Logística, Transporte e Embalagens

Distribuição: Depois de aquisições e adequação de portfólio, setor está pronto para suprir retomada econômica

Marcelo Fairbanks
9 de maio de 2017
    -(reset)+

    Castro observa que há fabricantes químicos gigantes que reduziram suas parcerias a pouquíssimos distribuidores globais, com o intuito de reduzir o volume de transações e manter vínculos mais profundos. “Funcionou? Talvez, depende de com eles avaliam o resultado”, afirmou. Pelo que percebeu na atual crise econômica, a mais profunda da história nacional, houve um aumento da procura por distribuidores regionais no Nordeste, Sul e Centro Oeste para ampliar o mercado consumidor de produtos fora dos centros tradicionais, muito disputados.

    Os movimentos de concentração de negócios na distribuição aparentemente replicam o que se verifica no ambiente industrial. “Olhando no longo prazo, esses movimentos parecerem ser cícliclos, agora estamos na fase da concentração, mas isso levará a futuros splits que abrirão caminho para uma fase de multiplicação empresarial e assim por diante”, disse. Mesmo no mercado de soda caústica, muito concentrado comercialmente no Brasil, ainda vicejam distribuidores regionais, como apontou.

    Química e Derivados, Andressa: recuperação têxtil melhora vendas na região Sul

    Andressa: recuperação têxtil melhora vendas na região Sul

    Sul mais atrativo – A distribuidora Quimisa, também produtora de insumos têxteis e seus auxilares, além de detergentes, prepara a transição para a terceira geração da família Wehmuth. Aos 25 anos, a administradora de empresas com experiência no mercado financeiro e industrial Andressa Wehmuth está sendo preparada para ocupar altas posições na companhia. “Na minha geração familiar, também há meu irmão, que está estagiando nos laboratórios da empresa”, comentou a coordenadora de negócios da Quimisa, fundada em 1959 pelo seu avô Ary Wehmuth.

    Andressa revela uma forte ligação da companhia com os estados da região Sul. “Embora seja um grande mercado em que atuamos, a região Sudeste é muito concorrida, parece que os clientes focam demais nos preços e deixam de lado valores como agilidade de entrega, atendimento eficiente, reprodutibilidade de lotes e relacionamento de pós-venda”, ressaltou. Na região Sul, o relacionamento com clientes é mais fácil, com tempo disponível para apresentar melhor os trabalhos desenvolvidos.

    Ela apontou que as indústrias tradicionais da região Sul, como curtumes, calçadista e têxtil, sofreram muito nos últimos anos e reduziram sua atividade. “O setor têxtil está melhorando, porque a Ásia está reavaliando suas exportações e o controle que a China está exercendo contra poluição vai reduzir a oferta de produtos”, comentou. O quadro não deve ser tão bom como era em 2000, mas ficará acima dos níveis atuais.

    Pelos mesmos motivos, Andresa comenta que a China deixou de contar com amplos excedentes de químicos com os quais supria o consumo mundial. “Temos um estrutura própria de busca de fornecedores na Ásia e estamos desenvolvendo outras fontes de suprimento em Taiwan, na Índia e até na Indonésia”, afirmou. Também o México está sendo avaliado como fonte de insumos. “Pode ser uma boa oportunidade para a indústria brasileira aproveitar.”

    A Quimisa mantém contratos de distribuição com nomes conhecidos pelo mercado como Olin (que comprou os negócios de cloro/soda da Dow), Basf, Dow, Evonik e Novozymes, entre outros. “Temos clientes e distribuídas atuando conosco há 58 anos”, ressaltou.

    A distribuidora concentra 75% de suas vendas na região Sul, mas também atende às demais regiões. “Temos exclusividade para distribuir enzimas da Novozymes para household e limpeza industrial, isso nos permite atuar até no Norte e Nordeste, regiões nas quais não somos competitivos nas commodities”, explicou.

    Andressa comentou que o foco estratégico da distribuidora recai nas áreas de insumos agropecuários, produtos para animais domésticos (pet), household e limpeza para área de saúde (medical cleaning). “Somos referência no mercado de limpeza hospitalar e industrial, com enzimas e complementos, por isso estamos construindo laboratórios e reavaliando continuamente o portfólio”, comentou.

    As linhas de produção industrial própria possuem alta sinergia com a distribuição química, facilitando o relacionamento com fornecedores até pela escala maior de compras. “Em faturamento, as vendas da indústria e da distribuição estão equilibradas, mas são negócios independentes”, disse.

    Neste ano, iniciado com metas conservadoras, as vendas do primeiro trimestre foram consideradas regulares. “Pelo menos, foi possível perceber que os clientes estão mais animados e a atividade econômica está se recuperando”, afirmou Andressa. Nos últimos anos, 2015 foi muito bom para a Quimisa, com aumento de vendas de 12%. Por sua vez, 2016 foi ruim, com queda significativa da atividade da indústria regional, refletida em corte de 15% nas vendas. Segundo informou, os clientes passaram a fragmentar mais as compras e os pagamentos. Como os fornecedores encurtaram os vencimentos para 15 dias, houve aumento de custo financeiro, pressionando a rentabilidade. “Não perdemos market share, apesar disso”, ressaltou.

    Andressa trabalha na Quimisa há quatro anos e considera o mercado químico interessante pelas múltiplas possibilidades de negócios que podem ser desenvolvidas com base em um portfólio amplo, como o da distribuidora. “E também porque gosto de desafios”, finalizou.



    Recomendamos também:








    Um Comentário


    1. Alexandre

      Boa tarde pode me ajudar o que dilui dióxido de titânio estou fazendo um cera automotiva



    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *