Expositores atualizam opções tecnológicas para o setor – Abrafati

Química e Derivados - Expositores atualizam opções tecnológicas para o setor

Inovação, sustentabilidade, produtividade: essas seguem sendo as principais vertentes do processo de desenvolvimento de especialidades, solventes e demais ingredientes de tintas e vernizes, comprovaram as soluções expostas no evento.

Química e Derivados - Lygia: sustentabilidade dirige o desenvolvimento de produtos
Lygia: sustentabilidade dirige o desenvolvimento de produtos

A Croda até buscou reunir esses apelos no conceito Smartability (junção de Smart Science e Sustainability), materializado em dois estudos com surfactantes da linha Maxemul. Um deles, focado na pegada de carbono, indicou que o Maxemul 9107, para emulsões epóxi, em concentração de 5%, na pintura de um navio que exige 100 mil litros de tinta evita a emissão de 28,9 toneladas de CO2 (correspondentes ao plantio de 116 árvores).

Realizado ao vivo, o outro estudo da Croda mostrou que uma tinta vinil acrílica com surfactante Maxemul obteve lavabilidade 235% superior, e 58% mais de resistência à abrasão. “Estamos comprometidos com a sustentabilidade e usamos a ciência inteligente para inovar”, destacou Lygia Bruni, coordenadora de marketing da Croda na América Latina.

No estande da Momentive, as principais atrações eram os aditivos CoatOSil MP 200 e CoatOSil T-Cur (respectivamente, para tintas arquitetônicas base água, e tintas industriais e automotivas base solvente). “Ambos são silanos oligômeros e propiciam tintas e coatings mais estáveis, relativamente aos silanos convencionais”, comparou Edson Ribeiro, gerente de vendas de Silanos para América Latina da Momentive.

No estande da Clariant, houve várias novidades. Algumas delas: um protetor UV para sistemas base água para revestimentos externos de madeira; o aditivo de cera natural Ceridust060 TP, também para madeira, porém para revestimentos internos; pigmentos para tintas de veículos que eliminam a necessidade de moinhos de esferas na dispersão.

Química e Derivados - Myrian: novos modificadores reológicos e antiespumantes
Myrian: novos modificadores reológicos e antiespumantes

Agentes reológicos e ‘aditivos verdes’ – Foram cinco os lançamentos da Wana Química. Dois deles, os modificadores reológicos uretânicos (HEUR) para tintas base água Urewan 320 e Urewan 325, esse último, pode ser utilizado como único espessante. Outros dois, os antiespumantes Wanfoam 512 e Wanfoam 520 (o primeiro à base de óleos especiais, o outro modificado, com baixo VOC). “Também lançamos o Modiwan 143, modificador reológico acrílico (HASE) que propicia reologia diferenciada, podendo ser utilizado sozinho ou com outros modificadores, em PVC standard, econômico e premium”, detalhou a gestora de produtos Myrian Oliveira.

A Denver Especialidades destacou a linha Induskol T, de CMCS (carboximetil celulose de sódio), utilizada em tintas, massas corridas, grafiatos e texturas, com produtos oferecidos em versões com alta ou média viscosidade; tixotrópicas ou não-tixotrópicas; convencional ou de rápida dispersão. “Para cada situação há um ou mais CMCs adequados”, observou Eugênio Runge Neto, consultor técnico da Denver.

E a Polystell ressaltava o aditivo multifuncional Polyvell 31330, qualificado como ‘aditivo verde’, pois permite eliminar a aguarrás das formulações das massas e texturas nas quais atua como estabilizante. Salientava também o dispersante biodegradável Poliadit 41282, apresentado como alternativa ao poliacrilato de sódio. “Estamos lançando ainda o Polyumec 5999, plastificante oriundo de fontes renováveis e sem ftalato”, disse Jaqueline Scapolatempore, do atendimento de vendas técnicas da empresa.

Outros ingredientes – A ATA apresentou a linha de agentes reológicos Surfata MR, 100% uretânicos, para tintas decorativas base água. “Ela proporciona redução de respingos e melhor nivelamento, entre outros benefícios”, ressaltou José Henrique Fejfar, gerente de vendas da empresa, especializada em tensoativos, cujo portfólio inclui dispersantes, umectantes, agentes reológicos, antiespumantes, entre outros itens.

A Solven privilegiou a exibição de duas emulsões não-iônicas à base de parafinas: Solven Sint 47 e EP Solven 460; a primeira, com teor de sólidos de 45%, mais usada na área têxtil, enquanto a EP Solven 460 tem 60% de sólidos, e maior emprego em lonas enceradas. “Por sua performance, estabilidade e relação custo/benefício, essas emulsões vem sendo bem aceitas no mercado, afirmou Emerson Victor Claudino, analista técnico de P&D da Solven.

Especializada em ácidos graxos, a Almad realçava sua condição de empresa com alcance global, que exporta para dezenas de países. “E nossa atuação é inteiramente sustentável: usamos como matéria-prima o resíduo de outra indústria, a borra da produção de óleo de soja, e nossos resíduos também são aproveitados em tratamento de efluentes e como insumos agrícolas para correção de solos”, complementou o gerente comercial Daniel Castro.Cura UV e linha automotiva – Novos fotoiniciadores foram apresentados pela Quiminutri: entre eles, produtos da linha Omnirad para cura UV por LED, tecnologia em fase crescimento. “Temos também os produtos da linha Omnipol, que resultam em tintas com baixíssima migração, importantes para aplicações como embalagens de alimentos”, observou Maurício Locatelli, vice-presidente para América do Sul da Quiminutri, que mostrou ainda um aditivo que evita a fixação de pichações nas superfícies e resinas para sistemas base água que, por meio de modificação química, combinam as vantagens da resina acrílica e monômeros de silicone.

Também para cura UV, a BRChemical chamava a atenção para suas linhas de radiômetros Profiler e de radiômetros para sistemas LED, além de pastas pigmentárias e aditivos (para esse mercado fornece também fotoiniciadores, monômeros e oligômeros). Para outras aplicações, a BRChemical disponibiliza dispersões de pigmentos para base água, dispersões PU, copolímeros acrílicos para madeira, emulsões hidrofóbicas, pigmentos orgânicos e perolados, entre outros itens. “Nesse caso, destacamos dispersões de pigmentos para sistemas base água e pigmentos especiais”, afirmou o diretor Sérgio Medeiros.

A SQ Química divulgou sua atual presença em outros mercados além da cura UV, no qual teve origem e que ainda gera 40% de seus negócios. “Estamos lançando novos insumos para a indústria automotiva, entre eles, promotores de aderência à base de poliolefina clorada, indicada especialmente para polipropileno, e silanos para plásticos e metais em geral; copolímeros de cera base PE-EVA, excelentes orientadores de pigmentos metálicos; e CAB (aceto butirato de celulose), um ótimo estabilizante para OEM e repintura”, detalhou a diretora comercial Janaina Souza.

O nome adotado no início deste ano (era Search Química) também foi enfatizado pela SQ, que além de produtos para cura UV agora fornece antiespumantes, nivelantes, dispersantes, promotores de aderência, silanos, entre outras especialidades. “Temos hoje um portfólio bem diversificado”, observou a fundadora e diretora de marketing Petra Shie.

Química e Derivados - Petra: portfólio cresce e inclui opções para tintas automotivas
Petra: portfólio cresce e inclui opções para tintas automotivas

Distribuição – A ampliação e a diversificação de seus portfólios – seja pela extensão de parcerias anteriores, seja pela chegada de novos fornecedores – foram muito enfatizadas pelos distribuidores de insumos químicos.

A MCassab anunciou as parcerias com a Sudarshan e a Elementis. “A Sudarshan é uma das maiores produtoras de pigmentos no mundo, e a Elementis tem produtos para os mais variados tipos de formulações”, ressaltou Ana Amélia Horta, gerente de desenvolvimento de negócios da empresa.

Por sua vez a quantiQ (Grupo GTM) comunicava as parcerias com fornecedores como a italiana Sapici (pré-polímeros de isocianato para revestimentos de PU) e a suíça CLiQ SwissTech, da qual agora distribui dispersantes, antiespumantes e aditivos. “Essas parecerias estão sendo muito bem recebidas por nossos clientes”, afirmou Felipe Picinini, head de marketing de tintas, adesivos e construção civil da empresa, que no evento divulgou agora distribuir também os monômeros metacrílicos básicos da Röhm GmbH e novos agentes de cura da Evonik (da qual já distribuía outros produtos).

Química e Derivados - Krueder apresentou pacote de resinas e aditivos para epóxi
Krueder apresentou pacote de resinas e aditivos para epóxi

A Química Anastácio participou com grande interesse da Abrafati deste ano. “O setor de tintas responde por apenas 10% da nossa operação, nós queremos chegar a 15% em pouco tempo”, afirmou o seu presidente Jan Krueder. Para tanto, reforçou a equipe técnica de vendas e apresentou um novo pacote de aditivos e resinas para epóxi. Com isso, a distribuidora passou a contar com resinas epóxi líquida, sólida e para cura por UV. Também introduziu no portfólio hidroquinona, ácido benzóico, óxidos de ferro, entre outros. “E começamos a distribuir oficialmente o dióxido de titânio da Lomon Billions, da China, um dos maiores fabricantes do mundo”, salientou Krueder.

Química e Derivados - Marina: aditivo para suportar condições extremas de abrasão
Marina: aditivo para suportar condições extremas de abrasão

A Dinaco teve várias novidades, como o aditivo UH-1250, um PE de ultra-alto peso molecular da Inhance que aumenta a resistência à abrasão em condições extremas de abrasão e desgaste – em equipamentos de mineração, por exemplo – e aditivos da Sozio que mascaram odores em sistemas de base água ou solvente. Mostrou também pigmentos para tintas automotivas da Oxen em cores e tonalidades visualmente atrativas, entre outras atrações. “Queremos ser uma operação one stop shop, na qual o cliente encontre todas as soluções das quais necessita”, ressaltou a diretora de marketing estratégico Marina Fernandes.

Resinas à base de MMA da Röhm, marcas Degadur e Degaroute, respectivamente para pisos e para tintas de demarcação viária via plástico a frio, estavam entre as atrações da IMCD. “Também iniciamos a comercialização dos fotoiniciadores Speedcure, da Lambson, para tintas de cura UV. Em pigmentos, temos novidades tanto em tintas decorativas quanto para linha de OEM”, relatou Débora Zago, gerente comercial dessa distribuidora cujo portfólio de parceiros inclui ainda nomes como Evonik e Covestro.

Diversificação – Duas resinas base água da DSM, uma para pisos de madeira, outra capaz de conferir efeitos diferenciados a embalagens, e agentes de cura à base de poliisocianatos aromáticos da Wanhua foram lançados pela Univar. “Temos um portfólio robusto e diversificado, equilibrando produtos consagrados e tecnologias inovadoras, desde commodities até especialidades”, enfatizou a coordenadora de comunicação comercial Luciana da Silva.

A Metachem ressaltou três linhas: aditivos inibidores de corrosão fornecidos por ICL-Halox e King Industries; agentes tixotrópicos, dispersantes, espumantes, nivelantes e outros aditivos da King Industries; aditivos reológicos, especialmente as argilas da Tolsa. “Temos um portfólio muito amplo para tintas e vernizes, enfatizamos essas linhas para termos um pouco mais de foco, e porque elas têm recebido excelente aceitação”, justificou a gerente de negócios Selena de Mendonça.

Polialcoóis da Perstorp, modificadores reológicos e aditivos da Elementis, coalescentes da Synthomer, pigmentos da Shepherd e da Dynakrom foram exibidos pela Aromat, que ressaltou também as ceras micronizadas da Micropowders, disponíveis em diversos tamanhos de partículas. Uma dessas ceras, a Microtouch 850XF, permite produzir acabamentos com toque suave e alta durabilidade para diversos tipos de tintas.

Cores – A Colortrade enfatizou que além de dióxido de titânio – seu mercado de origem – hoje distribui também pigmentos perolados, antioxidantes e aditivos UV. “Penso em ampliar o portfólio com mais uma linha de especialidades e, então, teremos um portfolio bem consolidado”, ponderou o diretor José Carlos Bartholi.

Dióxido de titânio é fornecido também pela Quimisa, que planeja ampliar seu portfólio desse gênero de produtos: “Existem composições interessantes de dióxido de titânio para o mercado brasileiro, mas o custo ainda inibe a expansão dessa oferta”, ressaltou Natália Raiser, gestora de commodities da empresa.

Mas a Quimisa destacava principalmente sua linha de éteres glicólicos (PM, PMA e DPM) e o cloreto de metileno. “Esses produtos são mais sustentáveis que solventes como butilglicol; o PM, por exemplo, é biodegradável”, observou Francini Rohling, vendedora técnica da empresa. “O cloreto de metileno, embora seja um solvente mais pesado, é muito usado em formulações de removedores, ainda não há nada melhor que ele para essa aplicação”, acrescentou Francini.

A Sintequímica realiza a pré-dispersão de pigmentos para fabricantes de tintas base água. Como explicou o diretor comercial Marcelo de Macedo, ela trabalha continuamente no desenvolvimento dessa tecnologia, objetivando moer integralmente os pigmentos, manter limpo o padrão de cor e permitir a perfeita reprodutibilidade de cada item. “Com 65 anos nesse mercado, temos todo o know how para atingir esses objetivos”, enfatizou Macedo.

Cargas – Não apenas novos produtos, mas também rearranjos e redirecionamentos organizacionais foram divulgados pelos fornecedores de cargas. Caso da Sibelco, desde o ano passado estruturada em unidades globais de negócios para tintas e plásticos, entre outras, e não mais em unidades regionais. “Essa reorganização amplia a visibilidade no Brasil dos produtos que disponibilizávamos em outros países”, argumentou João Lorenzoni, gerente de marketing da empresa para as Américas.

Materializava essa afirmação de maior exposição no mercado brasileiro de opções já consolidadas em outros países a linha Minex, à base de nefelina sienita, mineral que mesmo em elevadas dosagens permite transparência às tintas, além de maior resistência química, à luz solar, radiação UV e desgaste. Linhas à base de caulim, alumina tri-hidratada e cristobalita, também devem ser agora ser mais destacadas no páis pela Sibelco.

Na Minérios Ouro Branco, a gestão familiar foi substituída por uma estrutura profissionalizada (o controle permanece com a família dos fundadores). “Nosso portfólio vem sendo continuamente ampliado, recentemente passou a incluir baritas, extensores de dióxido de titânio, novos grades de caulim calcinado, entre outros itens”, destacou o diretor José Carlos Bartholi.

Fornecida em slurry para tintas decorativas base água e com formulações destinadas a demandas específicas dos clientes – por exemplo, mais resistência à abrasão, ou maior rendimento –, a linha Brasmite era enfatizada pela Imerys, que recentemente adicionou a ela novos integrantes. Um deles, o Brasmite Max, permite a opção entre otimização do uso de polímeros ou ganho de resistência mecânica. “Por sua vez, o Brasmite Ultra proporciona harmonização entre polímeros associada à otimização de pigmento branco nas linhas que demandam acabamentos brilhantes”, afirmou Fabrício Rodrigues, gerente de vendas para Tintas e Revestimentos da Imerys na América do Sul.

Equipamentos – Como era esperado, a adequação aos preceitos da Indústria 4.0 em vertentes como automação e integração dos processos esteve entre as principais ênfases dos fabricantes de equipamentos.

A GMP, por exemplo, anunciava tecnologias para automatizar todo o processo de produção de tintas, do recebimento de matérias-primas ao produto final. Exibiu, especificamente, soluções para automatização das dosagens, seja dos grandes volumes (cargas), seja das pequenas dosagens de aditivos. Também divulgou o software GMP 4.0, para gerenciamento dessa tecnologia da Indústria 4.0. “Nossa tecnologia de automação permite reduzir os custos do processo de produção de tintas em até 70%”, afirmou Junior Machado, diretor executivo da GMP.

A Netzsch Moagem lançou a linha de moinhos Discus, que a empresa qualifica como “a nova era” dos moinhos de discos. Os equipamentos dessa linha contam com um sistema aprimorado de troca térmica. Com um novo desenho e a presença do ICC (Intensive Classifying Cartridge), um novo rotor que elimina a necessidade de separação entre o volume da câmara e o volume de separação, têm maior área útil. “Entre outros benefícios, isso propicia melhor performance energética e maior capacidade de produção”, ressaltou Paulo Reuters, gerente de vendas da empresa.

Novas versões de seus equipamentos para laboratório – todos de fabricação própria – foram apresentados pela Adexim-Comexim. Entre eles, uma cabine de luz para controle e comparação de cores, e uma câmara que utiliza fontes de UV, umidade e calor para simular envelhecimento acelerado, agora dotada de interface homem-máquina.

Cargas minerais e distribuição de aditivos também fazem parte do portfolio da Adexim-Comexim que nesse último segmento apresentou novidades, como os produtos da fabricante de especialidades para tintas em pó Estron, indicados para redução da temperatura de cura UV e melhoria do fluxo e da adesão dos revestimentos. “Da Girona, apresentamos um produto que blinda superfícies contra radiação, e da Ishizuka, um antiácaro inorgânico e um produto que absorve odores”, complementou o diretor Carlos Russo.

Química e Derivados - Meira: epóxi base água ganha espaço nas tintas industriais
Meira: epóxi base água ganha espaço nas tintas industriais

Resinas – Soluções base água também para aplicações industriais, além do conhecido portfólio de soluções para tintas imobiliárias sem solventes, inclusive em suas recentes evoluções, estiveram entre as principais atrações dos fabricantes de resinas.

Para esse gênero de aplicações, a Olin destacava as resinas epóxi DER 900, que podem ser utilizadas em substratos metálicos e de concreto, e que, pelas informações da empresa, juntamente com os endurecedores da família DEH 800, além de atender às mais atuais regulamentações sobre emissão de VOC, oferecem excelentes propriedades químicas e físicas. “Sistemas epóxi base água em aplicações industriais constituem uma realidade que começa a se consolidar também no Brasil”, afirmou Gustavo Gândara Meira, gerente de negócios de epóxi da Olin para a América Latina.

A mesma Olin lançou também a resina líquida D.E.R 331, que proporciona maior transparência em aplicações que requerem baixa cor, e a resina é blindada com um diluente reativo D.E.R 324, disponível não somente em tambores, mas agora também a granel (uma novidade na oferta da empresa).

Na Hexion, o portfolio de soluções epóxi base água inclui a linha EPI-REZ, com soluções para tintas imobiliárias e industriais. “A tecnologia EPI-REZ existe há várias décadas, mas aqui apresentamos sua mais recente evolução: a resina EPI-REZ Resin 7720-W-50, que permite revestimentos à base de água com zero VOC”, destacou Mauro Silva, gerente técnico da empresa na América Latina.

A Hexion apresentou ainda o sistema Eposil Resin 5550, híbrido de epóxi com polisiloxano, que em aplicações top coat industriais e arquitetônicas pode substituir sistemas poliuretânicos, proporcionando maior resistência a solventes.

A Kuraray exibiu a linha Exceval, à base de um copolímero de PVA modificado com etileno. Com aplicações em tintas imobiliárias e revestimentos para madeira, entre outras, essa modificação com etileno, anuncia a empresa, comparativamente aos PVAs tradicionais, proporciona maior resistência à água e melhor formação de filme, sem emissão de formaldeídos. “Em parceria com alguns clientes estamos desenvolvendo as primeiras aplicações da linha Exceval no Brasil”, contou Chyntia Bernardique, gerente de vendas na América Latina da divisão PVOH da Kuraray.

O estande da Covestro foi estruturado com o conceito ‘Cidade do Futuro’, materializado em quatro pilares: infraestrutura, mobilidade, living, esporte e lazer. Para o primeiro deles, a empresa destacou os sistemas poliaspárticos da linha Pasquick, que, de acordo com Silvio Torres, líder de operações comerciais da unidade de coatings, adesivos e especialidades da empresa na América Latina, “protegem mais e por mais tempo, e propiciam economia de tempo e maior produtividade”. Pontes, viadutos, pás eólicas, são algumas aplicações desses sistemas.

Entre outros itens expostos no estande da Covestro, havia ainda calçados colados com adesivos base água, formulados com matérias-primas das linhas Dispercoll U (dispersões de poliuretano) e Desmodur D (reticulantes para base água).

A Lubrizol apresentou novos grades da linha de poliuretanos poliamida Aptalon, e a nova linha de dispersantes poliméricos para sistema aquoso Solsperse Série W. “Esses dispersantes permitem trabalhar com uma ampla gama de pigmentos, com processos de dispersão rápidos e eficientes, e desenvolvem o máximo das cores e estabilidade para os pigmentos mais difíceis, reduzindo custo até das formulações mais sensíveis”, afirmou Arlene Kita, gerente técnica e de marketing para América Latina da empresa, que mostrou também a nova emulsão acrílico estirenada para tintas decorativas Carboset D660, além de seu portfolio de modificadores reológicos Solthix.

Resinas acrílicas puras para tintas de demarcação viária base água e base solvente foram lançadas pela Brancotex, que mostrou também a resina Elastomérica Brancocryl S40, altamente compatível com cimento e cargas minerais, indicada para mantas líquidas, impermeabilizantes de lajes, tintas térmicas, tintas elastoméricas, tinta cimentícia e aditivação de argamassas. “Também lançamos o modificador reológico uretânico RJ 900, que confere às tintas viscosidade com baixo KU e alto ICI, além de ótimo nivelamento, sem respingos, e um espessante acrílico PU que confere ótima reologia com alto ICI, ideal para tintas standard e premium”, complementou Felipe Marques, diretor da Brancotex.

A Coim reafirmou seu portfólio, no qual entre outros itens há as linhas Glicexter de resinas alquídicas e Exter S 600, com resinas de poliésteres saturadas, insaturadas ou modificadas, além de pré-polímeros de isocianatos aromáticos e alifáticos (respectivamente, com opções de 50% e 75%, e 75 e 90% de sólidos).

A Wacker apresentou uma solução à base de acetato de vinila-etileno (VAE), com a qual é possível produzir tintas de parede em pó, sem a necessidade de biocidas e com vantagens logísticas. A mesma empresa mostrou a emulsão de resina de silicone Silres BS 6042, à base de água, para formular tintas para exteriores de secagem rápida, longa duração e resistentes à sujeira, dispersões poliméricas para revestimentos betuminosos e soluções repelentes a sujeira.


Brenntag compra Quimisa

Mal terminou a Abrafati e o mercado químico foi informado, em 9 de outubro, que a Brenntag comprou a distribuidora brasileira Quimisa e sua subsidiária logística Quimilog, conjunto empresarial que reportou vendas totais de € 60,8 milhões em 2018.
German Torres, CEO da Brenntag América Latina, justificou a aquisição pela boa estrutura da adquirida, com instalações em Brusque-SC, Paraná, São Paulo e Rio Grande do Sul, que apoiarão o desenvolvimento dos negócios da distribuidora global na região Sul do Brasil. A linha de produtos da Quimisa inclui commodities e especialidades químicas, além de preparações fabricadas pela companhia, com forte atuação nos mercados têxtil, domissanitários, tintas, alimentos e bebidas, papel e celulose.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.