Logística, Transporte e Embalagens

Embalagem industrial – Setor investe no meio ambiente

Antonio C. Santomauro
26 de abril de 2020
    -(reset)+

    Química e Derivados - Tambores usados aguardam recondicionamento nas instalações da Tambortec

    Tambores usados aguardam recondicionamento nas instalações da Tambortec

    Setor investe para oferecer alternativas seguras e mais amigáveis ao meio ambiente

    Diretamente dependente da dinâmica de outros setores, a indústria brasileira de embalagens industriais moderou um pouco as metas e expectativas iniciais deste ano. Segue crendo em registrar em 2020 um desempenho superior ao do ano passado; mas seus investimentos parecem capacitá-la para demanda mais intensa, e ao mesmo tempo permitem o aproveitamento de novas oportunidades de geração de negócios (além de reduzir custos e elevar produtividade).

    Química e Derivados - Bassi: operações novas no Sul e Nordeste para suprir clientes

    Bassi: operações novas no Sul e Nordeste para suprir clientes

    Um desses investimentos foi feito pela Rentank, que em fevereiro inaugurou em Guarulhos-SP uma unidade onde centralizou a prestação de serviços como limpeza e descontaminação de embalagens. “Analisamos agora a montagem de operações no Nordeste e no Sul, estamos muito focados em serviços e queremos ficar mais próximos dos nossos clientes”, adianta Laurício Bassi, gestor dessa fornecedora de IBCs metálicos e IBCs articulados (estes, integralmente feitos de metal ou com revestimento de polipropileno).

    Química e Derivados - IBC rígido com modelo cúbico fabricado pela Rentank

    IBC rígido com modelo cúbico fabricado pela Rentank

    No início do ano passado, a mesma Rentank já havia se transferido para nova sede, em Jaguariúna-SP – com área 50% maior que a da sede anterior, ela inclui armazém das embalagens que a empresa tanto importa quanto produz no Brasil por meio de parceiros terceirizados.

    Também a Mauser, no começo de 2019, iniciou a efetiva operação de uma planta, em Louveira-SP, onde produz tambores metálicos destinados principalmente ao setor químico (em Matão-SP, a empresa também produz tambores metálicos, consumidos em maior escala pela indústria de sucos naturais). “Com capacidade produtiva relevante, a nova planta é muito moderna e automatizada”, ressalta Edson Rossi, CEO da operação brasileira da Mauser, que fornece para os setores químico e petroquímico embalagens plásticas de 5 a 220 litros, tambores metálicos com tampa fixa ou removível, e IBCs de polietileno com palete de madeira ou de metal.

    Química e Derivados - Cunha: refabricação de IBCs teve capacidade duplicada

    Cunha: refabricação de IBCs teve capacidade duplicada

    Por sua vez, a Schütz-Vasitex inaugurou duas novas unidades no ano passado, ambas dedicadas à refabricação de IBCs: uma em Camaçari-BA e outra em Guarulhos-SP (neste município estão instaladas as duas outras fábricas da empresa, uma para produção de IBCs novos e outra para IBCs recondicionados por lavagem química).

    Os IBCs refabricados, explica Luiz Francisco Cunha, diretor-executivo da Schütz-Vasitex, são desmontados, têm seus recipientes plásticos contaminados reciclados, e as grades metálicas reutilizadas em um novo IBC. “A inauguração dos novos parques nos permitiu duplicar nossa capacidade produtiva”, observa o profissional da Schütz-Vasitex, empresa cujo portfólio inclui embalagens feitas de polietileno virgem ou reciclado, com capacidade entre cinco e mil litros.



    Recomendamos também:








    0 Comentários


    Seja o primeiro a comentar!


    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *