Tintas e Revestimentos

Fabricantes globais buscam concentrar negócios – TiO2

Marcelo Fairbanks
1 de junho de 2020
    -(reset)+

    Química e Derivados - Sem investimentos em capacidades produtivas adicionais, fabricantes globais buscam concentrar negócios - TiO2

    Sem investimentos em capacidades produtivas adicionais, fabricantes globais buscam concentrar negócios – TiO2

    O mercado mundial de dióxido de titânio caminhava para registrar mais um ano de crescimento quando foi abalroado pelo novo coronavírus. As consultorias internacionais estudam os efeitos da pandemia sobre esse mercado, considerando problemas operacionais e logísticos na Ásia, principal centro produtor do pigmento, e sobre o comportamento dos mercados consumidores.

    Avalia-se que o mercado mundial de TiO2 tenha consumido 6,4 milhões de toneladas em 2019, das quais 55% foram destinadas para a produção de tintas. A China é o maior produtor mundial, com estimados 45% da capacidade mundial de produção.

    Nos últimos 40 anos, a demanda pelo pigmento apresentou crescimento médio anual de 3%, segundo a consultoria inglesa Artikol, embora tenham sido verificadas grandes variações durante o período, intercalando-se anos de alta e baixa demanda. A expectativa inicial da consultoria para 2020 e 2021 era de aumento de 5% ou mais no consumo mundial do TiO2.

    A consultoria Icis apontou redução das exportações de produtos chineses no primeiro trimestre de 2020, em grande parte atribuída às dificuldades logísticas para o suprimento de ilmenita para as fábricas e entre estas e os portos. A grande preocupação se concentra no atraso dos embarques naquele país.

    Nos Estados Unidos, segundo a Icis, o mercado se manteve equilibrado no primeiro trimestre deste ano, com estoques suficientes para atender à demanda. Em março, verificou-se um aumento da procura pelo pigmento, pressionando as cotações. Porém, já se começava a sentir uma redução na atividade do setor automotivo e da construção civil, grandes consumidores do pigmento.

    Na Europa, o mercado também se manteve equilibrado, porém com variações de comportamento em diferentes países. Também se verificou na região a redução dos negócios nos setores consumidores do pigmento.

    O fator determinante para puxar os preços do TiO2 para cima é a oferta apertada de produtos chineses e os atrasos nos embarques programados, segundo os consultores. A situação tende a se reverter com o retorno ao normal das atividades econômicas na China. Falta saber como os consumidores se comportarão quando for superada a crise sanitária.



    Recomendamos também:








    0 Comentários


    Seja o primeiro a comentar!


    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *