Distribuição – Variação cambial afetou os negócios

Química e Derivados -

Distribuição – Variação cambial e do preço do petróleo afetaram os negócios

A quantiQ, empresa do Grupo GTM, também apresentou suas respostas às perguntas da Química e Derivados, por meio de Annik Costa Varela, managing director para o Brasil.

QD: Que medidas foram tomadas dentro da distribuidora para evitar que a doença se alastrasse entre os colaboradores?

Annik Varela: Iniciamos o ano otimistas com as reformas econômicas propostas pelo governo e por toda dinâmica da economia. Entretanto, a alta do dólar, a desvalorização do real, queda do petróleo e a chegada do coronavírus exerceram um impacto grande em todos os setores da indústria, incluindo a distribuição de produtos químicos. Além disso, o Brasil, assim como boa parte dos países da América Latina, está passando por crises políticas, econômicas e sociais. Este macro cenário inconstante e de incertezas também se reflete diretamente no desempenho econômico dos países.

Falando da distribuição de produtos químicos no Brasil, temos um cenário bastante complexo, pois além da questão cambial, que é um tema muito relevante, temos o impacto no preço das matérias-primas pela queda do preço do barril do petróleo e os efeitos da Covid-19 pelo mundo que trazem um contexto de redução de produção, parada de plantas e, portanto, geram impactos nos custos pela baixa taxa de utilização das capacidades produtivas pelo mundo. Esse mix de efeitos traz uma realidade diferente para cada tipo de matéria-prima, segmento de mercado e consequentemente de indústria.

Em meio a todo esse cenário extremamente desafiador, percebemos que as empresas estão mais conservadoras, uma vez que estão muito preocupadas com o caixa e com a viabilidade do negócio dos clientes. Diante disso, nosso foco tem sido monitorar de perto a situação de cada cliente, buscando, em conjunto com nossas representadas, alternativas para melhor atendê-los.

Nos demais países onde atuamos, o cenário da pandemia também afetou os negócios, uma vez que boa parte da América Latina passou por períodos restritivos, incluindo lockdown, impactando diretamente a economia desses países. Apesar de todo cenário complexo, foi possível também identificar oportunidades de mercado. Em alguns países, por exemplo, potencializamos negócio com a indústria de sanitizantes. Por outro lado, algumas operações enfrentarão um período desafiador, como a Região Andina, que apresenta uma dependência dos negócios de O&G e foi afetada diretamente queda do preço do petróleo.

Em resumo, é fato que a pandemia provocou impactos de alta proporções, seja no âmbito econômico quanto no âmbito das relações humanas, mas acreditamos que é importante manter o foco nas operações, nas relações comerciais em parceria com nossos clientes e representadas, atuando com agilidade frente às situações que possam surgir.

[adrotate banner=”276″]

QD: Quais mercados estão sendo mais resistentes à crise e quais mercados tenderão a se recuperar melhor, assim que afrouxados os sistemas de isolamento social?

AV: A quantiQ, uma empresa do grupo GTM, oferece soluções para mais de vinte mercados, entre eles tintas, construção civil, home care, personal care e borracha. Cada mercado possui especificidades e, frente à crise, reagiram de maneiras diferentes. Por exemplo, o mercado de home care, motivado pela alta procura por matérias-primas para formulação de álcool em gel e produtos de limpeza, apresentou números positivos. Por outro lado, setores como automobilístico e construção civil, foram fortemente impactados pela redução da demanda.

Acredito que a retomada das atividades econômicas, se dará de forma gradativa e os mercados apresentarão comportamentos distintos de recuperação, o que não significa que não existam espaços e oportunidades frente ao “novo normal”. Negócios relacionados a saúde, limpeza e desinfecção serão potencializados aos novos hábitos. Acreditamos fortemente que surgirão oportunidades nos próximos tempos para quem estiver atento a elas e com uma equipe bem preparada.

QD: Houve mudanças no relacionamento com clientes e fornecedores?

AV: Desde o início da pandemia, em meados de março, temos trabalhado ainda mais próximos aos nossos clientes para atender às suas necessidades atuais, preservando seu abastecimento. Adicionalmente, trabalhamos também para fortalecer o nosso fluxo de caixa, além de contar com apoio de nossas representadas para flexibilizar onde possível.

Em relação às nossas representadas, temos caminhado muito próximos com o objetivo principal de manter a dinâmica de abastecimento da cadeia, de maneira a minimizar os impactos da pandemia no dia a dia das pessoas.

Ressalto também que, em toda a nossa dinâmica de recebimento e despacho de produtos, adotamos uma série de medidas sanitárias com o objetivo de preservar a saúde de todos.

Por fim, todas essas medidas estão alinhadas com a importância em sermos o parceiro escolhido por nossos clientes, representadas e colaboradores.

QD: As operações logísticas estão sendo realizadas normalmente, tanto no mercado interno, quanto nas importações? Houve algum impacto na política de estoques?

Química e Derivados - Annik Costa Varela, da quantiQ
Annik Costa Varela, da quantiQ

AV: Sim, as operações logísticas estão sendo realizadas normalmente. Temos trabalhado fortemente no mapeamento dos possíveis riscos que nossos fornecedores têm no âmbito de suprimentos, entendendo profundamente como as representadas estão alocando suas produções. Isso nos ajuda a dimensionar, seja aumentando ou diminuindo, a nossa necessidade de comprar para assegurar o suprimento para nossos clientes.

Até o momento, não passamos por nenhum impacto significativo no que diz respeito a fornecimento de produto. Além disso, a quantiQ possui estoque de segurança dos principais produtos e tem feito um trabalho próximo a seus clientes para acompanhar a perspectiva futura e antecipar a demanda. Atualmente, temos percebido uma procura maior de novos clientes realizando consultas e compras de determinadas linhas, principalmente para as especialidades, em que os principais fornecedores estão no mercado externo e das quais temos produtos em nossos estoques, além de acesso direto aos nossos parceiros.

QD: Que medidas foram tomadas dentro da distribuidora para evitar que a doença se alastre entre os colaboradores?

AV: Nossos Líderes, assim como as equipes de saúde e RH estão dedicados e envolvidos integralmente no tema, acompanhando diariamente os informes oficiais do Ministério da Saúde e da OMS a fim de atuar de maneira rápida e segura, preservando os públicos estratégicos da empresa.

[adrotate banner=”276″]

Desde o início da disseminação da doença, adotamos medidas preventivas como suspensão de todas as viagens (nacionais e internacionais), assim como participação em eventos, por tempo indeterminado. Praticamente todo os colaboradores que desempenham funções administrativas ou são considerados grupos de risco estão trabalhando em formato home office. Para colaboradores das áreas de operações, determinamos a divisão de grupos para entrada escalonada em setores, refeitório e utilização de vestiários, assim como limite máximo de ocupação das salas operacionais.

Nos Centros de Distribuição, adotamos novos procedimentos de entrada para prestadores de serviço, incluindo preenchimento de questionário de saúde, medição da temperatura corporal, além do uso de máscara, que se tornou obrigatório para todos que circulam nas instalações, incluindo também os nossos colaboradores.

O Grupo GTM está monitorando constantemente o avanço do Coronavírus nos onze países em que têm atuação e agindo de acordo com as leis e restrições específicas de cada país. Neste momento, a companhia está direcionando todos os esforços para preservar a saúde e a vida de colaboradores, parceiros e prestadores de serviços.

Leia Mais:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.