Química

Expositores atualizam opções tecnológicas para o setor – Abrafati

Antonio C. Santomauro
27 de dezembro de 2019
    -(reset)+

    Diversificação – Duas resinas base água da DSM, uma para pisos de madeira, outra capaz de conferir efeitos diferenciados a embalagens, e agentes de cura à base de poliisocianatos aromáticos da Wanhua foram lançados pela Univar. “Temos um portfólio robusto e diversificado, equilibrando produtos consagrados e tecnologias inovadoras, desde commodities até especialidades”, enfatizou a coordenadora de comunicação comercial Luciana da Silva.

    A Metachem ressaltou três linhas: aditivos inibidores de corrosão fornecidos por ICL-Halox e King Industries; agentes tixotrópicos, dispersantes, espumantes, nivelantes e outros aditivos da King Industries; aditivos reológicos, especialmente as argilas da Tolsa. “Temos um portfólio muito amplo para tintas e vernizes, enfatizamos essas linhas para termos um pouco mais de foco, e porque elas têm recebido excelente aceitação”, justificou a gerente de negócios Selena de Mendonça.

    Polialcoóis da Perstorp, modificadores reológicos e aditivos da Elementis, coalescentes da Synthomer, pigmentos da Shepherd e da Dynakrom foram exibidos pela Aromat, que ressaltou também as ceras micronizadas da Micropowders, disponíveis em diversos tamanhos de partículas. Uma dessas ceras, a Microtouch 850XF, permite produzir acabamentos com toque suave e alta durabilidade para diversos tipos de tintas.

    Cores – A Colortrade enfatizou que além de dióxido de titânio – seu mercado de origem – hoje distribui também pigmentos perolados, antioxidantes e aditivos UV. “Penso em ampliar o portfólio com mais uma linha de especialidades e, então, teremos um portfolio bem consolidado”, ponderou o diretor José Carlos Bartholi.

    Dióxido de titânio é fornecido também pela Quimisa, que planeja ampliar seu portfólio desse gênero de produtos: “Existem composições interessantes de dióxido de titânio para o mercado brasileiro, mas o custo ainda inibe a expansão dessa oferta”, ressaltou Natália Raiser, gestora de commodities da empresa.

    Mas a Quimisa destacava principalmente sua linha de éteres glicólicos (PM, PMA e DPM) e o cloreto de metileno. “Esses produtos são mais sustentáveis que solventes como butilglicol; o PM, por exemplo, é biodegradável”, observou Francini Rohling, vendedora técnica da empresa. “O cloreto de metileno, embora seja um solvente mais pesado, é muito usado em formulações de removedores, ainda não há nada melhor que ele para essa aplicação”, acrescentou Francini.

    A Sintequímica realiza a pré-dispersão de pigmentos para fabricantes de tintas base água. Como explicou o diretor comercial Marcelo de Macedo, ela trabalha continuamente no desenvolvimento dessa tecnologia, objetivando moer integralmente os pigmentos, manter limpo o padrão de cor e permitir a perfeita reprodutibilidade de cada item. “Com 65 anos nesse mercado, temos todo o know how para atingir esses objetivos”, enfatizou Macedo.

    Cargas – Não apenas novos produtos, mas também rearranjos e redirecionamentos organizacionais foram divulgados pelos fornecedores de cargas. Caso da Sibelco, desde o ano passado estruturada em unidades globais de negócios para tintas e plásticos, entre outras, e não mais em unidades regionais. “Essa reorganização amplia a visibilidade no Brasil dos produtos que disponibilizávamos em outros países”, argumentou João Lorenzoni, gerente de marketing da empresa para as Américas.

    Materializava essa afirmação de maior exposição no mercado brasileiro de opções já consolidadas em outros países a linha Minex, à base de nefelina sienita, mineral que mesmo em elevadas dosagens permite transparência às tintas, além de maior resistência química, à luz solar, radiação UV e desgaste. Linhas à base de caulim, alumina tri-hidratada e cristobalita, também devem ser agora ser mais destacadas no páis pela Sibelco.

    Na Minérios Ouro Branco, a gestão familiar foi substituída por uma estrutura profissionalizada (o controle permanece com a família dos fundadores). “Nosso portfólio vem sendo continuamente ampliado, recentemente passou a incluir baritas, extensores de dióxido de titânio, novos grades de caulim calcinado, entre outros itens”, destacou o diretor José Carlos Bartholi.

    Fornecida em slurry para tintas decorativas base água e com formulações destinadas a demandas específicas dos clientes – por exemplo, mais resistência à abrasão, ou maior rendimento –, a linha Brasmite era enfatizada pela Imerys, que recentemente adicionou a ela novos integrantes. Um deles, o Brasmite Max, permite a opção entre otimização do uso de polímeros ou ganho de resistência mecânica. “Por sua vez, o Brasmite Ultra proporciona harmonização entre polímeros associada à otimização de pigmento branco nas linhas que demandam acabamentos brilhantes”, afirmou Fabrício Rodrigues, gerente de vendas para Tintas e Revestimentos da Imerys na América do Sul.



    Recomendamos também:








    0 Comentários


    Seja o primeiro a comentar!


    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *