio da cesta inclinada. A ideia é ofertar uma solução automatizada e de baixo consumo de energia.

    Química e Derivados, Bomba de lóbulos, FENASAN

    Bomba de lóbulos

    HUGO VOGELSANG

    A fabricante alemã de máquinas mostra uma bomba de lóbulos, de des­locamento positivo, usada para lodos e permeado de MBR. De acordo com a empresa, as bombas ocupam metade do espaço em comparação com a tecnolo­gia convencional. Além disso, podem operar em vazio sem danos às partes emborrachadas e a manutenção pode ser realizada in situ, sem a desmontagem das tubulações, o desacoplamento do motor e a retirada da bomba do local. Com alta capacidade de sucção, podem operar com sólidos particulados, com vazões de 3 m³/h a 1.200 m³/h, dependendo da aplicação. Outro destaque da empresa é o macerador de lâminas rotativas Rota Cut, usado para picotar fibras, cabelos e materiais grosseiros que estão presen­tes no lodo. Ao picotar os materiais, os sistemas preservam os equipamentos a jusante, eliminando o acúmulo de fibras nos equipamentos rotativos e reduzindo as paradas para limpeza. Com sistema de ajuste de pressão automático das lâminas (opcional), painel elétrico para controle e sistema de reversão para corte de materiais duros, operam com capacidades de 9 a 600 m³/h.

    INTERATIVA

    A fabricante apresenta a série WS de válvulas borboleta, biexcêntrica flange­ada, construída sob requisitos da norma AWWA C-504 e as flanges conforme a NBR 7675. O corpo é feito de ferro fundido nodular, o disco fabricado com aço inoxidável ou ferro fundido nodular, sendo a sede de vedação encaixada ao corpo e fixada por meio de anel de retenção de aço inoxidável, assim como os eixos.



    Recomendamos também:








    0 Comentários


    Seja o primeiro a comentar!


    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *