Equipamento de Proteção Respiratória

Veja a importância do equipamento de proteção respiratória, os tipos de EPI definidos na NR-6 e mais informações

A proteção respiratória é uma importante aliada na segurança dos trabalhadores para o exercício de suas funções em uma atmosfera contaminada. É através deste equipamento de proteção individual (EPI) que é possível evitar os riscos de exposição e acidentes de trabalho, protegendo, dessa forma, à saúde e integridade humana.

Embora esse cenário de risco seja frequente nas indústrias químicas, não é incomum em outros segmentos, como agricultura e construção civil. Em uma série de atividades verifica-se a presença de contaminantes suspensos no ar que podem ocasionar danos aos colaboradores, inclusive intoxicação.

Os EPIs de proteção respiratória, como máscaras e respiradores, são fundamentais na proteção contra inalação de contaminantes e podem ser de vários tipos.

Acesso Rápido no post

O que são equipamentos de proteção Individual?
O que são equipamentos de proteção respiratória?
Quando este equipamento deve ser utilizado?
Quais sãos os tipos de equipamento para proteção respiratória
EPIs para proteção respiratória regulados na NR – 6
Quem deve fornecer o EPI?
Treinamento para uso de equipamento para proteção respiratória
Obrigações do trabalhador quanto ao uso do EPI

O que são equipamentos de proteção Individual?

OS EPIs são definidos como o todo disposto ou produto, utilizado pelo trabalhador, para garantir sua segurança no trabalho. Estão englobados neste conceito, além dos mencionados equipamentos de proteção respiratória, os macacões, luvas, óculos, creme protetor e muito mais. Portanto, o equipamento de proteção respiratória é apenas um dos tipos de EPI que o trabalhador pode utilizar em sua atividade.

Veja o que dispõe a NR 6, no item “6.1 Para os fins de aplicação desta Norma Regulamentadora – NR, considera-se Equipamento de Proteção Individual – EPI, todo dispositivo ou produto, de uso individual utilizado pelo trabalhador, destinado à proteção de riscos suscetíveis de ameaçar a segurança e a saúde no trabalho”.

O que são equipamentos de proteção respiratória?

Consistem em equipamentos de proteção individual utilizados para proteção do trabalhador contra a inalação de substâncias perigosas. Estes também podem ser usados em casos de deficiência de oxigênio no local.

Vale dizer que os riscos respiratórios podem ser de dois tipos:

  • particulados (poeiras, névoas, fumos e partículas tóxicas).
  • químicos (gases e vapores).

Quando este equipamento deve deve ser utilizado?

A utilização do EPI para proteção respiratória deve ser considerada como o último recurso, isto é, apenas após a aplicação de todas as outras medidas de controle pela empresa.

Em outras palavras, seu uso está sujeito a uma hierarquia para diminuir os riscos, que inclui medidas de eliminação; medidas de substituição ou minimização; medidas de engenharia; medidas de separação ou segregação; medidas administrativas.

A consideração deste EPI específico vem atrás das medidas administrativas, no momento em que nenhuma daquelas ações seja capaz de eliminar o risco de contaminação.

Quais sãos os tipos de equipamento para proteção respiratória?

Os tipos de EPIs para a proteção respiratória são:

  • Respirador Facial;
  • Respirador Descartável;
  • Respirador Semi Facial;
  • Equipamento de respiração autônomo;
  • Sistema de Linha de Ar;
  • Respirador Motorizado;
  • Respirador 1/4 facial.

Tais equipamentos também apresentam acessórios relevantes para a segurança do trabalhador, como:

  • Filtro mecânico;
  • Filtro Químico;
  • Filtro Combinado;
Equipamento de Proteção Respiratória
Equipamento de Proteção Respiratória

Base para filtro, película para respirador facial e retentor para filtro mecânico são outros exemplos de acessórios para equipamentos para proteção respiratória.

EPIs para Proteção Respiratória regulados na NR – 6

D – EPI PARA PROTEÇÃO RESPIRATÓRIA

D.1 – Respirador purificador de ar não motorizado:

  1. a) peça semifacial filtrante (PFF1) para proteção das vias respiratórias contra poeiras e névoas;
  2. b) peça semifacial filtrante (PFF2) para proteção das vias respiratórias contra poeiras, névoas e fumos;
  3. c) peça semifacial filtrante (PFF3) para proteção das vias respiratórias contra poeiras, névoas, fumos e radionuclídeos;
  4. d) peça um quarto facial, semifacial ou facial inteira com filtros para material particulado tipo P1 para proteção das vias respiratórias contra poeiras e névoas; e ou P2 para proteção contra poeiras, névoas e fumos; e ou P3 para proteção contra poeiras, névoas, fumos e radionuclídeos;
  5. e) peça um quarto facial, semifacial ou facial inteira com filtros químicos e ou combinados para proteção das vias respiratórias contra gases e vapores e ou material particulado.

D.2 – Respirador purificador de ar motorizado:

a) sem vedação facial tipo touca de proteção respiratória, capuz ou capacete para proteção das Este texto não substitui o publicado no DOU 7 vias respiratórias contra poeiras, névoas, fumos e radionuclídeos e ou contra gases e vapores;

b) com vedação facial tipo peça semifacial ou facial inteira para proteção das vias respiratórias contra poeiras, névoas, fumos e radionuclídeos e ou contra gases e vapores.

D.3 – Respirador de adução de ar tipo linha de ar comprimido:

a) sem vedação facial de fluxo contínuo tipo capuz ou capacete para proteção das vias respiratórias em atmosferas com concentração de oxigênio maior que 12,5%;

b) sem vedação facial de fluxo contínuo tipo capuz ou capacete para proteção das vias respiratórias em operações de jateamento e em atmosferas com concentração de oxigênio maior que 12,5%;

c) com vedação facial de fluxo contínuo tipo peça semifacial ou facial inteira para proteção das vias respiratórias em atmosferas com concentração de oxigênio maior que 12,5%;

d) de demanda com pressão positiva tipo peça semifacial ou facial inteira para proteção das vias respiratórias em atmosferas com concentração de oxigênio maior que 12,5%;

e) de demanda com pressão positiva tipo peça facial inteira combinado com cilindro auxiliar para proteção das vias respiratórias em atmosferas com concentração de oxigênio menor ou igual que 12,5%, ou seja, em atmosferas Imediatamente Perigosas à Vida e a Saúde (IPVS).

D.4 – RESPIRADOR DE ADUÇÃO DE AR TIPO MÁSCARA AUTONOMA

a) de circuito aberto de demanda com pressão positiva para proteção das vias respiratórias em atmosferas com concentração de oxigênio menor ou igual que 12,5%, ou seja, em atmosferas Imediatamente Perigosas à Vida e a Saúde (IPVS);

b) de circuito fechado de demanda com pressão positiva para proteção das vias respiratórias em atmosferas com concentração de oxigênio menor ou igual que 12,5%, ou seja, em atmosferas Imediatamente Perigosas à Vida e a Saúde (IPVS).

D.5 – Respirador de fuga a) respirador de fuga tipo bocal para proteção das vias respiratórias contra gases e vapores e ou material particulado em condições de escape de atmosferas Imediatamente Perigosas à Vida e a Saúde (IPVS).

Treinamento para uso de equipamento para proteção respiratória

De acordo com a NR-6, é de responsabilidade do empregador o oferecimento de treinamento ao trabalhador sobre o uso correto do equipamento para proteção respiratória.

Veja o que reza a NR- 6, no seu item 6.6.1 “Cabe ao empregador quanto ao EPI: d) orientar e treinar o trabalhador sobre o uso adequado, guarda e conservação.”

Quem deve fornecer o EPI

Além do treinamento, cabe a empresa o fornecimento gratuito de EPIs ao trabalhador para se proporcionar um ambiente seguro para todos.

A NR 6 estabelece que “6.3 A empresa é obrigada a fornecer aos empregados, gratuitamente, EPI adequado ao risco, em perfeito estado de conservação e funcionamento, nas seguintes circunstâncias: a) sempre que as medidas de ordem geral não ofereçam completa proteção contra os riscos de acidentes do trabalho ou de doenças profissionais e do trabalho; b) enquanto as medidas de proteção coletiva estiverem sendo implantadas; e, c) para atender a situações de emergência”.

O Artigo 166 da Consolidação das Leis Trabalhistas dispões que a empresa deve fornecer aos empregados, gratuitamente, EPI adequado ao risco e em perfeito estado de conservação e funcionamento, sempre que as medidas de ordem geral não ofereçam completa proteção contra os riscos de acidentes e danos à saúde dos empregados.

Ações de incentivo para utilização, com cartazes, placas e distribuição de material impresso também devem ser estimuladas na empresa para a conscientização no ambiente de trabalho.

Obrigações do trabalhador quanto ao uso do EPI

Por outro lado, o empregado também tem deveres a ser cumpridos quanto ao EPI, inclusive podendo incorrer em sanções, como advertência, suspensão e até mesmo a demissão, conforme o caso.

Veja o que termina a NR6, item 6,7.1 “Cabe ao empregado quanto ao EPI:

a) usar, utilizando-o apenas para a finalidade a que se destina;

b) responsabilizar-se pela guarda e conservação;

c) comunicar ao empregador qualquer alteração que o torne impróprio para uso;

d) cumprir as determinações do empregador sobre o uso adequado”.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios