Farmacêutico e Biotecnologia

FCE Cosmetique 2017 – Prévia: Em novo endereço, exposição reforça área de inovação tecnológica e o atendimento aos visitantes

Hamilton Almeida
21 de maio de 2017
    -(reset)+

    O Suppliers’Day acontece há mais de 50 anos nos Estados Unidos. É considerado o encontro mais importante sobre matérias-primas cosméticas. Em 2016, reuniu cerca de 8 mil visitantes de mais de 31 países. Para este ano, com expectativa de público mais qualificado, foi realizado nos dias 2 e 3 de maio, três semanas antes da FCE.

    Por causa dessa parceria, os participantes podem assistir palestras e debates sobre todas as tendências mundiais, novos conceitos e soluções. Além de o público ter acesso a um conteúdo inédito no Brasil, será uma oportunidade de aproximação e geração de negócios com empresas internacionais.

    Outro ponto forte dessa parceria é o canal de comunicação direto entre os dois eventos. A feira americana divulga a FCE Cosmetique para os seus expositores e visitantes. Fundada há mais de dez anos em Buenos Aires, a Felascc promove o Colamicq – Congresso Latino-americano e Ibérico de Químicos Cosméticos.

    Picolo está convencido de que a 22ª FCE Cosmetique “será um grande sucesso. Estamos com 98% dos espaços vendidos até agora (no final de abril). Isso representa cerca de 20 mil m2 de exposição e mais de 500 marcas expositoras. E esperamos um maior número de visitantes neste ano”. No ano passado, foram registradas, aproximadamente, 14 mil pessoas no evento, que ocorre paralelamente à FCE Pharma”.

    Química e Derivados, Ana Carolina: produtos veganos e Halal estão em crescimento

    Ana Carolina: produtos veganos e Halal estão em crescimento

    Congresso – O 30º Congresso Brasileiro de Cosmetologia tem como tema “Inovação e tendências: a influência do consumidor”. Ana Carolina Ribeiro, diretora científica da Associação Brasileira de Cosmetologia (ABC) e coordenadora geral do congresso, explica que hoje em dia o consumidor é quem dita as necessidades do mercado. E os produtos que têm sucesso são justamente aqueles que chegam para atender a uma demanda real e específica.

    Antigamente, a área de pesquisa e desenvolvimento era quem ditava as diretrizes para serem trabalhadas pelo marketing. Agora, faz-se o caminho inverso, pondera Ana Carolina. A programação do 30º Congresso foi montada justamente para exibir quais são essas novas necessidades ou novos nichos de mercado que estão surgindo.

    Para os três dias do congresso, estão programados seis palestras magistrais, três workshops seguidos de mesas-redondas e dez palestras científicas. A palestra magistral inaugural, no dia 23, às 9h35, está a cargo da Federação das Associações Muçulmanas do Brasil (Fambras): “Cosméticos Halal: uma tendência em expansão”. Na análise de Ana Carolina, este é um segmento de mercado mundial muito grande e com considerável poder aquisitivo. No mesmo dia, às 12h15, “Certificação vegana para produtos cosméticos”, por Carol Murua, da Sociedade Vegetariana Brasileira. “8% da população brasileira é vegana”, salienta.

    “Inovação para o mercado de luxo”, por Amy Wyatt, da Chanel, é o tema da palestra magistral do dia 24, às 9h35; às 12h15, “Design multissensorial inspirado na neurociência”, por Charles Spence. “Não se pode falar de percepção do consumidor sem falar de sensorial. Esse pesquisador de Oxford tratará da conexão sensorial que temos com os cosméticos”, expõe Ana Carolina.

    No dia 25, às 9h35, a palestra “Cuidados específicos para a pele de pacientes oncológicos” será proferida por Lídia Morus, da Dermagroup. E, às 11h40, Messias Larissa, da Estée Lauder, aborda “Mercado de luxo brasileiro”. Os workshops estão divididos entre os seguintes assuntos: biodiversidade (dia 23); empreendedorismo e tecnologia (24); e perfil do consumidor (25).

    No último dia, Airton Rodrigues, das Faculdades de Campinas (Facamp), falará às 14h sobre “Tendências do consumidor”. Gisele Souza, da Givaudan, às 14h45, discorrerá sobre “Perfumaria fina ou produtos de consumo: qual o destino das fragrâncias?”.

    Entre as palestras científicas, destaque para os ativos antipoluição, ou seja, o dano que a poluição causa à pele e como tratá-lo; e também como se proteger dos malefícios da luz azul, que emana dos celulares, computadores e tablets.

    Mercado abalado – Em 2015, o mercado de higiene pessoal, perfumaria e cosméticos registrou, pela primeira vez nos anteriores 23 anos, um declínio (cerca de 9%), conforme a Associação Brasileira da Indústria de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos (Abihpec). Esse resultado negativo foi influenciado pela alta do dólar e o aumento da carga tributária sobre produtos importados, tendo como pano de fundo a recessão geral que ainda afeta a economia nacional.

    A boa notícia é que o mercado já apresenta sinais de retomada. As vendas, no primeiro semestre do ano passado, fecharam com um crescimento de 3%, em relação ao desempenho do mesmo período de 2015. Houve um faturamento de R$ 20,92 bilhões, sendo R$ 13,29 bilhões em higiene pessoal, R$ 4,19 bilhões em cosméticos e R$ 3,44 bilhões em perfumaria.



    Recomendamos também:








    0 Comentários


    Seja o primeiro a comentar!


    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *