QUÍMICA.com.br – O Portal da revista Química e Derivados


Farmacêutico e Biotecnologia

Química Fina – Expo Índia – Indústria indiana oferece produtos

Maria Silvia Martins de Souza
6 de outubro de 2001
    -(reset)+

    Outra empresa do ramo, a Aristo Pharmaceuticals Ltd., tem experimentado, conforme informação do médico consultor Dr. Manish Maladkar, um grande crescimento nos últimos anos. Produzindo grande linha de ativos, que vai de analgésicos a enzimas digestivas, a empresa pretende vender genéricos no mercado brasileiro. Maladkar classificou a Aristo como a décima maior fabricante no mercado farmacêutico indiano, e a líder de mercado no Nepal. “Este ano nossa taxa de crescimento deve ser de 10%”, acrescentou.

    Fabricantes de produtos veterinários, como a Vetcare Organics Ltd., também divulgaram seus produtos. Intitulando-se inovadora na área, a empresa promovia, dentre outros, o halquinol, um composto pertencente ao grupo das hidroxiquinolinas. Com potentes propriedades antimicrobianas, tem tripla ação antidiarreica, sendo efetivo contra bactérias, fungos e protozoários. É tido também como promotor de crescimento, já que possui a propriedade de diminuir a motilidade do intestino, permitindo assim que o alimento permaneça no trato digestivo por mais tempo, melhorando a absorção dos nutrientes. É indicado para galinhas e porcos.

    Representantes da empresa estatal Indian Immunologicals Limited também vieram ao Brasil. Fundada em 1983, como parte de um programa criado pelo NDDB (National Dairy Development Board) para encontrar a vacina para a doença da “vaca louca” em parceria com a inglesa Wellcome, produz hoje vários produtos biológicos vetérinários. Possui a maior unidade industrial na Ásia para produção de vacinas para uso veterinário e a segunda maior unidade no mundo, com uma capacidade de produção anual de 100 milhões de doses. É pioneira na exportação de produtos biológicos e produtos da saúde animal da Índia. Tem instalações industriais com GMP (Good Manufacture Practice) e certificação ISO 9002 para os processos de produção e controle de qualidade. Oferece grande variedade de vacinas a preços competitivos, para bovinos, ovinos, cães e outros animais. Seus produtos estão de acordo com os padrões farmacopêicos internacionais, sendo exportados para muitas regiões do mundo. No Human Biologicals Institute, uma divisão da empresa, há uma unidade industrial com equipamentos de última geração para produzir produtos biológicos para seres humanos, como vacinas contra raiva, hepatite tipo B e outras moléstias.

    Outra empresa presente à feira foi a produtora de agroquímicos Tagros Chemicals India Ltd., especializada na produção de piretróides sintéticos, intermediários de pesticidas e intermediários veterinários. Tem uma capacidade anual de 1.000 toneladas, sendo a planta equipada com moderna unidade de tratamento de efluentes. Seu apurado controle de qualidade, permite ter entre seus clientes empresas como Bayer, Novartis, Zeneca e outras do mesmo porte. Afirma estar entre as líderes mundiais na produção de piretróides.

    Alimentos – De acordo com dados fornecidos pelos organizadores, a Índia é um dos líderes na produção mundial de alimentos. O processamento de alimentos primários é a principal atividade industrial do setor, com grande número de moinhos de arroz, farinha de trigo, leguminosas e oleaginosas. A embaixada informa que as exportações de produtos processados excedem os R$ 135 bilhões por ano e constituem 18% das exportações totais. A dimensão da indústria de alimentos prontos e pré-prontos para o consumo ultrapassa a US$ 1 bilhão, e o crescimento é da ordem de 20% ao ano.

    O país é considerado o segundo maior produtor de frutas e verduras do mundo, com safras de 48 milhões, 87milhões e 65 milhões de toneladas de frutas, vegetais e trigo, respectivamente. Tem também grande potencial de produção e processamento de produtos marinhos, com vários pontos de pesca ao longo de 8.041 km de linha costeira, 28.000 km de rios e milhões de hectares de reservatórios. Conta ainda com o maior rebanho do mundo, com aproximadamente 1% da carne produzida convertida em produtos de maior valor agregado. É também o maior produtor mundial de leite com uma produção anual de 78 milhões de toneladas e o principal produtor e exportador de especiarias do globo, respondendo por mais de 25% da produção mundial. Oferece mais de 60 tipos de condimentos, incluindo pimenta, gengibre, mostarda, cominho, coentro e muitos outros temperos além de várias especiarias raras que, dependendo do uso, podem ser encontradas em pó, flores, óleos e oleorresinas. Várias empresas fornecedoras desses produtos vieram à feira. “Há séculos nossas especiarias atraem a atenção do mundo. Na antigüidade, os povos viajaram grandes distâncias na busca das especiarias indianas, fazendo história, criando colônias e países.

    Graças a isso o Brasil foi descoberto”, lembrou o diretor da Hydebarad Food, Ravindra Modi. Pela primeira vez na América, Modi disse sentir-se como um “Vasco da Gama moderno”, fazendo o caminho inverso e vindo ele ao Brasil oferecer suas especiarias. Afirma Modi que graças a um moderno processo de produção, seus produtos possuem frescor, sabor e aroma refinados e o mais importante: higiene. As especiarias são classificadas, moídas, misturadas e embaladas sem nenhuma contaminação. São ainda objeto de um exigente controle de qualidade. A capacidade de produção é de 5.000 toneladas por ano. Esperava Modi contactar empresas que revendem esses produtos no Brasil, como Hikari, Ajinomoto e similares.



    Recomendamos também:








    0 Comentários


    Seja o primeiro a comentar!


    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *