Química

Expositores atualizam opções tecnológicas para o setor – Abrafati

Antonio C. Santomauro
27 de dezembro de 2019
    -(reset)+

    Química e Derivados - Expositores atualizam opções tecnológicas para o setor

    Inovação, sustentabilidade, produtividade: essas seguem sendo as principais vertentes do processo de desenvolvimento de especialidades, solventes e demais ingredientes de tintas e vernizes, comprovaram as soluções expostas no evento.

    Química e Derivados - Lygia: sustentabilidade dirige o desenvolvimento de produtos

    Lygia: sustentabilidade dirige o desenvolvimento de produtos

    A Croda até buscou reunir esses apelos no conceito Smartability (junção de Smart Science e Sustainability), materializado em dois estudos com surfactantes da linha Maxemul. Um deles, focado na pegada de carbono, indicou que o Maxemul 9107, para emulsões epóxi, em concentração de 5%, na pintura de um navio que exige 100 mil litros de tinta evita a emissão de 28,9 toneladas de CO2 (correspondentes ao plantio de 116 árvores).

    Realizado ao vivo, o outro estudo da Croda mostrou que uma tinta vinil acrílica com surfactante Maxemul obteve lavabilidade 235% superior, e 58% mais de resistência à abrasão. “Estamos comprometidos com a sustentabilidade e usamos a ciência inteligente para inovar”, destacou Lygia Bruni, coordenadora de marketing da Croda na América Latina.

    No estande da Momentive, as principais atrações eram os aditivos CoatOSil MP 200 e CoatOSil T-Cur (respectivamente, para tintas arquitetônicas base água, e tintas industriais e automotivas base solvente). “Ambos são silanos oligômeros e propiciam tintas e coatings mais estáveis, relativamente aos silanos convencionais”, comparou Edson Ribeiro, gerente de vendas de Silanos para América Latina da Momentive.

    No estande da Clariant, houve várias novidades. Algumas delas: um protetor UV para sistemas base água para revestimentos externos de madeira; o aditivo de cera natural Ceridust060 TP, também para madeira, porém para revestimentos internos; pigmentos para tintas de veículos que eliminam a necessidade de moinhos de esferas na dispersão.

    Química e Derivados - Myrian: novos modificadores reológicos e antiespumantes

    Myrian: novos modificadores reológicos e antiespumantes

    Agentes reológicos e ‘aditivos verdes’ – Foram cinco os lançamentos da Wana Química. Dois deles, os modificadores reológicos uretânicos (HEUR) para tintas base água Urewan 320 e Urewan 325, esse último, pode ser utilizado como único espessante. Outros dois, os antiespumantes Wanfoam 512 e Wanfoam 520 (o primeiro à base de óleos especiais, o outro modificado, com baixo VOC). “Também lançamos o Modiwan 143, modificador reológico acrílico (HASE) que propicia reologia diferenciada, podendo ser utilizado sozinho ou com outros modificadores, em PVC standard, econômico e premium”, detalhou a gestora de produtos Myrian Oliveira.

    A Denver Especialidades destacou a linha Induskol T, de CMCS (carboximetil celulose de sódio), utilizada em tintas, massas corridas, grafiatos e texturas, com produtos oferecidos em versões com alta ou média viscosidade; tixotrópicas ou não-tixotrópicas; convencional ou de rápida dispersão. “Para cada situação há um ou mais CMCs adequados”, observou Eugênio Runge Neto, consultor técnico da Denver.

    E a Polystell ressaltava o aditivo multifuncional Polyvell 31330, qualificado como ‘aditivo verde’, pois permite eliminar a aguarrás das formulações das massas e texturas nas quais atua como estabilizante. Salientava também o dispersante biodegradável Poliadit 41282, apresentado como alternativa ao poliacrilato de sódio. “Estamos lançando ainda o Polyumec 5999, plastificante oriundo de fontes renováveis e sem ftalato”, disse Jaqueline Scapolatempore, do atendimento de vendas técnicas da empresa.

    Outros ingredientes – A ATA apresentou a linha de agentes reológicos Surfata MR, 100% uretânicos, para tintas decorativas base água. “Ela proporciona redução de respingos e melhor nivelamento, entre outros benefícios”, ressaltou José Henrique Fejfar, gerente de vendas da empresa, especializada em tensoativos, cujo portfólio inclui dispersantes, umectantes, agentes reológicos, antiespumantes, entre outros itens.

    A Solven privilegiou a exibição de duas emulsões não-iônicas à base de parafinas: Solven Sint 47 e EP Solven 460; a primeira, com teor de sólidos de 45%, mais usada na área têxtil, enquanto a EP Solven 460 tem 60% de sólidos, e maior emprego em lonas enceradas. “Por sua performance, estabilidade e relação custo/benefício, essas emulsões vem sendo bem aceitas no mercado, afirmou Emerson Victor Claudino, analista técnico de P&D da Solven.

    Especializada em ácidos graxos, a Almad realçava sua condição de empresa com alcance global, que exporta para dezenas de países. “E nossa atuação é inteiramente sustentável: usamos como matéria-prima o resíduo de outra indústria, a borra da produção de óleo de soja, e nossos resíduos também são aproveitados em tratamento de efluentes e como insumos agrícolas para correção de solos”, complementou o gerente comercial Daniel Castro.



    Recomendamos também:








    0 Comentários


    Seja o primeiro a comentar!


    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *