Farmacêutico e Biotecnologia

FCE Pharma e FCE Cosmetique – Indústrias investem na otimização de processos e para reduzir custos

Hamilton Almeida
28 de julho de 2015
    -(reset)+

    Química e Derivados, Thelma: espessante celulósico oferece grande versatilidade

    Thelma: espessante celulósico oferece grande versatilidade

    A Lubrizol não só ampliará a sua atuação local com um maior portfolio de produtos, como também irá aumentar a sua competitividade e o volume de negócios. Os tensoativos a ser fabricados terão como diferencial a sustentabilidade e o alto grau de vegetalização, contribuindo com a demanda crescente dos clientes em reduzir o impacto ambiental na composição dos produtos finais.

    A Dow lançou uma nova solução para aplicação em hidratantes corporais, o EcoSmooth Delight, e apresentou diversas aplicações do Ethocel, solução espessante para formulações base óleo. “O EcoSmooth Delight pode agregar atributos aos produtos e diferenciá-los neste mercado que é tão competitivo. A Dow aposta nesta inovação para continuar fortalecendo a sua posição no setor, com um crescimento sustentável. O produto proporciona experiências sensoriais únicas ao consumidor final”, ressaltou Thelma Bayoud, gerente de marketing para América Latina para cuidados domésticos e pessoais.

    O Ethocel STD 100 Premium é um composto vegetal obtido a partir da celulose, que confere textura e viscosidade aos óleos, podendo ser aplicado em diversos produtos, tais como óleos corporais e para cabelos, protetores solares, óleos bronzeadores, gloss labiais, entre outros. Além de estruturante para óleos, o produto forma um filme protetor sobre a pele e cabelos, contribuindo para a redução da perda de água e hidratação.

    A tecnologia mantém todas as propriedades de produtos à base de óleos, como brilho e hidratação, resultando em texturas óleo-gel fluidas a viscosas, de sensorial leve e agradável e de fácil aplicação, retirando o aspecto pegajoso, característico de formulações oleosas. Além disso, dá viscosidade e transparência aos produtos, deixando-os com uma aparência visual clean. “A tendência é que as soluções sejam cada vez mais multi-plataformas, por isso, a palavra que define o Ethocel é versatilidade. A maior característica do produto é a experiência sensorial de rápida absorção e sem pegajosidade que ele proporciona”, frisou Thelma.

    A Merck divulgou ativos funcionais, como as linhas RonaCare AP e os antioxidantes Oxynex. Na linha de pigmentos, o Colorona Tangerine Orange e o RonaFlair, à base de dióxido de titânio, que oferece efeitos de homogeneização para diferentes tons de pele.

    Química e Derivados, Abreu: setor farmacêutico revê projeções de mercado

    Abreu: setor farmacêutico revê projeções de mercado

    Sindusfarma – Ao discorrer na Jornada Sindusfarma sobre “Os aspectos econômicos do Brasil farmacêutico”, Bruno Abreu informou que, em 2014, o setor faturou R$ 41,93 bilhões (com base nos preços praticados), perfazendo um crescimento de 11,69% em comparação com o exercício anterior. Em outra medição, de preço lista, as receitas somaram R$ 65,97 bilhões (13% a mais).

    Citando as estatísticas do Ims-Health, Abreu disse que foram vendidas 3,12 bilhões de unidades no ano passado, um acréscimo de 7,88%. Os medicamentos genéricos responderam por 27,94% das caixas e 24,7% do faturamento total. O país conta com 269 empresas farmacêuticas, que elaboram 9.037 produtos em 25.797 apresentações. Manipula-se 2.260 substâncias de 447 classes terapêuticas. Verificando os dados de 2004 para cá, o mercado farmacêutico, ainda que seja um segmento regulado pelo Governo, só não cresceu dois dígitos por ano em 2007, quando a evolução foi de 9,93%.

    Os gastos do Ministério da Saúde com medicamentos também é crescente. Em 2014, o Governo desembolsou R$ 16,2 bilhões (R$ 15,4 bilhões em 2013). No período de 2010 a 2014, essas despesas evoluíram 13,9%. As expectativas de evolução do mercado no Brasil até o ano de 2017 estão sendo reformuladas.

    Abreu questionou a elevada carga tributária nacional, que “drena muitos recursos do setor”. Os cerca de 20 impostos incidentes sobre os medicamentos equivalem a 33,9% do preço final, uma das taxas mais elevadas do mundo. Na Argentina, a carga é de 21%; Áustria, 20%; Estados Unidos, México, Venezuela, Suécia, Colômbia, Canadá e Reino Unido, 0%. A média planetária, sem o Brasil, é de 6,3%. “O ideal seria termos uma incidência tributária da ordem de 6% a 8%”, opinou o gerente do Sindusfarma. A realidade nacional é contrastante: os medicamentos veterinários têm carga tributária de 13,1%.

    Química e Derivados, Fernanda: linha de ômega-3 pode substituir estatinas

    Fernanda: linha de ômega-3 pode substituir estatinas

    FCE Pharma

    A Basf apresentou a linha de ômega-3 para uso em medicamentos, suplementos nutricionais e nutrição clínica. “São produtos com alta concentração de ácidos graxos, principalmente o etiléster de ácidos graxos de ômega-3 ou K85EE (EPA/DHA 46:38). Podem, em alguns casos, substituir 100% das estatinas ou ser usado em associação”, declarou Fernanda Furlan, gerente da área.

    Outros produtos: Kollicoat, polímero para revestimento de comprimidos; Soluplus, dissolvedor de ativos farmacêuticos pouco solúveis devido à sua elevada fluidez e capacidade de extrusão – tem desempenho superior na formação de soluções sólidas, especialmente em processos de extrusão a quente. “Evita o uso de solventes orgânicos. Não usa água e reduz o consumo de energia”, completou Fernanda. Kollidon, polímero PVP, usado principalmente como excipiente em comprimidos com características desintegrantes e aglutinantes; Ibuprofeno, anti-inflamatório não esteroide.



    Recomendamos também:








    0 Comentários


    Seja o primeiro a comentar!


    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *