FENASAN – Tecnologias e serviços disponíveis para vencer déficit do saneamento

Química e Derivados, FENASANFenasan se consolida como a principal feira do saneamento básico do Brasil, setor cada vez mais necessitado de inves­timentos. Promovida há 23 anos pela AESabesp (Associação dos Engenheiros da Sabesp), em sua edição de 2012, programada para os dias 06, 07 e 08 de agosto, a feira teve sua área ampliada e ocupará a extensão total do Pavilhão Branco do ExpoCenter Norte, em São Paulo. São 217 exposito­res – entre fabricantes de equipamentos para o setor, criadoras de programas de desenvolvimento da área, prestadoras de serviços e de demais segmentos com­plementares às esferas do saneamento e do meio ambiente –, que devem atender à expectativa por novidades de 13 mil visitantes.

Segundo a AESabesp, trata-se de um crescimento ininterrupto, coincidente com o aumento da demanda por novas tecnologias para diminuir o ainda gran­de gap nacional na área, onde apenas 46% da população está conectada a uma rede de esgotos e dos quais somente 38% recebem tratamento adequado an­tes de serem descartados, mantendo rios e mares sob as piores condições.

Em dois anos, a Fenasan dobrou de tamanho (8.828 m², em 2010; 13.272 m², em 2011; e 17.042 m², em 2012), para atender à demanda de público e de expo­sitores. De acordo com o presidente da AESabesp, Hiroshi Ietsugu, a ocupação total da área de exposição é motivada pelo crescimento do setor e no grande aporte de investimentos em obras de dis­tribuição de água, esgotamento sanitário e manejo de resíduos, tanto por parte da esfera federal quanto por investimentos de grupos estrangeiros.

Química e Derivados, Reynaldo Young, diretor técnico da AESabesp, FENASAN
Reynaldo Young: falta de saneamento ainda é um dos maiores problemas do país

Já o diretor técnico da entidade, Reynaldo Young, observa que embora o Brasil esteja em condição de potência emergente e receba grandes incentivos para incrementos no setor, a falta de saneamento básico ainda se constitui como um dos maiores problemas do país. Em sua avaliação, ainda é preciso muito investimento em tecnologia. “E na Fenasan essas tecnologias são efe­tivamente mostradas pelas fabricantes de equipamentos, gestoras de sistemas e prestadoras de serviços”, disse.

Nos mesmos dias da feira, ocorre o tradicional Congresso Nacional de  Saneamento e Meio Ambiente, nos auditórios do próprio Pavilhão, tam­bém denominado 23º Encontro Técnico da AESabesp, com apresentação de trabalhos técnicos e debates sobre as políticas do setor. Em 2012, o tema cen­tral é “Como prover o saneamento para todos” e abrangerá palestras voltadas para inovações tecnológicas, eficiência energética; gestão empresarial e em­preendimentos no setor; legislação e regulação; manutenção eletromecânica; e sustentabilidade, acesso a políticas públicas e preservação do meio ambien­te; e isso só para ficar nos temas mais importantes.

Ainda estão previstas palestras técnicas-institucionais de empresas participantes, além de mesas-redondas, com abordagem sobre temas como PSA – Plano de Segurança da Água (uma nova ferramenta para a gestão de riscos para os mananciais de abastecimento): aplicação da política de resíduos sólidos e seus desafios; mudanças climáticas e políticas de desenvolvimento sustentá­vel no saneamento; RIO + 20; gestão de empreendimentos – a qualidade do produto final X termos de referência; situação de riscos à saúde, agravos e eventos ambientais; saneamento e saúde em comunidades isoladas e pequenos municípios; gestão de riscos corpora­tivos; tecnologia para o saneamento básico – compra por performance, so­lução integral; gestão de pessoas; novas propostas de tratamento para o lodo gerado em estação de tratamento de água; e o problema da eficácia da nova legislação do saneamento.

Química e Derivados, Hiroshi Ietsugu, presidente da AESabesp, FENASAN
Hiroshi Ietsugu: área da feira cresce e reflete o ritmo dos investimentos

Além disso, no dia 6 de agosto, das 9 às 17h30, será realizado curso sobre diagnóstico de perdas de sistema de abastecimento de água, com o especia­lista Mário Augusto Bággio, no valor de R$ 500,00 (associados da AESabesp) e R$ 800,00 (não-associados). Nos dias 7 e 8, será a vez do curso so­bre estratégias para o enfrentamento das mudanças climáticas na questão dos recursos hídricos, ministrado pe­los professores Filipe Santos (FCUL/SIM/ CCIAM – Portugal), Humberto Ribeiro da Rocha (IAG/USP – Brasil), Rita Jacinto (FCUL/SIM/ CCIAM – Portugal) e Vanessa Hasson de Oliveira (PUC-SP/AESabesp – Brasil). O valor da inscrição será de R$ 995,00.

Nos sites www.fenasan.com.br e www.aesabesp.org.br está disponível toda a programação do Congresso, com os dias, horários, autores dos trabalhos e participantes das mesas. E no site Fenasan também está disponibilizado o sistema Clickmap, com o mapa interativo da feira, pelo qual é possível fazer um roteiro de visitas, além da visualização dos respec­tivos espaços ocupados por expositores, reservados e disponíveis em 2012.

 

As Novidades da feira

Textos produzidos com base nas informações enviadas pelos expositores para redação de Química e Derivados

 

Química e Derivados, Bruthus, FENASAN
Sistema patenteado de secagem térmica de resíduos

ALBRECHT

A empresa brasileira apresenta o sistema patenteado de secagem térmica de resíduos, o Bruthus, fruto de sua própria pesquisa e desenvolvimento. Sua utilização visa a reduzir o peso, volume e umidade de lodos de estações de tratamento de efluentes. Em 2010, a Albrecht instalou, em Montes Claros- MG, sistema de secagem de lodos de ETE com aproveitamento de biogás gerado na estação como fonte de energia térmica. Aliás, o propósito da empresa é vender o sistema para estações com tratamento anaeróbico em que grande quantidade de biogás é gerada e não aproveitada.

ATLAS COPCO

Química e Derivados, Linha SZ de sopradores de ar, FENASAN
Linha SZ de sopradores de ar

A Atlas Copco apresenta novos modelos da linha ZS de sopradores de ar, com tecnologia de parafuso, que a empresa considera mais econômicos em consumo de energia. Isso é obtido por meio do reaproveitamento da energia potencial existente nos gases. Segundo comunicado da Atlas Copco, os novos sopradores permitem fazer o correto balanceamento das unidades de vazão, desligando e religando-o quando neces­sário, fato técnico inédito na linha ZS. O uso de mancais de atrito, acionados de acordo com um controle central microprocessado, é o responsável pela proeza. Os novos sopradores de parafu­so substituem os antigos com tecnologia de lóbulo, apresentando um ganho em eficiência energética de até 30% em relação aos modelos antigos. Ainda con­tam como vantagem o seu projeto mais compacto, que permite instalações mais rápidas e práticas. O consumo de energia representa, tipicamente, 80% dos custos do ciclo de vida de um soprador.

Química e Derivados, Linha Premium de sistemas de aeração por ar difuso, FENASAN
Linha Premium de sistemas de aeração por ar difuso

B&F Dias

Destaca a linha Premium de sistemas de aeração por ar difuso de alto desem­penho, para aplicações em processos de oxidação de carga orgânica e mistura em estações de tratamento de efluentes sanitários e industriais. Segundo a em­presa, para começar, o diferencial está na utilização de baixa vazão de ar por difusor para obtenção da máxima trans­ferência de oxigênio, o que significa menor consumo de energia. Além disso, com o uso de ramais (tubulação) de fundo de tanque de aço inoxidável, há no processo alta resistência mecânica dos componentes e durabilidade. Também foram empregados no sistema difusores de membrana bolha fina de EPDM, EPDM revestido com teflon ou silicone – materiais que proporcionam maior vida útil às membranas. E, para finalizar, o emprego de conexões de aço inoxidá­vel para fixação dos difusores dá maior segurança operacional, além de contar com dispositivos de purgamento auto­mático, o que também possibilita maior confiabilidade operacional. Além do sistema, a B&F Dias também apresenta a recém-lançada linha de decanters, para a remoção de clarificado ou esgoto tratado para processos em tanques de aeração por batelada ou SBR, totalmente de aço inoxidável AISI 304 ou 316, para maior resistência mecânica e proteção completa contra corrosão, ataques químicos e UV.

CALGON CARBON

Química e Derivados, Carvão ativado, FENASAN
Carvão ativado

Fornecedor global de carvão ativado e de sistemas de trata­mento, de Pittsburgh, Pensilvânia, com 15 unidades de fabricação de carvão ativado, reativação e equi­pamentos nos EUA, Ásia e Europa, a empresa também destaca sua linha de equipamentos para desinfecção e oxi­dação avançada com luz ultravioleta. O processo de oxidação avançada com UV é voltado principalmente para remediar águas subterrâneas contaminadas e ina­tivar a Cryptosporidium e outros agentes patológicos semelhantes em água de superfície, tornando-os inofensivos aos seres humanos. A invenção deste pro­cesso mantém a empresa ainda hoje na liderança da tecnologia de desinfecção UV. A Calgon produz mais de 100 tipos de carvão ativado em pó e granulado, material poroso capaz de remover com­postos orgânicos de líquidos e gases, por meio do processo conhecido como “adsorção”, pelo qual as moléculas or­gânicas contidas em um líquido ou gás são atraídas e fixadas à superfície dos poros do carvão ativado.

CENTROPROJEKT

O grupo de origem tcheca destaca o MBBR (Reator bioló­gico de leito móvel), da israelen­se Aqwise, que a Centroprojekt fornece para estações públicas de saneamento. A tecnologia é uma combinação entre sistemas dos tipos biomassa líquida em suspensão (lodos ativados) e biomassa aderida (biofilme). Segundo a empresa, uma de suas principais vantagens é expandir a capacidade de tratamento com o aumento dos carriers, sem a necessidade de um superdimensiona­mento da estação, prevendo-se assim um aumento de vazão ou de cargas futuras. Ainda de acordo com a Centroprojekt, a tecnologia também apresenta menor consumo de energia, exige menor área de implantação, resulta em melhor qualidade e menor quantidade de lodo gerado, além de ter uma maior eficiência de remoção de DBO.

 

CONAUT

A empresa mostra um medidor magnético a bateria por tecnologia de ultrassom intrusiva, compacto e portátil, denominado Waterflux 3070-MOD 463. Segundo a Conaut, ele foi desenvolvido para facilitar a medição em situações críticas de processo, oferecendo mesmo em locais sem energia elétrica e sem tre­cho reto (a montante e a jusante). Além disso, ele possui sensor com design em seção retangular, o que permite medição estável independentemente do perfil de fluxo e plano de estudos da vazão mí­nima noturna em distritos pitométricos. O equipamento vem preparado para telemetria e conta com revestimento orgânico com poliamida 11, anticorro­sivo, resistente à pressão, ao vácuo e ao desgaste.

DANFOSS

Fabricante dinamarquesa de con­troles eletromecânicos e eletrônicos e de soluções de sistemas para indús­trias de refrigeração, ar-condicionado e aquecimento, a empresa destaca o VLT AQUA Drive FC200, acionamento (drive) indicado para aplicações de saneamento e tratamento de efluentes. O sistema é indicado para bombas e turbinas de sistemas de distribuição de água. Segundo a empresa, com ele é pos­sível alcançar maior proteção de bomba seca, reduzindo os custos de manutenção, pois o con­versor de frequência avalia constantemente a condição da bomba com base nas medições internas de fre­quência/potência, além de possuir um controlador em cascata incorporado que controla até três bombas com uma bomba principal fixa. Além disso, a empresa lança o VLT Frame D, com invólucros redesenhados que resultam em diminui­ção no volume de até 68%. Esse modelo está hoje entre os menores do mercado na faixa de potência de 90 a 250 kW.

DINATÉCNICA

A empresa apresenta as juntas do tipo Dresser, elementos usados para união de tubos que dispensam flanges, soldas e roscas. Segundo a empresa, elas garan­tem junções estanques e de baixo custo de instalação, absorvendo movimentos e vibrações de tubulações e equipamentos e permitindo ainda construir curvaturas em linhas com o emprego de tubos retos. Aplicam-se também na montagem de válvulas e de outros equipamentos que requerem manutenção preventiva e periódica. Para absorver grandes movi­mentos axiais em tubulações, a empresa também fabrica as juntas telescópicas e juntas rígidas de montagem.

dpUNION

Representante de fabricantes de instrumental analítico e científico, a empresa apresenta soluções para as áreas de caracterização de matérias, na­notecnologia, biotecnologia, química, física, bioquímica, ambiental, biomédi­ca, clínicas, abrangendo demandas de laboratórios de pesquisa, desenvolvi­mento, controle de qualidade, produção e controle ambiental. Na feira estão dis­poníveis para visualização equipamen­tos na área de processo e laboratório para a área de saneamento e meio ambiente, como medidores (diversas aplicações), bombas peristálticas e sobressalentes em geral.

Química e Derivados, Sistema gerador de dióximo de cloro, FENASAN
Sistema gerador de dióximo de cloro

EMEC 

A EMEC Brasil, especializada em dosagem e controle de produtos quími­cos para tratamento de água e processo, destaca sistema gerador de dióxido de cloro, com capacidades para 200 g/h e 400 g/h. Denominado Lótus 200 e Lótus 400, a ideia é difundir o uso desse desinfetante com várias vantagens sobre o gás cloro: ele é até cin­co vezes mais reativo, injetado em quantidades menores, mais rápido na reação e gerador de pou­quíssimos e inofensivos subprodutos. A empresa, além do mercado da água, pretende comercializar a tecnologia nas indústrias alimentícia, de bebidas e frigoríficos.

ESCO

A fornecedora de bombas e válvulas Esco destaca a linha Esco Master, mo­delos LP e HP, de bombas centrífugas reautoescorvante. Segundo a empresa, a curva de desempenho, com o uso de diversas velocidades, permite uma melhor adequação da bomba a cada aplicação, além de possibilitar a seleção de um mesmo modelo para diversas con­dições. Elas são utilizadas em estações elevatórias de esgoto, em indústrias e na drenagem de águas pluviais. Ainda de acordo com a Esco, a linha oferece ren­dimento operacional por tempo maior do que o das bombas centrífugas comuns. O desenho interno é dinamicamente projetado para evitar perdas por desgaste e o processo de fundição de alta precisão resulta em superfícies lisas, garantindo a melhor performance.

ETATRON

Química e Derivados, DLX-PH-RX-CL/M, FENASAN
DLX-PH-RX-CL/M

Fornecedora de bombas dosadoras e instrumentação de medição e controle para tratamento de água, para potabi­lização, uso industrial e alimentício, a empresa destaca sistemas de ajuste de pH e de controle de cloro residual, prin­cipalmente por Redox/ORP. Trata-se do modelo DLX-PH-RX-CL/M, ou sim­plesmente DLX-Control, que permite selecionar a leitura de controle (pH ou Redox/mV) conforme o eletrodo que será utilizado. De fácil programação, segundo a empresa, permite ajustar a vazão mínima operacional para manter o valor desejado e atuar proporcional­mente para corrigir eventuais deficiên­cias. Possui alarmes ajustáveis de valor máximo, mínimo, tempo excessivo de dosagem e ainda pode atuar com alarme de falta de produto, através de um relé de serviço. Outro destaque fica por conta das bombas dosadoras da série DLS, totalmente atualizadas para o modelo BT, com versões de regulagem manual BT-MA/AD ou proporcional BT-MF. As bombas são adequadas para atender a vazões superiores a 20 l/h, até 80 l/h, conforme o tipo. Além de atender capacidades maiores, as dimensões das mangueiras de sucção e recalque são maiores (10×14 mm), permitindo o uso com soluções especiais, como políme­ros e cal.

FRANKLIN ELECTRIC

Expõe linha de motobombas, moto­res e sistemas de bombeamento submer­so para poços profundos. O destaque fica por conta das séries Sub, uma linha de motobombas para indústria e saneamen­to, com sistema triplo de vedação, com rotores flutuantes independentes e rotor fechado de Celcon, com corpo, bocal de saída, intermediário e filtro de aço inox. Conta com válvula de retenção incor­porada e motor elétrico encapsulado.

GEA

Destaca o produto o enchimento es­truturado BIOdek, composto por chapas de PP ou PVC com ondulações corru­gadas e um índice de vazios de 97% e baixo peso específico. Os blocos são fa­bricados com diversas áreas específicas e em virtude do seu desenho e geometria próprios não colmatam, nem permitem a formação de canais preferenciais. É um produto, segundo a empresa, de boa re­lação custo/eficiência em aplicação em filtros biológicos percoladores, reatores biológicos submersos e aerados.

 

GRATT

A fabricante de equipamentos da área ambiental de Capinzal-SC presta esclarecimentos sobre suas linhas de de­cantadoras e tridecanters, empregados para separar sólido do líquido em ETES em duas ou três fases. Também demons­tra seus flotadores de inox, aço carbono e fibra de vidro, sistemas físico e físico-químico utilizados em tratamentos de efluente de indústrias, que se utilizam de injetor de microbolhas para garantir mistura homogênea. Outra linha de ne­gócios engloba a fabricação de unidades móveis compactas e completas para o tratamento de efluente, montadas sobre plataformas tipo roll-on, para garantir a mobilidade rápida das estações até o cliente. A empresa ainda fabrica pe­neiras rotativas e estáticas, aeradores e misturadores su­perficiais, prensa contínua e abrandadores, entre outros equipamentos.

GRUNDFOS

Fabricante de bombas, a Grundfos apresenta o rotor S-tube, sistema dotado de um novo conceito hidráulico. Recém lançado no mercado mundial, o produto equipa as bombas submersíveis das linhas S e SL. Fechado e de canal único, o rotor S-tube é indicado para o bombeamento de efluentes e resí­duos. De acordo com a empresa, graças aos novos designs de rotor e da voluta, a operação é feita suavemente desde a sucção ao recalque, sem obstruções de sólidos em suspensão. Ainda conforme a Grundfos, o rotor apresenta também um dos melhores índices de eficiência hidráulica do mercado, alcançando até 84%, sem comprometer a passagem livre de sólidos com diâmetros de até 160 mm. Isso significa maior capacidade de bombeamento sem bloqueios.

Química e Derivados, Estações compactas de plástico reforçado com fibra de vidro, FENASAN
Estações compactas de plástico reforçado com fibra de vidro

HEMFIBRA

Divulga suas estações compactas de plástico reforçado com fibra de vidro para ETAs e ETEs. Segundo a empresa, já são mais de 600 as estações implantadas em todo o Brasil, que tratariam mais de 1,8 bilhão de litros de águas e efluentes, beneficiando aproximadamen­te 10 milhões de pessoas. Com conceito modular, as estações são implantadas de forma per­sonalizada e após diagnóstico para adequar o sistema a qual­quer tipo de água e efluentes domésticos e industriais. As estações com capacidade de 5 l/s são facilmente transferíveis em um único bloco, já as maio­res, na faixa de 10 a 40 l/s, são projetadas de modo que facilitem seu transporte até o cliente.

HIDROSUL

Mostra um novo conceito de es­tações compactas de tratamento de efluentes, de aço inoxidável, sistema bolt linked, no qual os tanques são construídos com chapas de aço inox AISI 304 unidas por parafusos sob pressão e material vedante, sobre uma base de concreto. Montados no local, a ETE é entregue pronta para operar. O sistema de tratamento é biológico por lodos ativados e o módulo básico é composto de tratamento primário por peneira, seguido de reator aeróbio e decantador secundário, opcionalmente pode-se agregar módulos de desinfecção e filtração (reúso), e tratamento para o lodo. Todos os tanques executados com aço inox AISI 304, assim como os aeradores e bombas.

Química e Derivados, Estação para tratar efluentes montada pela Hidrosul, FENASAN
Estação para tratar efluentes montada pela Hidrosul

HUBER

A alemã Huber mostra a prensa de parafuso Rotamat RoS 3Q, usada para desidratação de logo municipal e industrial. O lodo líquido é bombeado para o reator de floculação da prensa de parafuso. Uma estação de preparação de polímeros prepara uma solução de polímero em pó ou líquido. O polímero diluído é introduzido por um anel dosa­dor na linha do lodo de alimentação e é misturado, de modo intenso, ao lodo em um misturador estático.

Flocos resistentes de lodo se formam no reator de floculação, de onde o lodo floculado transborda para até três pren­sas de parafusos. A prensa de parafuso é composta de uma cesta de tela inclinada com 0,01” (0,25 mm) de espaçamento. Um parafuso girando lentamente com velocidade variável transporta o lodo gentilmente para cima, por meio da cesta inclinada. A ideia é ofertar uma solução automatizada e de baixo consumo de energia.

Química e Derivados, Bomba de lóbulos, FENASAN
Bomba de lóbulos

HUGO VOGELSANG

A fabricante alemã de máquinas mostra uma bomba de lóbulos, de des­locamento positivo, usada para lodos e permeado de MBR. De acordo com a empresa, as bombas ocupam metade do espaço em comparação com a tecnolo­gia convencional. Além disso, podem operar em vazio sem danos às partes emborrachadas e a manutenção pode ser realizada in situ, sem a desmontagem das tubulações, o desacoplamento do motor e a retirada da bomba do local. Com alta capacidade de sucção, podem operar com sólidos particulados, com vazões de 3 m³/h a 1.200 m³/h, dependendo da aplicação. Outro destaque da empresa é o macerador de lâminas rotativas Rota Cut, usado para picotar fibras, cabelos e materiais grosseiros que estão presen­tes no lodo. Ao picotar os materiais, os sistemas preservam os equipamentos a jusante, eliminando o acúmulo de fibras nos equipamentos rotativos e reduzindo as paradas para limpeza. Com sistema de ajuste de pressão automático das lâminas (opcional), painel elétrico para controle e sistema de reversão para corte de materiais duros, operam com capacidades de 9 a 600 m³/h.

INTERATIVA

A fabricante apresenta a série WS de válvulas borboleta, biexcêntrica flange­ada, construída sob requisitos da norma AWWA C-504 e as flanges conforme a NBR 7675. O corpo é feito de ferro fundido nodular, o disco fabricado com aço inoxidável ou ferro fundido nodular, sendo a sede de vedação encaixada ao corpo e fixada por meio de anel de retenção de aço inoxidável, assim como os eixos.

INVEL

Mostra a linha de uniões de tubos disponível nos diâmetros de 25 a 400 mm, que permite uma variação de até 50 mm entre os diâmetros dos tubos da instalação. Chamadas de uniões MaxiVIC GT, segundo a empresa, não requerem preparo prévio dos tubos, oferecendo estanqueidade na união de tubos de aço, ferro fundido, polietileno, PVC, fibrocimento e cerâmica. Utilizadas em tubulações de água, esgoto, gás natural, ar comprimido e produtos químicos, suportam pressões de trabalho de 16 bar, temperaturas de -20ºC a 90ºC, absorven­do desalinhamentos angulares de até 6º e permitindo movimentação axial dos tubos, dispensando juntas de dilatação.

Química e Derivados, MaxiVIC GT, FENASAN
MaxiVIC GT

JOPLAS

A fabricante de tubos e conexões de PVC reforçado com fibra de vidro Joplas, com unidades em Joinville, 37Santa Catarina, e Marechal Deodoro, em Alagoas, presta esclarecimentos so­bre suas duas linhas de produção, uma semiautomática e a outra totalmente automatizada, esta última iniciada em 2011. A nova fábrica é fruto de investi­mento de 12 milhões de reais, montante utilizado para adquirir máquina italiana capaz de fabricar até 30 metros de tubos de PRFV (plástico reforçado com fibra de vidro) por hora, em diâmetros de 100mm a 800mm, comumente utiliza­dos em obras de saneamento.

LAFFI

A Laffi Filtration, especializada em filtragem industrial, destaca o filtro separador centrífugo da linha Filtration Power, para aplicações em médias e altas vazões no processo de remoção de areia, particulados metálicos e outros sólidos resultantes de processos industriais. Segundo a empresa, os filtros aplicam o princípio da velocidade e gravidade para obtenção de seu desempenho, removen­do sólidos mais pesados sem utilizar ele­mentos filtrantes. Essas características reduzem os custos de manutenção entre 60% e 90%; de energia, de 5% a 10%; e de consumo de água, de 5% a 10%. Além disso, a Laffi também apresenta o filtro bolsa, constituído por três componentes principais: o vaso de pressão, o cesto suporte e a bolsa filtrante. O fluido a ser filtrado é introduzido de forma pressurizada na parte superior da bolsa suportada pelo cesto, retendo os resídu­os sólidos na bolsa filtrante; e o líquido limpo flui pela saída da carcaça.

Química e Derivados, Geomembranas de polietileno de alta densidade, FENASAN
Geomembranas de polietileno de alta densidade

MACCAFERRI

A Maccaferri mostra suas geomem­branas de polietileno de alta densidade (PEAD) para impermeabilização de lagoas de tratamento de efluentes e ater­ros. Substitutas da argila compactada, as geomembranas MacLine, produzidas com resinas virgens e estabilizadas e dispostas em variadas espessuras, são barreiras a líquidos e gases, com alta compatibilidade química, flexibilidade e soldabilidade, segundo informou a empresa. Além disso, a empresa tam­bém presta esclarecimentos sobre o MacTube, tubo fabricado com tecido de geotêxtil de alta tenacidade, inerte à de­gradação biológica e resistente a ataques químicos (álcalis e ácidos). A tecnologia do tubo é baseada no entrelaçamento dos fios do geotêxtil e na sua alta resistência mecânica. A abertura dos poros garante a filtragem do material bombeado por meio da retenção da parte sólida e a passagem do líquido.

química e Derivados, Incrustações de rede com Econox, FENASAN
Incrustações de rede com Econox

MAXIAGUA/ MOJAVE

Apresenta sua linha de insumos químicos, de fabricação própria e de representados. Destaca o ortopolifosfato Econox, uma linha de policloretos de alumínio (PACs), com 11% a 18% de alumina, aditivados ou não com polie­letrólitos. Também fazem parte de seu portfólio: coagulantes orgânicos, rege­nerantes de leitos filtrantes, bactericidas e aluminossilicatos.

 

 

Química e Derivados, Multimedia filter, FENASAN
Multimedia filter

 

MIZUMO

A Mizumo, fabricante de estações pré-fabricadas para tratamento de es­goto sanitário (ETEs), de Pompeia-SP, apresenta sua expertise em projetos de ETEs customizadas para bairros, vilas, distritos e municípios. Os sistemas possibilitam o reúso do efluente tratado e podem atender até 20 mil usuários, ou seja, uma vazão de até 35 litros de es­goto/segundo – vazões maiores também são avaliadas pela equipe de engenharia de aplicações, que durante a feira estará disponível no estande localizado na Ilha Sindesam. Como lançamento, a empresa mostra o multimedia filter, um equipa­mento periférico e/ou complementar desenvolvido para garantir melhor qua­lidade do efluente de saída dos sistemas fabricados pela empresa, podendo ser reutilizado em vasos sa­nitários. O produto conta com um meio filtrante com diferentes mídias, como pe­dregulho, zeólita e antra­cito. Segundo a Mizumo, o principal diferencial é a presença do mineral zeólita, que oferece maior taxa de filtração e maior capacida­de de retenção de sólidos em comparação à areia, um dos materiais mais utilizados como meio fil­trante. O multimedia filter é fabricado com plástico reforçado com fibra de vidro (PRFV) e as partes metálicas são produzidas de aço inox. Crepinas estão instaladas no fundo do filtro, auxiliando a filtragem e a drenagem do efluente.

NETZSCH

Apresenta as bombas Nemo dosado­ras NM, desenvolvidas para as condições exigentes de precisão e automatização na dosagem. Por meio de um inversor de frequência, segundo a empresa, é possível ajustar a vazão da bomba com precisão menor do que 1%. O princípio consiste na rotação de um minirrotor de várias fases em um elemento estacionário mini estator. O princípio de cavidades progressivas é indicado especialmente para pequenas dosagens com precisão para a maioria dos fluidos, como ácidos, bases, alcalinos, até mesmo meios visco­sos com alta consistência, com ou sem sólidos ou fibras.

Química e Derivados, Bombas dosadoras de alta pressão fabricadas pela Netzsch, FENASAN
Bombas dosadoras de alta pressão, fabricadas pela Netzsch

 

PESCARA

Especializada em conexões mol­dadas de PVC, a empresa mostra nova linha de produtos injetados. O destaque é o Selim Universal, desenvolvido para facilitar a ligação de esgoto de 150 mm com derivação de 100 mm de tubos corrugados de PVC e polietileno. Segundo a empresa, o produto se adapta a qualquer tubo, independentemente do fabricante, desobrigando o consu­midor a comprar o selim e o tubo de mesma origem. Com o lançamento, a Pescara tem o propósito de dar mais liberdade de escolha para os órgãos públicos de redes coletoras de esgoto, com a ressalva de que o produto atende às normas da ABNT.

PRECISION LABORATORIES

Mostra o analisador AMI Codes-II, para a me­diçãocontínua e automática de cloro livre, dióxido de cloro, monocloramina, bro­mo ou Iodo, permitindo o controle e a regulagem da adição do desinfetante. Pode ser aplicado no tratamento e desinfecção de água potável, piscinas, águas industriais, de refrigeração e efluentes. Segundo a empresa, conta com verificação automática do fluxo de amostra e adição 39de reagentes, e ainda com amplo visor LCD retroiluminado com todas as in­dicações de leitura simultâneas. Como opcionais, há sistema para controle de pH e temperatura no mesmo monitor.

PROMAR

A empresa apresenta seus serviços na área de pintura técnica anticorrosiva e jateamento para preparação de superfí­cie. A Promar realiza as pinturas em duas unidades na região metropolitana de São Paulo ou no próprio cliente, normalmen­te dos setores petrolífero, de saneamento básico, siderúrgico, de construção naval e fabricantes de estruturas metálicas e caldeirarias em geral.

REHAU

A alemã Rehau apresenta ao mer­cado nacional a linha Raubioxon, um sistema de tubos e discos difusores de ar desenvolvidos especificamente para a aeração por bolhas finas no tratamento de efluentes. Segundo a empresa, a tecnologia economiza 30% dos custos do tratamento com eficiência energética. Os difusores constam basicamente de uma base suporte de polipropileno e uma membrana difusora de silicone, resistente à ruptura e sem endurecimen­to. Trata-se de sistema de montagem rápida e fácil, adequado aos diversos tipos de tratamento de efluentes para o fornecimento de oxigênio aos micro-organismos responsáveis pelo processo de depuração biológica. O sistema pode operar tanto em modo contínuo como in­termitente, empregando-se em estações de tratamento de efluentes domésticos e industriais de diversos setores indus­triais, suportando temperaturas de até 120ºC em funcionamento contínuo.

ROTHENBERGER

A empresa alemã desde 2001 no Brasil destaca processo de soldagem por termofusão para tubos de PE, PP e PVDF, controlado por comando CNC (Dataline), que registra e determina todos os parâmetros de soldagem de acordo com a norma DVS alemã e outras diretivas de aplicações interna­cionais, sem interferência do operador no processo de soldagem. O sistema também é aprovado e exigido pelos órgãos responsáveis pela instalação de redes para gás no Brasil. Os conjuntos são compostos de base de fixação dos tubos, faceador de tubos, jogo de cas­quilhos, placa aquecedora, suporte para faceador e placa aquecedora e unidade hidráulica com controle CNC. Consta também como destaque a bomba para teste hidrostático RP 30, de reduzidas dimensões e indicada para pequenas instalações. Leve e fácil de transportar, possui válvula antirretorno, que facilita a alimentação da água.

RTS

A fabricante de válvulas mostra a linha pressure seal. Trata-se de válvula globo, classes 900 e 1500, castelo selado a pressão, extremidades biseladas para solda de topo BW e ou flangeadas, cons­trução conforme a norma BS 1873. A linha passa por testes conforme a norma API 598. São fabricadas nos diâmetros de 1/2” a 16”, de aço carbono fundido ASTM A 216 GR.WCB, ASTM A 352 GR.LCB, aços ligados ASTM A 217 GR.WC6, WC9, C12, C12A, C5, aços inoxidáveis ASTM A 351 GR.CF8, CF3, CF8M, CF3M, CF8C, CG8M e outras ligas sob consulta.

SIDRASUL

Especializada em bombeamento e per­furação, a empresa vai mostrar sua linha de motobombas submersas (SAER), bombas de drenagem (Grindex), de dragagem (Dragflow), normalizadas (SAER), bom­bas multiestágios verticais e horizontais (SAER), bipartidas (SAER), sistemas de pressurização (SAER), tubulações fle­xíveis para condução de água (Hose Solutions) e motores elétricos (WEG).

VAG

A empresa alemã apresenta o VAG UseCAD, um programa de dimensiona­mento universal cujo software ajuda a encontrar e selecionar a válvula correta, determinar diâmetros nominais por meio das vazões e planejar sistemas sem cavitação. Será mostrada no estande a última versão 7.0 do programa, além de completa visualização e navegação, os usuários irão encontrar novos compo­nentes no DVD. Isso inclui o programa de dimensionamento Rotag, que mostra aos usuários uma combinação opcional para as válvulas, extensões de haste e atuadores, dependendo do tipo de instalação requerida. Outra novidade é a possibilidade de exibir as válvulas de acordo com as diferentes aplicações, tendo uma visão geral para selecionar os produtos, para os clientes poderem de uma forma rápida e direta acessar a sua aplicação ou seu segmento de trabalho.

VEOLIA

A divisão de água da francesa Veolia Environnement presta esclarecimentos sobre os tradicionais processos físico-químicos de altas taxas Actiflo e Multiflo, com aplicação em sistemas industriais e municipais. O primeiro é um processo compacto de clarificação de água que emprega microareia como semente para formação e lastramento dos flocos, redu­zindo em até 40 vezes a área de implan­tação quando comparados aos processos convencionais com capacidade similar. Já a tecnologia Multiflo, além da alta taxa de aplicação, utiliza o conceito de formação de um lodo mais adensado no fundo do decantador lamelar, otimizando as fases de desaguamento e desidratação de lodo posteriores. As tecnologias já são empregadas em várias unidades públicas industriais no Brasil, como o Actiflo utilizado nas plantas de tratamen­to de água potável na cidade de Ponta Grossa/PR e água industrial na Refinaria Gabriel Passos da Petrobras (Regap – Betim-MG), além de aplicação em reúso industrial de efluentes na mesma Regap e também da Refinaria Henrique Lage – Revap. O Multiflo tem como exemplos recentes a planta de Huachipa de tratamento de água potável, localizada na cidade de Lima/Peru, com capacidade nominal de 5 m3/s de água tratada, e a planta de fornecimento de água industrial da fábrica de papel do grupo Votorantim (VCP) em Três Lagoas (MS).

VIAPOL

A empresa mostra o VitPoli ECO Verde, revestimento impermeabilizan­te recomendado para a proteção e o acabamento de estruturas metálicas e de concreto, para proteção das es­truturas de tanques e reservatórios de efluentes industriais e esgoto e ainda para impermeabilização de reserva­tórios de água potável. É produzido à base de poliuretano vegetal, isento de solventes, com baixo teor de VOC. Apresenta ainda boa aderência em diversos substratos, dispensando o uso da camada de imprimação (primer), contando com elevada resistência química, à corrosão e às altas tem­peraturas (até 90°C). Suporta ainda exposição aos raios UV e é resistente ao vapor d’água. Além disso, não altera a potabilidade da água e resiste quimicamente à agressão do esgoto.

WAM

Com sede em São José dos Campos- SP, a empresa mostra sua linha de estações compactas de pré-tratamento, peneiras rotativas, classificadores de areia, roscas compactadoras, roscas sem eixo para transporte de lodo desidratado e energizado e bombas pa­rafuso. O destaque, segundo a empresa, fica por conta das estações compactas de pré-tratamento, que reúnem em um só equipamento três operações: gra-deamento fino, caixa de areia e caixa de gordura. São disponíveis em dois modelos, TSF e TSB, respectivamente para ETEs e tratamento de efluentes de caminhão limpa-fossa.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.