FEITINTAS 2012 – Entidades setoriais somam forças para revitalizar feira

Química e Derivados, FEITINTAS

A próxima Feitintas será um marco na história do setor de tintas e vernizes. Não só pela feira em si, recheada de boas mudanças, mas pelos fatores subjacentes que extrapolam o período e o local determinados – de 18 a 21 de setembro, no Centro de Exposições Imigrantes, em São Paulo.

Esta oitava edição da Feira e Simpósio Internacional de Tintas resulta da conjugação de esforços das duas mais representativas entidades ligadas ao setor de tintas e vernizes no Brasil: a Associação Brasileira dos Fabricantes de Tintas (Abrafati) e o Sindicato da Indústria de Tintas e Vernizes do Estado de São Paulo (Sitivesp). O relacionamento distante deu lugar a um conceito de atuação colaborativa, visando o bem da atividade setorial.

“Não havia sentido nós caminharmos tão distantes um do outro, porque o objetivo é fortalecer o setor. Há diferenças de alcance geográfico e de escopo de atuação – o sindicato tem atribuições legais, originadas na Consolidação das Leis do Trabalho –, mas nada disso impede uma postura colaborativa de ambas as partes”, considerou Ricardo Stiepcich, presidente do Sitivesp.

Ele admite que há diferenças culturais entre as entidades, mas isso não tem prejudicado o trabalho conjunto para a preparação da Feitintas, iniciado em janeiro deste ano. “O resultado está sendo excelente, apesar do pouco tempo que tivemos para esta feira. A próxima, em 2014, com certeza será muito mais fácil”, afirmou.

A primeira e mais perceptível inovação deste ano foi a mudança de data: era originalmente prevista para 19 a 22 de setembro. Isso revela a decisão das entidades de ajustar o foco do evento para um público mais profissional. “Além de acontecer de terça a sexta-feira, o horário da feira vai das 10 às 19 horas, e o do simpósio, das 15 às 18 horas, porque são direcionados para um público capaz de se programar para ir até lá no horário de serviço”, comentou Telma Florêncio, gerente de marketing e administração da Abrafati e líder da organização da Feitintas.

A segunda mudança mais visível foi a introdução de um simpósio, dividido em duas áreas distintas: pintura decorativa imobiliária e repintura automotiva, não por acaso os maiores mercados de tintas no país. “O simpósio é fundamental para atrair visitantes interessados no negócio. Quando o antigo Paint Show, nos Estados Unidos, tirou o congresso da programação, ele perdeu força, tanto que depois, já como ICE, o congresso voltou”, comentou Stiepcich. “O simpósio atrairá o pessoal mais especializado das empresas, os técnicos ou mesmo os donos de lojas e oficinas”, comentou Telma. Ela salientou que a Feitintas será direcionada para informação. “Queremos que a feira agregue uma experiência nova para os visitantes”, salientou.

Dilson Ferreira, presidente executivo da Abrafati, considerou que “as mudanças promovidas na Feitintas foram planejadas com o objetivo de atender de forma ampla às necessidades dos expositores, atraindo um público qualificado e criando um ambiente propício para a apresentação de inovações, o incentivo aos negócios, o networking e a disseminação de conhecimentos. Isso implicou dar maior abrangência e relevância à Feitintas, revitalizando a feira e agregando conteúdo a ela, por meio de um simpósio de alto nível”.

Focos distintos – A Feitintas, promoção tradicional do Sitivesp, e o Congresso e Exposição Internacional da Abrafati estabeleceram seus objetivos estratégicos, agora definitivamente complementares. “A Abrafati olha para a tinta do futuro, enquanto a Feitintas olha para a cadeia produtiva das tintas no futuro”, resumiu Telma Florêncio. E isso não é pouco. Ela mencionou, por exemplo, a participação crescente dos home centers nas vendas de tintas no varejo, uma alteração de comportamento cujo impacto precisa ser compreendido por todos os elos do setor.

A própria Abrafati já havia feito movimentos nessa direção, ao lançar o Programa Setorial de Qualidade (PSQ), o livro de rótulos e materiais informativos para auxiliar a formação de vendedores de tintas. Aliás, durante a Feitintas, serão comemorados os dez anos do PSQ, com a presença das 27 fabricantes credenciadas. “Também temos o programa Pintor Profissional, para formar pessoal qualificado para usar bem as tintas”, comentou.

Química e Derivados, FEITINTAS 2012, Ricardo Stiepcich, presidente do Sitivesp
Stiepcich: simpósio atrai pública ligado ao negócio

“Mesmo tendo concentrado o foco em dois segmentos de mercado, o público ainda terá interesses variados, exigindo esforços para que sejam atendidos”, avaliou Stiepcich. Ele identificou que a área imobiliária dará ênfase para os revendedores, construtores e arquitetos ou decoradores. Por sua vez, a repintura automotiva se voltará com mais ênfase para donos de oficinas e técnicos do ramo. “Deixamos os pintores de lado, mas era preciso definir o foco, não havia outra maneira”, lamentou.

Em compensação, o presidente do Sitivesp, também diretor da Futura Tintas, afirma que a entidade busca uma aproximação maior com os profissionais da pintura. “Oferecemos cursos, encontros comemorativos e várias promoções diferentes para isso”, informou.

Neste ano, o Sitivesp comemorará o Dia do Pintor na data prevista em lei: 18 de outubro, no Espaço Dom Pedro, no Parque Zoológico de São Paulo. “Estamos sendo ousados, pois é uma quinta-feira e o encontro será feito durante o dia, com a presença das famílias”, comentou. Além disso, não serão servidas bebidas alcoólicas. “Precisamos acabar com a imagem distorcida de que o pintor é um cachaceiro ignorante, podemos oferecer a eles mais do que churrasco e bebida”, defende Stiepcich.

O Dia do Pintor do Sitivesp pretende acolher bem os profissionais que participarem, em ambiente agradável, com comes e bebes adequados, e ainda, oferecer informações técnicas sobre produtos e processos de aplicação, bem como sobre saúde, higiene e segurança. “Além disso, nós da indústria de tintas queremos homenageá-los, porque eles merecem isso, são fundamentais para o nosso negócio”, explicou.

Mesmo contratando pintores qualificados, a pintura de uma casa quase sempre representa um transtorno: movimentação de móveis, poeira, respingos, cheiro etc. “Compete a nós da indústria nos esforçarmos para reduzir esse transtorno ao mínimo e transformar essa experiência de pintura em uma passagem agradável ou, pelo menos, não traumática”, disse. “A Feitintas é o lugar para mostrar essas inovações.”

Recuperação de mercado – O início do segundo semestre promete trazer a recuperação de vendas, estagnadas durante a primeira metade do ano. “O mercado está muito instável, com altos e baixos. A indústria de tintas teve um desempenho fraco no primeiro semestre, mas acreditamos em resultados um pouco melhores no restante do ano, abrindo espaço para um crescimento mais consistente em 2013. Esperamos crescer 1% acima do PIB no próximo ano, o que pode significar uma expansão de 5%”, avaliou Dilson Ferreira.

“As oportunidades estão por aí, quem se esconde delas vende menos”, disse Stiepcich, defendendo a participação maciça do setor na Feitintas, promoção à qual sua empresa nunca faltou. “Os dados agregados podem mostrar uma queda, mas algumas empresas, como a Futura, tiveram um primeiro semestre com vendas muito boas”, informou. “E os primeiros números do segundo semestre já superam os do ano anterior.”

Ferreira acredita que o aumento da renda das famílias manterá elevados os níveis de consumo de bens, alavancando a venda de tintas. “As medidas oficiais de incentivo à construção civil e de desoneração fiscal de bens de consumo duráveis, como eletrodomésticos, veículos e móveis, também melhoram o quadro”, comentou.

Dados apresentados pela entidade setorial no Fórum Abrafati de Tintas, em agosto, indicaram a expectativa de crescimento entre 2% e 3% no mercado das tintas imobiliárias no país. A pintura automotiva original deve apresentar uma redução na mesma magnitude, entre 2% e 3%, enquanto o setor de repintura tende a ampliar o consumo de tintas entre 3% e 4%.

O Sitivesp apontou o crescimento do consumo nacional de tintas em 2011 de 2,53% sobre o ano anterior, somando 1,495 bilhão de litros. Esse volume gerou um faturamento de US$ 5,12 bilhões em 2011, contra US$ 4,51 bilhões registrados em 2010 (veja tabela).

Química e Derivados, FEITINTAS 2012, Números do setor de Tintas e Vernizes
Números do Setor - Clique para ampliar

O presidente da Abrafati observa que o setor já enfrentou vários momentos de instabilidade em sua história e acumulou experiência para lidar com situações adversas. “Além de buscar formas de reduzir custos e racionalizar o uso de insumos, temos de investir na promoção e valorização das tintas. O consumidor, cujo dinheiro é disputado por inúmeros produtos e serviços, precisa estar convencido da importância das tintas e da pintura. O setor tem trabalhado nessa direção, ao lançar produtos cada vez mais inovadores e sustentáveis, com alta qualidade, enquanto investe na capacitação de pintores, pois o consumidor, ao comprar a tinta, não quer o líquido, mas a parede ou outra superfície pintada”, salientou. Ele acrescentou que o setor deve seguir trabalhando para sensibilizar o governo para intensificar as medidas de estímulo à economia e também a desoneração fiscal. Em tempo: o Ministério da Fazenda acabou de anunciar que prorrogou até o dia 31 de dezembro de 2013 o período de isenção do IPI incidente sobre tintas e materiais de construção em geral.

Química e Derivados, FEITINTAS 2012, Dilson Ferreira, presidente executivo da Abrafati
Ferreira: feira ajuda a criar clima positivo para o futuro

“O fato de a Feitintas estar sendo realizada em um período de incertezas e instabilidades deve ser interpretado como positivo, pelo estímulo que proporciona aos negócios e à criação de um clima mais otimista para o futuro, que tem perspectivas bastante favoráveis”, ressaltou Ferreira.

Aproveitar a ocasião – Custa caro participar de uma feira de negócios. Além do aluguel do espaço e da montagem do estande, é preciso computar as despesas para manter as equipes de atendimento durante o evento e muitas outras. “É preciso que o expositor se prepare muito bem para aproveitar o investimento”, apontou Telma Florêncio.

Isso começa pela escolha e dimensionamento do espaço a ser ocupado. Para Telma, o tamanho do estande deve ser proporcional ao do negócio, sem exageros. As expositoras também devem se apresentar de forma adequada, projetando seus valores para o mercado. A organização dos trabalhos durante a feira começa bem antes dela. “Os participantes devem antecipar a agenda de reuniões com os principais clientes para evitar atropelos e perdas de oportunidades”, aconselhou. Durante uma feira, é possível falar com dez a vinte clientes no mesmo dia, enquanto fora dela isso levaria meses. “Os lançamentos de produtos devem ser bem planejados e divulgados para aproveitar o momento”, disse.

Telma também recomenda atenção para o fato de os negócios não se encerrarem com a feira. “Muitas conversas precisam ser continuadas depois e podem render resultados importantes”, observou. Por isso, ela aconselha: menos festa e mais negócios.

A feira pode ser vista por um ângulo inusitado. “Teremos uma grande visitação de empresas do exterior que ainda não atuam no nosso mercado. São distribuidores, redes de varejo e até fabricantes de tintas que podem ter interesse em adquirir alguma empresa ou promover associações”, comentou a líder da Feitintas.

Química e Derivados, FEITINTAS 2012, Telma Florêncio, gerente de marketing e administração da Abrafati
Telma: mudança de data e horário vai ressaltar o enfoque profissional

O simpósio, considerado o grande fator de atração para a Feitintas, teve palestras escolhidas criteriosamente. No ramo imobiliário, serão tratados temas como a promoção das vendas de cores, bem como novos produtos que podem interessar aos construtores, atentos aos reflexos no resultado financeiro das obras. Para o setor de repintura automotiva, as palestras mostrarão conceitos inovadores em oficinas de pintura, não apenas do ponto de vista tecnológico, mas também abordando a organização e a administração do negócio, tendo por objetivo maximizar a rentabilidade para seus proprietários e a satisfação dos clientes. Ponto alto do evento será a presença de Chip Foose, um dos nomes mais conhecidos do mundo em tunning de carros (personalização), estrela do programa de televisão Overhaulin’, que já tem uma versão tropicalizada, chamada Lata Velha. “Além de palestra, ele participará de dois dias da exposição, interagindo com os visitantes”, comentou Telma.

A organização espera a visitação média de três mil pessoas por dia. “Para as próximas edições, com o reposicionamento da feira e simpósio, esperamos um público ainda maior, e com mais expositores”, comentou Telma.

Antes que se estranhe: as grandes fabricantes de tintas não terão estandes próprios nesta edição, embora figurem na lista dos patrocinadores e dos palestrantes. “A reestruturação da feira começou em janeiro e elas já haviam fechado sua programação anual de eventos, mas elas estarão presentes nas próximas edições”, afirmou.

 

As novidades da FEITINTAS 2012

 Textos produzidos com base nas informações enviadas pelos expositores para a redação de Química e Derivados

 

ALTMANN

Tradicional fornecedora de instrumentos científicos para controle de qualidade e pesquisas, além de contar com alguns itens para controle on-line de processos, a Altmann apresentará com destaque na Feitintas os homogeneizadores da Microfluidcs e as câmaras de simulação de ambiente para ensaios de durabilidade fabricadas pela Qualmark. A americana Microfluidcs produz há mais de 20 anos homogeneizadores de alta pressão para pesquisa e desenvolvimento na área farmacêutica, cosmética, química, alimentícia, bebidas entre outras. Esses equipamentos são utilizados na preparação de emulsões, dispersões, rupturas de células, vacinas, encapsulação, trabalhando com pequenos volumes de amostras (14 ml) até grandes volumes. Por sua vez, a Qualmark é pioneira no uso da técnica HALT/HASS nas câmaras de simulação de ambientes para testes acelerados de durabilidade. Combinando e variando os fatores vibração e temperatura, é possível diminuir o tempo de desenvolvimento de um produto e encontrar falhas antes que essas cheguem ao mercado.

 

Química e Derivados, Coadores ModeloCOADORES MODELO

Oferece seis tipos diferentes de coadores para tintas, com tecnologia inovadora e alta resistência. Os itens descartáveis são fabricados com papel especial e não usam cola durante a fabricação, evitando a contaminação das tintas a serem coadas. Dependendo da aplicação, esses acessórios apresentam configuração adequada. Há modelos específicos para tintas automotivas sólidas (sem efeitos metálicos), para tintas automotivas metálicas, primers e também tintas a óleo, neste caso com trama mais larga, compatível com essas tintas mais densas. Outros tipos são adequados a produtos mais finos, como os vernizes e as tintas látex de base aquosa, com tramas desenhadas para cada caso. Também são fabricados coadores de alumínio reutilizáveis – basta limpá-los com tíner. A linha usual da Modelo compreende o tamanho pequeno desse coador. Nesta Feitintas, a empresa lançará o coador de alumínio gigante, para latas de 18 litros.

 

DEERFOS

A sul-coreana Deerfos Corporation traz ao Brasil seu portfólio de abrasivos profissionais, produtos nos quais lidera o mercado asiático. Para a Feitintas, a Deerfos trouxe o inovador Disco Film, um disco de plástico para lixamento a seco, com diâmetros variados, principalmente na faixa de cinco a seis polegadas, com grana de 36 a 2.000, podendo ter furos para a aspiração do pó. Segundo a empresa, o Disco Film substitui os discos de fibra e os flap discs, com melhor desempenho.

 

Química e Derivados, Futura TintasFUTURA

A Futura Tintas aproveita a ocasião para apresentar inovações, entre elas, novas embalagens e nova identidade visual da marca, além do lançamento da linha Cortex, a primeira tinta econômica sem cheiro do Brasil, criada com base nas pesquisas de percepção de clientes e consumidores. Outros lançamentos são o esmalte sintético metálico Futurit, que confere acabamento sofisticado para superfícies de metal e madeira, com ótima secagem e durabilidade, e a resina protetora para pedra e telha Futura Premium, com alto desempenho, baixo odor e brilho acentuado.

Química e Derivados, JetfluxJETFLUX

A franquia fornece soluções inovadoras para pintura imobiliária, industrial, automotiva e moveleira, mediante a aplicação de equipamentos, produtos, treinamento e assistência técnica, gerando alta produtividade com aumento de qualidade no acabamento, com menor desgaste físico para o pintor e diminuição de desperdícios e resíduos. A franquia Jetflux – Instituto da Pintura tem várias fontes de receita e não se destina apenas ao atual momento aquecido da construção civil. Apesar do baixo investimento requerido, é um empreendimento sólido. Conta com produtos da linha Graco, de lixadeiras e sistemas de pintura.

 

 

MONTANA

Química e Derivados, Montana QuímicaConhecida fabricante de tintas protetivas para madeira, a Montana Química dará destaque para dois novos produtos. O Osmocolor Stain Cores Sólidas permite proteger e colorir a madeira simultaneamente. Com duplo filtro solar e alta concentração de pigmentos, consegue proteger o substrato e manter a coloração por longo tempo sem amarelar. Isso também se deve às resinas e solventes de alta qualidade empregados nas formulações. O Osmocolor oferece alto poder de cobertura, sem esconder os desenhos naturais da madeira. Em nova embalagem, é apresentado em tons coloniais de azul, verde, vermelho e branco, além dos tons pastéis de pêssego, marfim e verde. Outro produto destacado é o Solare Premium, verniz com duplo filtro solar que forma uma película flexível, evitando trincas precoces, protegendo madeira e móveis expostos ao relento. É disponível em tons de mogno, imbuia e transparente. O Solare Premium oferece 40 meses de garantia de desempenho.

 

Química e Derivados, FEITINTAS, PoliequipPOLIEQUIP

Distribuidora dos produtos Graco, a Poliequip estreia na Feitintas ressaltando seus equipamentos para pintura e aplicação de texturas air less (sem ar comprimido). Em seu estande, exibirá alguns modelos de máquinas como a 390, leve e robusta, utilizada para tintas acrílicas, látex e esmaltes; e a Mark IV, para aplicar massa corrida, tintas epóxi e de poliuretano, primers e selantes, além das tradicionais látex, acrílica e esmalte, de maneira rápida e prática. Além delas, estará presente a RTX 1500, máquina para aplicação de grafiato e todas as outras texturas com partículas, capaz de reduzir em 80% o tempo do serviço.

 

TINTAS REAL

Química e Derivados, FEITINTAS 2012, Tintas RealLevará para a feira sua linha completa de tintas acrílicas, esmaltes sintéticos e de base água, vernizes, solventes, impermeabilizantes, texturizados, massas niveladoras, e complementos. Nas tintas acrílicas, a Tintas Real destaca os produtos: Real Cril – tinta econômica indicada para ambientes internos, com rendimento até 320 m²/ demão (lata de 18 litros), aceitando diluição até 40% com adição de água; Real Máximo Rendimento – acrílica standard, rende até 350 m²/demão, com boa transferência e alastramento, indicada para superfícies internas e externas cobertas por massa, concreto, fibrocimento ou pinturas anteriores, podendo ser diluída a 60%; Real Máxima Cobertura – acrílica premium, capaz de cobrir 351 m²/demão, com excelente resultado, admitindo diluição a 50%, gerando baixo odor. As três linhas citadas participam do Programa Setorial de Qualidade (PSQ), da Abrafati.

 

[box_light]Para mais informações sobre a FEITINTAS 2012, Clique aqui.[/box_light]

2 Comentários

  1. Quero saber se vocês têm representante na cidade de São Carlos São Paulo…quero saber telefone da loija de São Carlos sp

  2. Com relação aos COADORES MODELO
    Qual a variação de micragem dos filtros?
    Qual o custo?
    Qual o prazo de entrega?
    E qual a disponibilidade de se fazer um teste?

    Att

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.