Couro e Curtumes

Feira: Em abril, Fimec exibe evolução tecnológica da cadeia do couro

Quimica e Derivados
26 de fevereiro de 2005
    -(reset)+

    A Feira Internacional de Couros, Químicos, Componentes e Acessórios, Equipamentos e Máquinas para Calçados e Curtumes (Fimec) é considerada atualmente um dos três eventos mais importantes do setor em âmbito mundial. Sua 29ª edição acontece de 19 a 22 de abril de 2005, nos pavilhões da Fenac, em Novo Hamburgo. A cidade gaúcha junto com Franca, em São Paulo, responde por quase 90% da produção de couros e seus artefatos no País. Como acontece anualmente, a Fimec é o palco para apresentação das tecnologias de ponta em máquinas e equipamentos e insumos de maneira geral. Se depender do presidente da feira, Júlio César Seidl, a Fimec 2005 será novamente uma feira de sucesso.

    Da mesma forma a indústria química do setor já consolidou sua participação na Fimec. Todas as marcas consagradas garantiram presença. “Vamos bater todos recordes em expositores e visitantes. A exportação está crescendo e nos tornamos competitivos na Europa”, assegura Seidl. Segundo ele, somente em componentes foram 800 mil dólares vendidos no exterior em 2004. Mais US$ 1,5 bilhão em couro e US$ 4 bilhões em calçados montados.

    Para a Fimec 2005 já estão cadastrados 1,1 mil expositores, 50 a mais em relação ao ano passado. “Tudo o que há de tecnologia em couro estará presente. A nossa feira se consolida como uma das mais importantes do mundo”, comemora Seidl. Por conta disso, o número de países participantes também vai crescer para 40. São dez a mais na comparação com 2004. Conforme explicou, a infra-estrutura está pronta com uma rede de completa hotéis espalhada pela região metropolitana de Porto Alegre, serviço gratuito de transporte para a feira e recepção em francês, inglês, alemão, espanhol e italiano.

    Também na 29ª Fimec, será lançado oficialmente o XVII Encontro Nacional dos Químicos e Técnicos da Indústria do Couro, marcado para o segundo semestre, também em Novo Hamburgo. Um outro evento paralelo importante para a indústria química voltada ao atendimento dos curtumes será a reunião da Federação Latino-Americana dos Químicos e Técnicos da Indústria do Couro (Flaqtic). Além disso, a Fimec oferece uma série de recursos para os departamentos de marketing das empresas, como o Projeto Comprador Abrameq, o Al Invest, patrocinado pela União Européia, e o projeto Unisinos/Assintecal – programa também voltado à promoção de encontros entre empresas da Europa e América Latina.

    Há ainda o “Projeto Comprador – Brazilian Leather CICB/APEX”, patrocinado pelo Centro da Indústria de Couro do Brasil e a Agência de Exportação do governo federal, com a participação de quinze importadores de couro de países como Bélgica, Polônia, Indonésia, Índia, França e Vietnã. Eles participarão de rodadas de negócios com os curtumes nacionais associados às principais entidades representativas da cadeia produtiva do couro no País. Atualmente, o Brasil, produz meio bilhão de pares de calçados, concentra uma das mais desenvolvidas cadeias produtivas do setor em todo o mundo, quase 4 mil fábricas de calçados, aproximadamente uma centena de construtores de máquinas para couro e calçados e 1,3 mil fabricantes de componentes. No setor coureiro, o País comercializa com o exterior um número próximo a 20 milhões de peles anualmente, entre exportações e importações.



    Recomendamos também:








    0 Comentários


    Seja o primeiro a comentar!


    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *