QUÍMICA.com.br – O Portal da revista Química e Derivados


Farmacêutico e Biotecnologia

Química Fina – Expo Índia – Indústria indiana oferece produtos

Maria Silvia Martins de Souza
6 de outubro de 2001
    -(reset)+

    Fornecedores de polpas e concentrados de frutas, também compareceram à feira, como a Mother Dairy Fruit & Vegetable Ltd. que, com uma capacidade anual de 15.000 toneladas por ano e certificação ISO 9002, oferece polpas de manga, goiaba, banana, mamão, abacaxi e outros. Havia ainda produtores de aditivos para alimentos exibindo seus produtos, caso da empresa SRGP – Foco, que fornece produtos para panificação e divulgadora de um produto de nome comercial Dinalplus. Patenteado pela empresa, o aditivo é um complexo de amido e proteína, usado como substituto parcial de ovos em produtos de confeitaria. É feito de ingredientes naturais de origem vegetal, completamente livre de aditivos químicos sintéticos. Tem um teor de proteínas e carboidratos bem maior que o dos ovos, menos gordura e nenhum colesterol.

    Química e Derivados: Índia: Móveis feitos de madeira tratada de seringueira.

    Móveis feitos de madeira tratada de seringueira.

    Metais, fibras e borracha – Algumas empresas produtoras de alumínio em pó estiveram na feira, como a Mepco Ltd. Criada em 1961 começou a produzir em 1966 alumínio em pó para uso pirotécnico. Hoje produz também alumínio em pasta e outros metais em pó, como zinco, cobre, níquel, titânio e cobalto, por processos desenvolvidos em centro de P&D próprio. Possuindo modernos equipamentos para controle de qualidade, como microscópio eletrônico de varredura, espectrômetro de absorção atômica, analisador de carbono e enxofre, além de outros, está capacitada a produzir com qualidade suficiente para exportar para vários países.

    Seu concorrente, o Grupo Arasan também veio ao Brasil divulgar seus produtos. Produtor de fósforos, fogos de artifício e alumínio em pó, exporta para Inglaterra, Espanha, Japão, Filipinas, Portugal, Africa do Sul e outros países. Segundo o gerente geral A. S. Kannan, o alumínio em pó é matéria-prima básica para manufatura de fogos de artifício e explosivos, e era, há décadas, importado pelos fabricantes indianos. Devido à crescente demanda, empresas como a Arasan viram em sua produção um negócio promissor. Com uma produção inicial de 150 toneladas anuais, a empresa desenvolveu novos campos de aplicação para o produto, produzindo atualmente 2.400 t/ano, sob certificação ISO 9002.

    Alguns fornecedores de fios e fibras também vieram à Expo Índia, como a Visaka Industries Ltd. O vice presidente Krishma Moorthi informou que sua empresa produz fios de viscose, poliester e mesclas, pigmentados ou não, usando moderna tecnologia, com maquinário importado da empresa japonesa Minatu. Das cerca de 5.000 toneladas de fios manufaturados por ano, cerca de 2.000 são exportadas para vários países, como a Itália, Bélgica, Austria e Japão. A empresa conseguiu a certificação ISO 9002 em 1995 e tem, de acordo com Morthi, produtos de qualidade superior aos produzidos por outros sistemas, como maior absorção de água, o que permite sua utilização na confecção de tecidos leves, para roupas usadas no verão e melhor capacidade de pigmentação, podendo a economia em pigmento chegar a 15%.

    Sendo a Índia o terceiro maior produtor mundial de borracha natural do mundo, empresas oferecendo este tipo de produto não poderiam faltar ao evento. Um estande foi montado pelo bureau de borracha do Ministério do Comércio indiano, com essa finalidade. O diretor desse departamento M.K. Balagopalan Nair lembrou que a seringueira Hevea brasiliensis, originária do Brasil, foi introduzida no oriente por volta de 1876. Segundo Nair, regiões do sul da Índia tem solo e clima ideais para o crescimento dessas árvores, permitindo a produção de borracha de qualidade exigida pelo BIS (Bureau of Indian Standards).

    Naquele país, além da borracha, as árvores têm também sua madeira bastante utilizada. Para tornar as plantações de seringueiras economicamente viáveis, o departamento estatal realizou um programa para promover a madeira da seringueira tratada como substituta de outras, oferecendo aos produtores serviços técnicos de consultoria e promovendo projetos para melhoria da qualidade. Afirma Nair que a madeira da seringueira, se adequadamente tratada, é durável, resistente e versátil. Sendo bem clara, apresenta propriedades de tingimento únicas e sua textura torna fácil operações de corte e colagem.

    Na Índia é usada para assoalhos e móveis, dentre outras aplicações. Com uma produção anual de 1,5 milhão de metros cúbicos, é intenção da índia exportar essa madeira para Brasil. Afirma Nair que tem condições de oferecer o produto a preços competitivos no mercado brasileiro, apesar dos custos de frete.

    Os organizadores da Expo Índia não pretendiam divulgar resultados numéricos alcançados com a feira, já que entendem que eles virão a médio prazo. Colocaram-se, entretanto, à disposição dos interessados em obter informações mais detalhadas sobre os produtos expostos ou sobre as empresas exportadoras indianas. Poderão ser contatados no Consulado Geral da Índia, à Rua Paulista, 925, 7º and., CEP 01300-100 – São Paulo/SP; tels.: (11) 3171-0340; fax: (11) 3171-0342;
    home-page: www.indiaconsulate.org.br, ou então, no ITPO, tel.: (11) 284-5925;
    e-mail: itpo@indiaconsulate.org.br.



    Recomendamos também:








    0 Comentários


    Seja o primeiro a comentar!


    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *