FCE 2016 – Cosméticos e Farmacêuticos atraem público ávido por novos produtos e conhecimentos

Química e Derivados, FCE 2016: Cosméticos e farmacêuticos atraem público ávido por novos produtos e conhecimentos

Química e Derivados, FCE 2016: Cosméticos e farmacêuticos atraem público ávido por novos produtos e conhecimentos

Química e Derivados, FCE: Silicone atua contra poluiçãoEm meio a turbulências políticas e econômicas, as 21ª edições da FCE Cosmetique – Exposição Internacional de Tecnologia para a Indústria Cosmética e da FCE Pharma – Exposição Internacional de Tecnologia para a Indústria Farmacêutica e a 3ª Powtech Brasil – Conferência e Exposição de processamento, análise e manuseio para sólidos secos a granel, partículas e pós finos não deixaram de motivar os respectivos setores, atraindo uma clientela especializada ávida por novidades e busca de conhecimento técnico.

A realização dos eventos no período de 10 a 12 de maio coincidiu com o epílogo do governo Dilma Rousseff (a presidente foi afastada por até 180 dias pelo Senado Federal, no processo de impeachment, na manhã do dia 12) e o início da gestão Michel Temer. O desenrolar dos acontecimentos históricos em Brasília não afetou, no entanto, a dinâmica dos trabalhos naquelas que são consideradas as principais plataformas de negócios da cadeia produtiva de cosméticos e farmacêuticos na América Latina.

Cerca de 500 marcas expuseram novidades e linhas de produtos no Transamérica Expo Center, em São Paulo, para 14.137 visitantes, 44% dos quais com perfil de tomadores de decisão, como presidentes, vice-presidentes, diretores e sócios proprietários de revendas no país e no exterior, incluindo representantes da Hypermarcas, Eurofarma, Natura e L´Oréal. Lígia Amorim, diretora geral da NürnbergMesse Brasil, empresa organizadora dos eventos, considerou normal a diminuição do número de visitas, em relação à edição anterior (16.792), como decorrência do aumento do desemprego no país, reflexo da aguda crise econômica.

Química e Derivados, Hansen: crise não prejudicou a qualidade da programação
Hansen: crise não prejudicou a qualidade da programação

“As empresas enviaram menos pessoas para visitar as exposições. Em compensação, o nível dos visitantes vem se elevando”, afirmou Lígia. “O que se percebeu – prosseguiu – é que as empresas que se prepararam obtiveram excelentes resultados, pois puderam treinar as equipes de vendas e observar a concorrência. As atividades paralelas – dois congressos, Arena do Conhecimento e a Powtec – otimizaram a participação criando um ambiente para troca de experiências”.

O presidente da Associação Brasileira de Cosmetologia (ABC), João Hansen, admitiu que foi “extremamente dura” a tarefa de manter o nível de patrocínio de 2015. Diante da diminuição do volume de recursos dos patrocinadores, assim como do número de congressistas e de expositores, custos tiveram que ser cortados. Por outro lado, o interesse do público, já no primeiro dia, surpreendeu: “A feira superou as expectativas. Quem não veio deve estar arrependido”, arrematou o executivo.

“Mal acostumado” com uma taxa de crescimento anual na casa de dois dígitos, o setor de cosméticos provou o sabor amargo da crise econômica em 2015: queda de 8% no faturamento (R$ 42,6 bilhões líquido de imposto sobre vendas), o primeiro indicador negativo em 23 anos. Hansen se referiu ao aumento da carga tributária em determinadas categorias de produtos, ao reajuste do custo da energia, à desvalorização do real e à instabilidade política como fatores de retração do consumo e dos investimentos.

De acordo com a Associação Brasileira da Indústria de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos (Abihpec), o Brasil perdeu posição no ranking mundial de consumo, passando da terceira para a quarta posição, atrás dos Estados Unidos, China e Japão. Por tudo isso, Hansen avalia que se o desempenho deste ano for igual ao do exercício anterior, “será um golaço”. Tudo dependerá da marcha dos novos rumos políticos do país. Enquanto isso, o setor também aguarda uma harmonização da regulação do mercado (as barreiras regulatórias não são iguais entre os países), e a solução de outras questões como, por exemplo, o prazo de validade das matérias-primas.
Em contrapartida, no 29ª Congresso Brasileiro de Cosmetologia, Rodrigo Kurata, diretor da área de marketing da IMS Health, dissertou sobre o bom momento dos dermocosméticos, uma categoria transversal de produtos, que mistura cosmético com farmacêutico. Esses itens são receitados por dermatologistas, comercializados somente nas farmácias e atendem as normas da Anvisa. O segmento vem crescendo, segundo Kurata, a taxas de 11% ao ano e já movimentam cerca de R$ 2,8 bilhões/ano. A expectativa para 2016, por causa da recessão, é crescer menos. As perspectivas no médio prazo, entretanto, são favoráveis: “O consumidor não deixa de consumir o que faz bem para ele”, declarou.

Renato Meirelles, presidente da Data Popular Brasil, abordou no Congresso as “Atitudes e comportamento dos novos consumidores brasileiros neste cenário de crise”. Os números do estudo confirmaram o novo perfil da população brasileira e como ela reage no momento da compra e seleção de marca: 54% da população se enquadra na classe C; a renda familiar média dos 25% mais pobres foi a que mais cresceu na última década. Já as classes A e B, passaram de 14% para 25% da população, ancoradas, basicamente, no empreendedorismo: pessoas que antes pertenciam à classe C, nos últimos 10 anos montaram os seus próprios negócios e obtiveram sucesso. A evolução econômica não mudou, entretanto, a forma de pensamento dessa parcela da população, surgindo assim um novo perfil de consumidor brasileiro.

Como conversar com este novo consumidor é o grande desafio da indústria cosmética neste e nos próximos anos. Este novo cenário nacional também é acompanhado pelo avanço do e-commerce.

Química e Derivados,
Demétrio: integração das áreas da Sigma-Aldrich já começou

Exposição – Vencedora do Prêmio Sindusfarma, maior reconhecimento aos fornecedores da indústria farmacêutica, em duas categorias (importadores de equipamentos para formulação e embalagem; padrões, solventes e reagentes analíticos), a alemã Merck aproveitou a oportunidade para apresentar uma mudança de identidade. Um novo logo assinala a integração com a Sigma-Aldrich, adquirida no final do ano passado. Na feira, cada empresa ocupou um estande, lado a lado, pela última vez.

Com essa aquisição, no valor de US$ 17 bilhões, a Merck se tornou o segundo maior player no segmento Life Science. Juntas, produzem mais de 300 mil itens entre matérias-primas, insumos e serviços voltados principalmente à indústria. A nova empesa expandirá a gama de produtos, recursos e alcance geográfico. Agora, são cerca de 50 mil funcionários em 67 países trabalhando em 72 localidades de produção e mais de um milhão de clientes. As vendas combinadas de Life Science, em 2015, totalizaram cerca de € 5,4 bilhões (pro forma) – esse mercado global soma € 100 bilhões.

A integração no Brasil envolve mais de 170 ações e deverá estar concluída até 2018, revelou Fábio Demétrio, líder no país de Life Science. O processo é longo e começou com a integração legal e comercial. Já foram definidos os líderes globais das divisões comercial, operacional, administrativa e áreas de suporte. Foram nomeadas as lideranças regionais (América Latina, Estados Unidos, Europa etc) e as locais – posição ocupada por Demétrio. Em consequência, as gerências também foram escolhidas.

Thalita Cristina Estima de Jesus, gerente de vendas da área de Performance Materials da Merck, destacou “a grande demanda” que está ocorrendo pelo IR3535, composto usado na formulação de repelentes (nos rótulos, denomina-se etil butilacetilaminopropionato). É uma molécula sintética com estrutura química semelhante à beta-alanina, um aminoácido presente no corpo humano. Esse ativo tem se mostrado seguro e eficaz no combate ao mosquito Aedes aegyipt, transmissor da dengue, zika e chikungunya, e também contra a malária e piolhos.

Em decorrência da epidemia das doenças transmitidas pelo Aedes, o Congresso de Cosmetologia abriu espaço para o Fórum de Repelentes, que abordou aspectos regulatórios sob o parecer da Anvisa, informou sobre os hábitos do mosquito e exibiu duas tecnologias de combate: o IR3535, apontado como o repelente “mais seguro do mercado”, e a eficácia dos ingredientes derivados de oliva (pela Hallstar). Considerando que o Brasil atravessa “um momento grave”, em que os clientes têm receio em investir, Thalita frisou que o setor de cosméticos vive de inovações. O investimento mundial da Merck no ano passado em química e farmacêutica atingiu € 1,7 bilhão.

Química e Derivados, Fernanda: conceito atual quer levar soluções aos formuladores
Fernanda: conceito atual quer levar soluções aos formuladores

Vitor de Oliveira, gerente de desenvolvimento de novos negócios Process Solutions da Merck, anunciou o lançamento este ano do Parteck SRP80, excipiente para medicamentos capaz de proporcionar liberação progressiva de ativos. A tecnologia é usada, por exemplo, em remédios de dose prolongada; para o consumidor final, isso significa tomar menos comprimidos/dia. Outras vantagens: não há risco de liberar altas quantidades em curto período e a velocidade de liberação não é modificada pelo pH do estômago (varia de paciente para paciente, dependendo de diversos fatores, como alimentação ou consumo de álcool). A matriz criada pela matéria-prima permite ainda a produção de medicamentos por compressão direta.

A Merck também exibiu o dispositivo Lynx CDR, conector para produção asséptica, que pode ser usado até seis vezes antes do descarte. “Ele é mais econômico”, afiançou Oliveira. A nova versão facilita o processo de troca das bolsas e colabora para a redução do descarte de plástico em produções que usam tecnologias single-use, como é comum na área de biotecnologia

Líder mundial no fornecimento de excipientes, a Basf compartilhou na FCE Pharma um novo enfoque de marketing: oferecer soluções e não só os produtos ao mercado, explicou Fernanda Furlan, gerente sênior de Pharma para a América do Sul. Agora, a Basf trabalha com as seguintes plataformas de soluções: liberação imediata e modificada; solubilização; cápsulas de gelatina mole; e cuidados com a pele (skin delivery).

Química e Derivados, Regina: clientes estão mais comedidos em lançamentos
Regina: clientes estão mais comedidos em lançamentos

A Basf lançou o Kollicoat MAE 100-55, fonte alternativa e confiável de copolímero de ácido metacrílico e etilacrilato, para revestimento de comprimidos de liberação entérica em pH>5,5. O produto fornece aos fabricantes farmacêuticos “mais flexibilidade e segurança do abastecimento”, informou Fernanda. É quimicamente idêntico e pode substituir os copolímeros equivalentes disponíveis no mercado com o mesmo perfil de liberação do princípio ativo.

Referência no mercado de tintas para embalagens de cosméticos, a holandesa AkzoNobel dispõe de tecnologias que ainda não foram introduzidas no mercado nacional. Pode-se obter um produto que alie brilho intenso e redução de custo. “Investimos forte em brilhos em que a metalização não é necessária”, afirmou Fernando Capeloza, gerente de negócios de Specialy Coatings na América do Sul.

O exemplo é a Metallic shine, sistema de base e verniz com altíssimo brilho metálico para peças plásticas. Já a tinta Mirror effect oferece efeito espelhado em peças plásticas transparentes (acrílico): “O custo é menor do que o de um espelho”, ressaltou Capeloza. Uma tampa pode ser espelhada, por exemplo, sem ser metalizada e sem vidro. Outras novidades da AkzoNobel: pinturas que são fotossensíveis e termossensíveis. A empresa possui mais de 4 mil cientistas espalhados em 160 laboratórios pelo mundo. Missão: oferecer soluções customizadas para os clientes.

Química e Derivados, Andrea: novidades funcionais para os cuidados com a pele
Andrea: novidades funcionais para os cuidados com a pele

Gerente de unidade Cosméticos, aromas & fragrâncias e farma da quantiQ, Regina Helena de Mello Oliveira, observou que, nesse segundo ano de recessão do mercado, as empresas “estão mais comedidas” com o número de lançamentos de novos produtos. “É o ano da precaução”, pontuou. Ao mesmo tempo em que disse ser “nítida a queda de demanda das empresas”, ressalvou que a quantiQ está bem por conta de “negócios adicionais”. Como, tradicionalmente, o segundo semestre é mais forte para as vendas setoriais, ela manifestou esperança: “Vamos ver se haverá recuperação econômica”.

No segmento de aromas e fragrâncias, a empresa divulgou as novas matérias-primas Lilestralis e Florosol, da Emerald Kalama, produto difusor que confere frescor para fragrâncias florais, como lírio e rosas. São moléculas aromáticas utilizadas na composição de bouquet de fragrâncias. A quantiQ anunciou também a parceria com a indiana Sigachi, trazendo uma nova solução para celulose microcristalina, excipiente utilizado em grande escala na indústria farmacêutica e sem fabricação local.

A gerente de desenvolvimento de produtos da MCassab, Andrea Adams, relatou o lançamento, na FCE Cosmetique, do Liftonin X-Pert: “É uma matéria-prima inovadora”. É um booster inteligente de colágeno proveniente da seiva das folhas de uma planta sul-africana. “Ganhou a medalha de ouro como matéria-prima natural mais inovadora de 2016, segundo a BSB”, citou Andrea.
A MCassab também divulgou vários protótipos: para barriga chapada, redução de gordura abdominal, um composto de Slimexir, ingrediente que ativa a lipólise, fragmenta e decompõe os glóbulos de gordura; xampu aveia negra (formulado com Aquarich, blend de ingredientes ativos inteligentes que eliminam a porosidade dos fios, deixando-os fortes, brilhosos e macios); Vegojelly balm (formulado para proteger e hidratar os mamilos das mamães no período da amamentação); Myrica NO POO/CO WASH (xampu composto pela cera do fruto colombiana myrica e condicionadores especiais que limpam e condicionam os fios) produz cachos perfeitos; mousses faciais nas versões berry e myrica para pele uniforme, hidratada e isenta de imperfeições; Sérum brasileiríssima (pele isenta de oleosidade e renovada); e homem anti-idade (composto por ingredientes naturais, tem uma textura proveniente da cera Kahlwax 5115, que é um blend de cera de arroz e da fruta myrica. Resultado: pele hidratada, rejuvenescida e isenta de oleosidade).

Química e Derivados, Renata: ingredientes avançados permitem renovar formulações
Renata: ingredientes avançados permitem renovar formulações

Aos 79 anos de vida, a Dinaco partiu do conceito “mil e uma ideias. Mil e uma formulações”. Com foco nas especialidades químicas, Renata Cardoso, gerente de marketing, enfatizou os novos ingredientes exclusivos que possibilitam diversas aplicações. O creme facial com FPS 30 (estimado) possibilita, por exemplo, com a mesma base, ter várias combinações: calmante, antioleosidade, antipoluição, clareador e outros apelos. Creme de tratamento capilar: máscara de tratamento com poder altamente hidratante, formadora de filme e brilho. Creme hidratante corporal: economiza tempo e energia por ser formulado totalmente a frio. Além de fácil e rápido de formular, pode ter funções sofisticadas.

Distribuidora da Lubrizol, a Dinaco destacou o CarbopolClear, solução em modificador reológico de fácil dispersão para géis capilares com transparência diferenciada. Da japonesa Nagase, o AA2G, “a melhor vitamina C do mercado”, segundo Renata. Da Assessa, o Colorhold, para manutenção de cor (bioativo vetorizado, atua em dois níveis da fibra capilar). Da Amyris, o Neossance Squalane (para pele, cabelo, protetor solar, loções corporais, maquiagem e demaquilantes). E da Du Pont, o Genencare OSMS BA, uma betaína anidra altamente purificada, extraída do açúcar da beterraba e um osmolítico que protege as células do estresse ambiental e, especificamente, contra a desidratação. Gera benefícios de proteção e sensorial em muitas aplicações em pele e cabelo. Pode ser usado em todas as fórmulas que contém água.

Química e Derivados, Caravieri: inovações traduzem desejos do mercado em soluções
Caravieri: inovações traduzem desejos do mercado em soluções

Em um evento paralelo denominado “Descubra a beleza do amanhã”, a suíça Clariant reuniu dezenas de clientes, no hotel Transamérica. Com base nos resultados de uma pesquisa global realizada durante um ano sobre o comportamento dos consumidores, a empresa publicou o guia Beauty Forward, que assinala as tendências que influenciarão os produtos de beleza no futuro. “O comportamento do consumidor é que determina o desenvolvimento dos produtos. Dispomos de conhecimento e tecnologia para traduzir as novas demandas dos consumidores em soluções inovadoras para o mercado”, afirmou Fábio Caravieri, gerente de marketing de personal care para a América Latina.

Quatro tipos de consumidores foram identificados, declarou Caravieri: care (homem e tecnologia), dare (valorização do ser como é), pure (simplicidade, elementos naturais) e look (desejo de ser único). A empresa promoveu demonstrações interativas, com experiências sensoriais divididas em estações.

Os convidados exploraram as seguintes soluções: Metamorphosis, apresentando o novo conceito de formulações de texturas dinâmicas com a linha Plantasens; Hostacerin SAF, demonstrando a facilidade de formulações a frio; Aristoflex e Glucotain, proporcionando texturas e experiências diferenciadas na aplicação; e Plantasens Olive LD, com um teste cego para quebrar o mito de que ativos naturais não trazem o mesmo sensorial que os ativos sintéticos. A linha Glucotain, composta por produtos de base natural, oferece limpeza, suavidade, espuma e viscosidade.

Divulgou-se que a solução Genamin CP Easy é uma inovação pioneira no setor de ingredientes capilares, pois permite realizar formulações de condicionadores 100% a frio, o que representa maior produtividade e menor impacto ambiental. Também foram apresentados os agentes perolizantes Perlogen e Abyssian Oil (oriundo das elevadas planícies africanas). A aliança com a Beraca fortalece o portfolio da Clariant com ingredientes naturais provenientes da Amazônia. E a parceria com a sul-coreana BioSpectrum fornece ingredientes derivados de produtos e extratos naturais de plantas exóticas da Ásia.

Química e Derivados, Bombonati: ingredientes de alta tecnologia geram custos menores
Bombonati: ingredientes de alta tecnologia geram custos menores

A Univar também divide o mercado em quatro padrões de consumo, dentro dos quais oferta uma série de ingredientes, informou Julio Bombonati, gerente de marketing de Life Science. Os que fazem parte do padrão “encontro de culturas” apreciam as experimentações. Como espuma de limpeza, a empresa deu destaque para o Akypo Foan RL40, um surfactante de origem vegetal, da japonesa Kao, que propicia limpeza suave. Como bruma texturizante, o silicone da Dow Corning 5-7113, que confere “densidade e volume ao cabelo, maciez, brilho e proteção solar”.

Os que se enquadram no padrão “pausa” são os que não dispõem de muito tempo, mas se identificam com o produto. A busca é por produto multifuncional para cuidados do rosto, corpo e cabelo. O ingrediente que a Univar destacou foi o Cetiol Sensoft, da Basf, emoliente de origem vegetal, que proporciona um sensorial multidimensional. O silicone da Dow Corning Xiameter PMNX 9027 fluid proporciona uma atividade antiestresse no cabelo, protegendo do calor, e tem um toque aveludado e seco na pele. O Tinovis GTC UP, da Basf, é um polímero multifuncional com propriedades emulsionantes e espessantes; proporciona sensorial leve, macio e suave.

O consumidor do padrão “fronteiras urbanas” é aquele que quer produtos sustentáveis e com alta tecnologia. Dentro dessa categoria, o Danox HC 30, da Kao, é para o condicionamento dos cabelos. O Dow Corning CE 8411 Smooth Plus Emotion proporciona sensação de cabelos hidratados, brilho e maciez. A combinação do Emanon EV-E e Eumulgin Prisma, emulsionantes de origem vegetal, da Basf, geram uma emulsão fluida e sensorial delicado.

Para o consumidor do padrão “onda digital”, aficionado por tecnologia, foi pensado o Amidet APA 22, da Kao, que promove “excelente alinhamento das fibras e maciez natural aos cabelos”. O Dow Corning 3901 Liquid Satim Blend proporciona percepção de hidratação e suavidade na pele. O importante, salientou Bombonati, é que esses ingredientes possuem alta tecnologia e podem gerar produtos com preços favoráveis.

A Dow Corning promoveu duas palestras sobre a eficácia dos silicones para proteger os cabelos: na Arena do Conhecimento e no Congresso de Cosmetologia. De acordo com Gislene Attilio Meyer, da área de marketing América do Sul, a empresa apresentou soluções de silicone ProtecTRESS, que protegem os cabelos contra o dano causado pela modelagem térmica, e o portfólio para cuidado pessoal. “Buscamos soluções inovadoras que atendam o alto grau de exigência dos clientes e consumidores”, acrescentou.

Química e Derivados, Caldeira: cabelos tratados sem causar danos aos fios
Caldeira: cabelos tratados sem causar danos aos fios

Há 29 anos fornecendo ingredientes para cosméticos (cabelo, pele e maquiagem) no mercado brasileiro, a Cosmotec exibiu novidades em cores pastéis, conforme Tatiana Francine Roque, gerente de comunicação de mercado. Formulações: gel capilar tonalizante (personaliza a cor dos cabelos), óleo em gel corporal enxaguável – filme acetinado e duradouro (se funde em contato com o calor do corpo); melting make-up remover – limpeza instantânea sem esforço (se funde com o calor da pele); transformador de batom – do brilho ao efeito mate imediato (transforma o acabamento de batons cremosos, tornando-os foscos e aveludados). É de rápida secagem e fácil aplicação. Através de um painel interativo, os visitantes puderam conferir cinco experiências em textura capilar.

Empresa 100% nacional, fundada em 1992, produtora e importadora de insumos para personal care, home care e químicos industriais com sede em Guarulhos-SP, a Garden Química divulgou novos produtos desenvolvidos com tecnologia própria. Powder dry e Powder dry blue “facilitam a produção de descolorantes para cabelos e pelos”, afirmou Daniel Caldeira, gerente de pesquisa e desenvolvimento. Trata-se de um blend de “alta qualidade e custo acessível, de fácil manuseio e excelente incorporação”. O ativo oxidante utilizado na formulação permite a produção do pó descolorante de forma prática.

Química e Derivados, Correa exibiu tubos laminados com alto brilho e qualidade de impressão
Correa exibiu tubos laminados com alto brilho e qualidade de impressão

Já o Éster liss tem o poder de reduzir o volume dos cabelos, sem agredir a fibra, deixando-os mais lisos e brilhantes, promovendo o selamento da cutícula e o alinhamento dos fios. “Ele trata intensamente o fio”, assegurou Caldeira, que se mostrou satisfeito com o alto interesse por esses produtos verificado durante a FCE Cosmetique.

Uma das maiores fabricantes de embalagens do mundo, a norte-americana Bemis lançou, oficialmente, o tubo laminado SilverGlam, que se diferencia, segundo o gerente de marketing de produtos de consumo de massa Marcus Vinícius Correa, pelo “altíssimo brilho e a qualidade de impressão”. Além disso, oferece barreira à luz, oxigênio e vapor d’água e evita desperdícios, permitindo o consumo total do produto. Entusiasmado com a nova tecnologia, Corrêa acredita que o mercado global deverá migrar da bisnaga plástica para a laminada.

Química e Derivados, Tubos laminados com alto brilho e qualidade de impressão
Tubos laminados com alto brilho e qualidade de impressão

Consultas, propostas, cotações e projetos da clientela já começaram a surgir. Embora o mercado nacional como um todo esteja um tanto “lento”, Correa enfatiza que “as oportunidades existem” e devem alavancar novos negócios. O tubo laminado SilverGlam está disponível nos diâmetros: 16, 22, 25, 28, 35, 40 e 50 mm. O executivo garantiu que a bisnaga laminada com diâmetro de 50 mm da Bemis é a única fabricada no país.

Química e Derivados, Nathalia: elemento garante a temperatura no transporte
Nathalia: elemento garante a temperatura no transporte

Vencedora pela segunda vez do prêmio Sindusfarma de qualidade na categoria Prestadores de serviços – soluções para a cadeia fria, a Polar Técnica apresentou o Thermo Control na FCE Pharma. Trata-se do primeiro elemento refrigerante destinado ao transporte de carga seca que mantém a temperatura entre 15ºC e 30ºC. Maior fabricante do país no segmento de produtos refrigerantes para transporte de insumos que requerem tempo e temperatura controlados, a empresa desenvolveu esse produto ao constatar que, não raro, tanto pelo modal aéreo quanto no rodoviário, registram-se picos de temperatura de até 72ºC. “A maior parte da indústria farmacêutica tem produtos que necessitam daquela faixa de temperatura”, disse Nathalia Lima, analista técnica. A raiz desse desenvolvimento está no aquecimento global: o aumento médio da temperatura da Terra obriga a pensar em novas soluções para a carga seca.

Nathalia contou que, produzido a partir da espuma do ice foam, o Thermo Control possui um aditivo que muda o ponto de fusão para uma faixa de temperatura entre 2ºC e 8ºC, o que faz com que ele seja um gelo refrigerado e não congelado e mantenha, assim, a temperatura do produto entre 15ºC a 30ºC.

Em 2017, a 22ª edição das FCE Cosmetique e Pharma mudará de endereço: está agendada para 23 a 25 de maio no São Paulo Expo Exhibition & Convention Center, na Rodovia dos Imigrantes, “um pavilhão maior, mais moderno e com maior número de vagas de estacionamento”, antecipou Lígia. Com ou sem recessão, esses setores se reinventam. “É preciso saber navegar na crise”, concluiu.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.