Prévia: FENASAN – Potencial do mercado anima expositores

Feira do saneamento

Química e Derivados, FENASAN

A vigésima edição da Feira Nacional de Saneamento e Meio Ambiente, a Fenasan, passará longe do pessimismo que sonda a economia nacional e mundial. Pelo menos essa é a convicção da Associação dos Engenheiros da Sabesp (Aesabesp), a organizadora do tradicional evento a ser realizado entre 12 e 13 de agosto no Expo Center Norte, em São Paulo. Segundo o presidente da Aesabesp, Luiz Narimatsu, a procura por estandes surpreendeu e já a três meses do evento todo o espaço da feira estava vendido. Com 152 expositores confirmados, Narimatsu chamou a atenção para a longa fila de espera que se formou de pretendentes a um estande. “Muitas empresas mantiveram a esperança até o último momento de ocupar o espaço de algum desistente, o que foi difícil de ocorrer”, comemorou o dirigente da associação. A razão para o sucesso tem a ver, em uma primeira análise, com a consolidação da Fenasan como a principal feira do saneamento da América Latina. Mas provavelmente seu grande incentivo se fundamente mais numa questão conjuntural: hoje, o saneamento básico no Brasil representa uma grande oportunidade de negócios.

Química e Derivados, Luiz Narimatsu, Presidente da Aesabesp, FENASAN
Luiz Narimatsu: houve fila de espera para pretendentes a expor na feira

“O mercado está muito aquecido e ainda há muito a ser feito no Brasil”, afirmou Narimatsu. Prova disso, além da grande procura por estandes, será a participação de empresas israelenses firmemente interessadas nas oportunidades com o saneamento no Brasil. Os israelenses criaram uma missão empresarial para tentar prospectar novos negócios na Fenasan. “E isso sem falar nos outros estrangeiros, como franceses, italianos e alemães, que estarão representados por várias empresas expositoras e entre os 15 mil visitantes esperados”, completou.

O clima positivo em torno da feira, levando-se em conta o aspecto conjuntural do setor de saneamento, deve ser mais creditado às expectativas de longo prazo. Isso porque, na atualidade, apesar do bom ritmo de obras, há ainda uma sensação de que muito mais poderia ser feito. Dá até para resumir em números essa situação: apesar de o orçamento federal reservar R$ 4,6 bilhões para investir em saneamento – via recursos do FGTS – em 2009, apenas R$ 34,3 milhões foram contratados no primeiro semestre. A explicação é a de sempre: o alto endividamento dos estados, municípios e empresas de prestação de serviços impede a obtenção do crédito do FGTS administrado pela Caixa Econômica Federal.

A situação do setor é bem explicada por Gilson Afonso, o presidente do Sindicato Nacional das Indústrias de Equipamentos para Saneamento Básico e Ambiental (Sindesam). Para ele, no primeiro semestre de 2009, as encomendas foram lastreadas em obras de saneamento de alguns municípios e companhias estaduais, poucas delas na relação de obras do famigerado PAC. Projetos com maior velocidade e efetividade para os associados do Sindesam ocorreram com a Petrobras, seguidos por financiamentos do BNDES por meio das parcerias público-privadas (PPPs) para alguns poucos governos estaduais e companhias municipais com saúde financeira. Nesses últimos casos, houve também o pequeno uso do FGTS.

Química e Derivados, Gilson Afonso, Presidente do Sindesam, FENASAN
Gilson Afonso: PPPs têm força para universalizar o saneamento

Apesar de a crise financeira não ter atingido a confiança dos organizadores da Fenasan, a impressão deixada para os fornecedores da área é um pouco diferente. Basta comparar com o cenário e a expectativa anteriores à chegada da “marolinha” ao Brasil. Para o Sindesam, que vinha de um 2008 excelente, isso se refletiu em uma queda brusca no projetado para 2009. Acompanhando o ritmo dos investimentos, o sindicato previa um crescimento de 30% nas vendas. Mas, já no primeiro quadrimestre, o percentual caiu pela metade. Em relação ao mesmo período de 2008, as vendas dos associados cresceram 15%. E a tendência é esse crescimento se repetir no acumulado do ano. “Isso não significa que estejamos voltando aos duros tempos do passado. Pelo contrário, houve apenas um impacto, mas ainda estamos crescendo e tudo leva a crer que o saneamento é o negócio do futuro no Brasil”, ressaltou Afonso.

O presidente do Sindesam não se deixa abater nem pelo fato de até a Petrobras, que vem sendo a grande investidora em tratamento de água e efluentes do momento, ter também reduzido um pouco a velocidade nas compras. E nem pela morosidade das compras públicas de saneamento. “Não poderemos comparar 2009 com 2008, que foi um ano excepcional, mas sim com 2007, o que vai demonstrar que ainda estamos em uma curva ascendente”, explicou. Gilson Afonso tem razão. Apenas para lembrar, do dinheiro disponível do FGTS para 2008, que totalizou R$ 5,9 bilhões, foram contratados consideráveis R$ 3,6 bilhões. Muito diferente dos números apresentados anteriormente no primeiro semestre de 2009.

O ritmo conjuntural que leva otimismo ao executivo tem a ver em primeiro lugar com o presenciado na empresa que ele dirige, a Aquamec, com crescimento surpreendente nos últimos anos. Mas também por sinais externos bastante favoráveis. Além da nova lei do saneamento (11.445) estar em breve regulamentada, há movimentos muito positivos, até mesmo para resolver um dos piores problemas do setor: a falta de capacidade das 27 companhias estaduais para obter financiamento. “Elas estão se organizando, por meio da Aesbe (Associação das Empresas de Saneamento Básico Estaduais), para padronizar políticas de recuperação financeira e operacional”, explicou. Aliás, já era tempo: das 27, apenas oito são elegíveis aos investimentos do PAC e do FGTS.

Outra grande oportunidade, na sua opinião, são as PPPs. “O momento é extremamente importante para as parcerias vingarem de vez no Brasil e se firmarem como a melhor maneira de se atingir a universalização dos serviços de água e esgoto”, alertou Afonso. Isso porque há no momento várias operações importantes usando essa modalidade de projeto em que operadores privados, com a garantia lastreada pela cobrança das tarifas do serviço público, conseguem obter grandes aportes de bancos de fomento. “Esse é o caminho para o saneamento: unir a capacidade privada com a vontade e a garantia de longo prazo do serviço público”, finalizou o presidente do Sindesam. Um bom motivo para os participantes da próxima Fenasan ficarem bastante animados.

As novidades da feira

(O texto desta seção foi editado com base nas informações das empresas, em resposta ao convite eviado por Química e Derivados a todos os expositores da Fenasan 2009)

ABIMAQ

O Sindicato Nacional das Indústrias de Equipamentos para Saneamento Básico e Ambiental (Sindesam), ligado à Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos (Abimaq), organizou novamente uma “ilha” na Fenasan para reunir seus principais associados. Cada uma das empresas representadas terá um espaço dentro da área reservada para divulgar suas tecnologias de sistemas e equipamentos. Desta vez, farão parte as empresas Acquasan, Albrecht, Aquamec, Centroprojekt, Degrémont, Ecosan, Edra, Imbil, Mizumo, Pieralisi, Sparsol e Vibropac.

ABS

A fabricante de bombas, misturadores, aeradores, assopradores e equipamentos de controle e monitoramento para tratamento de efluentes pretende destacar o seu programa de serviços aos clientes. O propósito é ofertar o gerenciamento total do bombeamento, com a terceirização operacional e as prometidas reduções no custo com a melhora do funcionamento do equipamento e a diminuição dos encargos com serviços e manutenção.

AG SOLVE

Química e Derivados, Sistema monitora esgotos e locais de difícil acesso, FENASAN
Sistema monitora esgotos e locais de difícil acesso

A Ag Solve Monitoramento Ambiental mostra como novidade a linha de medidores de vazão e amostradores Hach Sigma. Segundo a empresa, os sistemas facilitam o monitoramento de esgotos e de outros ambientes agressivos e de difícil acesso e são ideais para estudos de vazão de curto, médio e longo prazo, avaliações de esgoto sanitário e monitoramento de escorrimentos superficiais durante as chuvas. Por serem selados, suportam ainda submersões prolongadas e grandes sobrecargas. Com a capacidade de monitorar de um a três níveis e/ou velocidades de água simultaneamente, os medidores são disponíveis nas tecnologias de borbulhamento, de transdutor de pressão, área X velocidade e ultrassônico.

 

AMANCO

Químcia e Derivados, Linha Biax: PVC biorientado, FENASAN
Linha Biax: PVC biorientado

A fabricante de tubos e conexões de origem suíça preparou novidades para a feira. A linha Tê de serviço e conexões de pressão de polipropileno para condução de água potável. São aplicadas nas derivações das linhas PBA com o ramal predial. Já o Amanco Tê de serviço possui broca externa para furação e registro que permite o controle do fluxo de água. Outro lançamento é a linha Biax, de tubos de PVC-O (biorientado) para redes de adução e distribuição de água bruta ou potável, de estrutura robusta e capaz de atender às redes de tubulações com pressão PN16. Por fim, a Amanco apresenta ao público o kit cavalete, um conjunto de tubos e conexões que interliga o ramal predial do sistema de distribuição de água com a instalação predial do consumidor. Ele serve ainda de suporte para a instalação do hidrômetro, é ofertado em duas versões (padrão Sabesp e padrão universal) e possui suporte especial para ser instalado diretamente no solo ou na parede.

AQUABLUE

Especializada em produtos químicos e equipamentos para tratamento de água para consumo humano, a Aquablue, de Guarulhos-SP, destaca os tabletes desinfetantes de ácido tricloroisocianúrico, fabricados pela norte-americana Oxychem. Com 90% de cloro ativo na formulação, os tabletes são dosados por equipamentos automáticos também fornecidos pela empresa e contam com aprovação da agência ambiental americana (EPA) e certificação NSF.

BEKAERT

A empresa mostra seu know-how na produção de vasos de pressão feitos de plástico reforçado de fibra de vidro (PRFV) para membranas de osmose reversa. Com certificação ASME, são vasos para classe de pressão de 150 a 1.200 psi em diâmetros de 4 e 8 polegadas e portas laterais de 1,5 polegadas. Com escritório em São Paulo para atender a todo o mercado latino-americano, a companhia conta com assistência técnica local.

B&F DIAS

Química e Derivados, Instalação de aeradores por ar difuso, FENASAN
Instalação de aeradores por ar difuso

Os destaques ficam por conta de novas comportas de aço inoxidável para saneamento e de trituradores de esgoto para redução de tamanho de sólidos causadores de entupimentos e travamentos. Além disso, presta esclarecimentos sobre seus sistemas de aeração por ar difuso tipo fixo e removível, empregados em processos de oxidação de carga orgânica e mistura.

 

COESTER

Química e Derivados, Atuador elétrico da Coester, FENASAN
Atuador elétrico da Coester

A empresa de São Leopoldo-RS mostra novos atuadores elétricos de alto desempenho dotados de barramento de comunicação interna, eletrônica modular com cinco microcontroladores, LiveMem (registro interno de eventos) e motor Guard (sistema de proteção do motor). O produto apresenta ainda um painel rotativo e removível, de aço inox ou alumínio, sem partes plásticas, o que, segundo o fabricante, garante melhor ergometria.

 

CONTINUUM

Apresenta sua tradicional linha de produtos químicos para controle de odor, os chamados encapsuladores, com boa penetração no mercado de saneamento. Além disso, divulga suas novas instalações industriais em Cotia-SP.

CONTROLTECH

Pretende mostrar o sistema Hydrocontrol, que previne ligações clandestinas de água, vulgarmente conhecidas como “gatos”. O sistema faz acoplamento da água distribuída com a alimentação interna da residência. As operações de corte e reestabelecimento do fornecimento de água são realizadas por meio do acionamento de um conector, uma espécie de chave com milhares de combinações. A única maneira de fraudar o hidrômetro é pela sua destruição física, o que é fácil de ser detectado pela equipe responsável pela medição da água.

DANFOSS

O grupo de origem dinamarquesa especializado em sistemas para refrigeração lança conversor de frequência VLT Aqua Drive, disponível agora na versão de baixa distorção harmônica, que regula e reduz continuamente a distorção da rede sem afetar o controle do motor. Possui ainda plataforma de tecnologia modular e funcional, resfriamento via back channel e display de fácil operação. Opera na faixa de tensão de 380 a 480 V, 50 a 60 Hz, tem função de economia de energia do filtro e tamanho compacto e é ideal para aplicação em redes de baixa tensão.

DE NORA

Química e Derivados, Gerador de cloro in-situ da DeNora, FENASAN
Gerador de cloro in-situ da DeNora

A fabricante de sistemas eletroquímicos de origem italiana pretende dar destaque ao Posiclor, gerador de hipoclorito de sódio in-situ, por meio da eletrólise da água e do sal de cozinha. Segundo a empresa, o sistema é de simples operação e econômico e sua concepção permite o controle automático de temperatura e de presença da solução por meio de sensores. Além disso, a máquina conta com sistema de limpeza automática, que dispensa a necessidade de manutenção periódica.

 

 

 

DIGIMED

Química e Derivados, Espectrofotômetro DM-Espec, FENASAN
Espectrofotômetro DM-Espec tem duplo feixe óptico

Especializada em instrumentação analítica, a Digimed lança o espectrofotômetro DM-Espec com duplo feixe óptico, sistema de varredura automática e tempo de resposta rápido. Com largura de banda espectral de 2 a 5 mm, o aparelho tem reprodutibilidade espectral de 1 nm e método de leitura com comprimento de onda único ou múltiplo, além de calibração automática e varredura automática com velocidade de 900 mm/min. Ele armazena até 99 métodos de análise e dez pontos de calibração por curva. Outro destaque é o medidor de sólidos em suspensão TB-45, para aplicações de turbidez e sólidos suspensos totais em lodo primário, retorno de lodo, efluentes e águas em geral.

 

DIGITROL

Pretende mostrar vários modelos do medidor eletromagnético à bateria MAG8000, da representada Siemens. O equipamento é para água tratada e atende aos padrões internacionais OIML R49 e CEN EN 14154, especialmente indicado para otimização de suprimento de captação, de redes de distribuição, relatórios de contagem de irrigação, controle de perdas etc. O equipamento pode se manter em funcionamento por até seis anos em uma aplicação típica para a detecção de vazão e para a medição fiscal detalhada.

ECOSAN

A empresa chama a atenção para a nacionalização de sua grade de correntes sem fim, em substituição ao tradicional projeto da grade de cabos, considerado com alto índice de manutenção. Outra novidade é um removedor de lodo com raspador de aço inoxidável, no lugar dos similares produzidos de borracha. Além disso, o removedor possui ponte com piso gradeado galvanizado a fogo com módulos vazados e fixados por presilhas, seguindo as normas da Comunidade Europeia, o que reduz o risco de acidentes.

FLUID FEEDER

Química e Derivado, Lavador neutraliza gás cloro, FENASAN
Lavador neutraliza gás cloro

A empresa apresenta novo modelo de lavador automático com exaustão e neutralização de gás cloro na atmosfera pelo fluxo de contracorrente. O sistema é acionado eletricamente por um detector de cloro no ambiente. De acordo com a empresa, o propósito é proteger pessoas que circulam em ETAs e ETEs com sistemas de dosagem de cloro gás e também visa a atender às exigências de normas ambientais e de segurança e saúde ocupacional.

 

GEA

O grupo alemão será representado na Fenasan por meio de sua divisão de sistemas de resfriamento. Na oportunidade, serão divulgadas suas linhas de torres de resfriamento, enchimentos estruturados e lamelas plásticas. Os destaques são as torres em circuito aberto ou fechado, de PRFV, chapa galvanizada ou
concreto. Já as lamelas TUBEdek, para processos de sedimentação, são para tratamento físico-químico, água de lavagem de filtros, água de superfície ou subsolo e polimento com baixa carga de sólidos. Além disso, a GEA também presta esclarecimentos sobre sua tradicional linha de decantadoras para tratamento de lodo.

GLASS

A Glass Bombas e Válvulas, fabricante de válvulas borboleta biexcêntricas, de retenção e esféricas para esgoto, além de bombas centrífugas, lança na feira uma válvula multijato, voltada para regular grandes diferenciais de pressão. Outro destaque é a divulgação da Central Glass de Serviços, empresa do grupo especializada em manutenção, instalação, supervisão de montagem e comissionamento de equipamentos.

GRATT

Química e Derivados, Decantadora da catarinense Gratt, FENASAN
Decantadora da catarinense Gratt

A fabricante de centrífugas de Capinzal-SC destaca em seu estande o fato de contar com aeronave própria para levar sua equipe técnica para qualquer local do país e prestar assistência a seus equipamentos instalados. Além de centrífugas decantadoras, a empresa fabrica ainda flotadores e secadores com aplicações não só em saneamento básico como na indústria, em laticínios e abatedouros.

 

HIDROSUL

A empresa de Canoas-RS, especializada em estações compactas de tratamento de efluentes, destaca o aerador submersível Spiderjet. Feito de aço inox, com operação de fundo e distribuição radial do oxigênio por meio de oito saídas, o aerador, segundo a Hidrosul, garante maior área de abrangência sem acúmulo de lodo no fundo. Há 39 anos no mercado, as ETEs compactas da empresa são de fibra de vidro ou aço inox.

HUESKER

Química e Derivados, Geoformas lineares HaTe Tube, FENASAN
Geoformas lineares HaTe Tube

A empresa alemã, fundada em 1861 e há apenas 11 anos no Brasil, mostra suas especialidades: as geoformas lineares HaTe Tube, especialmente indicadas para armazenar e dessecar lodos e lamas de ETEs, ETAs, processos industriais e mineração. Segundo a empresa, as geoformas podem ser confeccionadas sob medida, possuindo alta resistência à tração, alta permeabilidade, abertura de filtração, elevada durabilidade e resistência aos raios UV.

IMPERVEG

Divulga seu revestimento impermeabilizante feito de poliuretano vegetal bicomponente. Trata-se de produto obtido pela mistura a frio de um pré-polímero e um poliol à base de resina de mamona. Pode ser aplicado a frio, por catalisação, formando uma membrana monolítica de impermeabilização em tanques e filtros de ETE e ETA ou reservatórios de água. Por ser um material sólido, isento de solvente, pode ser aplicado em ambientes confinados por não liberar vapores tóxicos. Atende ainda à norma NBR 12.170, portaria 56, que define sistemas impermeabilizantes em contato com água potável.

INTERLAB

Especializada em equipamentos laboratoriais, a Interlab lança na feira o Aquateste Coli, um teste microbiológico visual para coliformes totais e Ecoli em água. Trata-se de meio de cultura que possibilita a detecção de forma simultânea dos dois contaminantes em águas de poços, fontes, reservatórios, sistemas de distribuição e determinação da eficiência operacional de uma estação de tratamento de água. O sistema permite a visualização do resultado em 24 horas.

KANAFLEX

Química e Derivados, Tubos corrugados de PE Kanasan, FENASAN
Tubos corrugados de PE Kanasan

A empresa destaca o tubo corrugado de polietileno Kanasan. Possui dupla parede, sendo a interna lisa e a externa com corrugação anelar, na cor ocre, semirrígido, com uso na condução de esgoto sanitário ou despejo industrial. Homologado pela maioria das concessionárias de saneamento do Brasil, o tubo atende à norma NTS 198 para tubos corrugados de PE e conexões para ramais prediais e redes coletoras de esgoto.

KRIEGER

A Krieger Metalúrgica lança o sistema Stählermatic (STM Aerotores) para tratamento aeróbio de efluentes. A tecnologia modular combina as vantagens do lodo ativado e de biofilme fixo, eliminando as desvantagens dos sistemas isolados. Segundo a empresa, o sistema desempenha nitrificação e desnitrificação simultânea e remoção biológica de fósforo em um só reator, o que demanda menores áreas para a instalação, cerca de 40% do volume de um reator convencional. Atende às exigências legais da remoção da carga orgânica e de nutrientes.

JOHNSON SCREENS

Química e Derivados, Bomba Helicoidal é para produtos viscosos , FENASAN
Bomba Helicoidal é para produtos viscosos

A empresa do grupo Weatherford apresenta a linha WHTV de bombas helicoidais de cavidades progressivas. Trata-se de modelos com grande carcaça de entrada retangular e eixo transportador integrado ao eixo cardã, permitindo o bombeamento de produtos com alta viscosidade e porcentagem de sólidos. Segundo a empresa, as bombas não agitam e nem alteram o produto durante o processo e possuem alta resistência à abrasão e à corrosão, além de ter baixo nível de ruídos e de consumo de energia.

 

LAMON

Química e Derivados, Medidor MDH da Lamon, FENASAN
Medidor MDH da Lamon

Especializada em equipamentos de medição de vazão, nível e pressão, e de detecção de vazamento, a Lamon apresenta duas novidades: o medidor eletromagnético de vazão (carretel e inserção) operado a bateria com datalogger, sensor de pressão e modem GPRS incorporado ao conversor. Outro lançamento é destinado à pitometria, a MDH-600-300-C.

 

 

MARTE

A empresa mostra uma linha completa de equipamentos para controle analítico de estações de tratamento de água e efluentes. Os instrumentos podem assegurar 20 leituras simultâneas de parâmetros diferentes em apenas um monitor. Outra ênfase de sua exposição vai para os medidores portáteis DBO e condutividade por condutividade, além de medidores de nível e vazão.

MIZUMO

Química e Derivados, Reservatorio vertical, FENASAN
Reservatorio vertical: para até 50 m³

A empresa do grupo Jacto, de Pompeia-SP, apresenta novos reservatórios verticais, com diâmetros de 2,5 m e 3,2 m, próprios para volumes de até 50 m³. O equipamento, segundo a Mizumo, deve ser instalado acima do solo e é específico para armazenamento de água potável, de reúso ou para produtos químicos com pH ácido ou básico. Os reservatórios atendem às exigências das companhias de abastecimento e ás normas da ABNT. São fabricados de PRFV com resinas de alta resistência química.

NETZSCH

A fabricante de bombas de origem alemã e com unidade produtiva em Pomerode-SC destaca um modelo específico para lodo. Trata-se da Nemo Sludge Plus. Desenvolvida para o mercado de saneamento, pode bombear grandes volumes em estações de tratamento de efluentes. Segundo a empresa, o equipamento com motor de alto rendimento tem menor consumo de energia. Possui vedação do eixo por selo mecânico, pode operar como bomba de dosagem por meio da adaptação de um inversor de frequência, é autoescorvante até 7 metros de altura e pode operar com pressão de até 4 bar.

NIEDLUNG

O grupo apresenta vários processos não-destrutivos para recuperação de instalações e equipamentos, tubulações, galerias, tanques, reservatórios e estações de tratamento, independentemente de dimensões ou geometrias. Mas o destaque fica por conta de um processo mostrado pela primeira vez na feira alemã Ifat, de 2008, que recupera tubulações em profundidades de até 1.000 metros em um só lance, sem emendas e a uma velocidade de 400 m/h.

PARVA

Química e Derivados, Válvula de segurança para cloro, FENASAN
Válvula de segurança para cloro

A fabricante nacional de válvulas lança um modelo de segurança para dosagem de cloro. Segundo a empresa, a nova válvula conta com um sistema que interrompe a saída do cloro do cilindro, modificação feita após se constatar que os maiores problemas de vazamento ocorrem do conector flexível em diante. O sistema, ainda de acordo com a Parva, é simples na instalação e no manuseio, além de entrar em operação de forma rápida e eficiente. A funcionalidade dependerá do detector de gás, avisando sobre o vazamento e bloqueando de imediato a saída do cloro, que ficará dentro do flexível e do manifold.

PROACQUA

A empresa de engenharia destaca seus projetos de upgrade de estações de tratamento de efluentes existentes. De acordo com a Proacqua, nessas obras são aperfeiçoados itens como a remoção de DBO, de geração de lodo, de eliminação de odor e de remoção de micronutrientes (N e P). Seus projetos são tanto para a área pública como privada.

SAINT-GOBAIN

Química e Derivados, Válvula de fluxo anular, FENASAN
Válvula de fluxo anular

A francesa Saint-Gobain Canalização preparou várias novidades para a feira. Para começar, destaca as válvulas de gaveta Euro 20 para controle de perdas. Com cunha revestida em borracha, padrão construtivo conforme norma NBR 14969-DN 50 a 400, elas contam com revestimento em pó epóxi eletrostático, passagem integral sem cavidade de encunhamento, vedação 100% estanque, menor torque de manobra e garantem eliminação das perdas de água no sistema de vedação de haste e manutenção sem interrupção do abastecimento. Também na vertente de contenção de perdas, lançará a linha Klikso de conexões de ferro dúctil para tubos PVC PBA para reduzir as perdas de água nos DNS 50, 75 e 100. A Saint-Gobain ainda destaca as válvulas de fluxo anular (agulha) para controle preciso em condições extremas de vazão e/ou elevados diferenciais de pressão e uma válvula gaveta Euro com haste ascendente para bloqueio de esgoto sanitário ou redes de água bruta ou tratada para processos industriais, linhas de incêndio e sistemas de resfriamento.

SAMPLA

Química e Derivados, Tubulações flexível Rylbrun, FENASAN
Tubulações flexível Rylbrun

Seu destaque é a tubulação flexível Rylbrun, de origem espanhola e apropriada para extração de águas subterrâneas. Sua extensa linha contempla o uso de poliuretano, poliéster ou borracha, todos materiais à prova de corrosão e incrustação e que, em virtude da dilatação com pressão de trabalho, possibilitam redução da perda de carga. Segundo a Sampla, a flexibilidade dá maior eficiência energética às bombas submersas, em comparação com o exigido pelos tubos rígidos de PVC ou de aço. A linha completa de tubulação flexível já foi comercializada para empresas como Sabesp, Copasa, Compesa, Embasa e Petrobras.

SMV

Sem lançamento planejado, a SMV presta informações sobre sua linha de válvulas industriais de pequeno e grande porte. Segundo a empresa, há mais de 5 mil válvulas de sua produção instaladas em estações de tratamento de água, esgoto e em linha de abastecimento. Todos os equipamentos são projetados e fabricados segundo as normas AWWA, API e ISO 5752 e a empresa conta com certificação ISO 9001/2000.

SOFTBRASIL

Especializada em sistemas de supervisão e telemetria industrial, a Softbrasil enfatiza o sistema de telemetria por meio de comunicação via GPRS, solução composta de hardware e software. O sistema denominado Slink é, segundo a empresa, uma solução de baixo custo que permite controlar a comunicação com vários pontos remotos para telemediação e telecomando. A unidade remota, a SBox, possui autonomia para enviar a informação ao centro de controle.

VIBROPAC

Química e Derivados, Misturador de polímeros, FENASAN
Misturador de polímeros conta com pós-diluição

Vai apresentar um preparador de polímeros de aço inox com sistema de tanque subdividido em três compartimentos para a dissolução do polímero, maturação e estocagem da solução pronta. Com sistema de aquecimento controlado para evitar a absorção da umidade pelo polímero em pó, o preparador garante homogeneização para assegurar a perfeita abertura da cadeia molecular, eliminando a formação de grumos ou a decantação da solução. De acordo com a Vibropac, conta ainda com exclusivo sistema de pós-diluição, o que permite o preparo de grandes volumes de solução de polímero, reduzindo a necessidade de área para instalação.

 

 

WAM

O destaque é a estação de pré-tratamento Wastemaster, que reúne em um único equipamento as três operações anteriores ao tratamento de efluentes: gradeamento fino, caixa de areia e caixa de gordura. Possui capacidade de tratamento de 10 até 150 litros/s e é disponível em modelos para ETEs e para tratamento de efluente de caminhão limpa fossa. A estação tem fabricação em módulos para permitir seu fácil aumento de capacidade e construção fechada para reduzir a emissão de odores.

WASTEC

A fornecedora de sistemas químicos para neutralização de odores lança na feira o programa de gerenciamento total de odores, denominado ProGeTO. Segundo a empresa, trata-se de solução integrada para gerenciar todos os tipos de problemas de odor, o que inclui avaliação e definição da melhor solução, fornecimento e instalação de sistemas de aplicação, produtos e treinamentos.

Química e Derivados, Estação de pré-tratamento de efluentes, FENASAN
Estação de pré-tratamento de efluentes

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.