Distribuição – Ampliação do portfólio de produtos e serviços garante vendas e margens

Por ser a líder em faturamento, a quantiQ tende a enfrentar concorrência direta com os pesos-pesados internacionais que se instalam no país. “É muito positiva a entrada de novos players internacionais no mercado porque isso incentiva a manter padrões mundiais de qualidade”, afirmou o presidente.

A distribuidora finalizou o planejamento quinquenal, que define os objetivos norteadores dos seus trabalhos. “Com base no estudo profundo do comportamento dos mercados e da nossa capacidade, definimos os segmentos nos quais precisamos investir mais e as mudanças a serem feitas”, explicou Bighetti.

Uma das avaliações do estudo indicou que os seus centros de distribuição não estão compatíveis com os objetivos de longo prazo, exigindo investimentos em capacidades e equipamentos. Os serviços logísticos e de engenharia prestados a clientes e terceiros favorecem o aprendizado da companhia para aprimorar suas operações. “A prestação de serviços fortalece a cadeia produtiva, aumentando a confiança entre as partes e formando parcerias”, disse. Ele informou que alguns concorrentes usam o CD de Guarulhos-SP para realizar operações logísticas, sem conflitos.

A ideia da distribuidora consiste em assumir tarefas para seus clientes sempre que se revelar mais eficiente que estes. É o caso da formulação de blends específicos de produtos. Porém, isso exige um alinhamento de interesses entre distribuídas, distribuidores e clientes.

Os planos da quantiQ incluem a abertura de mais um filial na região Nordeste, desta vez em Fortaleza-CE, além das existentes em Salvador-BA e Jaboatão dos Guararapes-PE. “O Nordeste está crescendo, mas com polos industriais especializados em cada região, com foco em têxteis, calçados e produtos automotivos”, comentou.

Química e Derivados, Abrantes: área de químicos para indústrias teve maior crescimento
Abrantes: área de químicos para indústrias teve maior crescimento

Crescimento acelerado – A M.Cassab mantém um plano agressivo de evolução de negócios com vistas ao centenário do grupo empresarial, daqui a 14 anos. No ramo químico – o grupo também tem interesses em utensílios domésticos, produção animal e empreendimentos imobiliários –, possui uma posição muito forte em produtos farmacêuticos, alimentos e nutrição animal. A etapa atual espera fortalecer a distribuidora nos produtos químicos consumidos pelas indústrias, área recente de negócios, mas que vai se tornando cada vez mais significativa dentro do grupo.

O faturamento de 2013, considerando apenas a distribuição química, chegou a R$ 717 milhões, 20% superior ao de 2012. Em dólares, essa variação chegou a 10%. “Estamos adicionando produtos complementares ao portfólio para alcançarmos a meta de duplicar o faturamento químico em cinco anos”, afirmou Fernando Rafael Abrantes, CEO da área de distribuição da M.Cassab.

Exatamente a divisão de química industrial foi a que apresentou maior crescimento no grupo nos últimos anos. Antes restrita a insumos e formulações para poliuretano, a divisão encontra campo aberto para multiplicar suas vendas em plásticos, borracha e lubrificantes, neste último ainda dependendo de uma licença da ANP para comercialização óleo mineral básico.

Em PU, a regulamentação técnica das especificações dos colchões de espuma ajuda a comercializar insumos de qualidade, inibindo a participação de produtos de baixo preço e desempenho. Em plásticos, a M.Cassab comercializa a resina de PVC (emulsão e solução) e também os aditivos necessários para a sua compostagem. Nas borrachas, vende os principais elastômeros, aditivos e óleos de processamento.

Segundo Abrantes, a média de rentabilidade da distribuição química diversificada nos Estados Unidos gira em torno dos 8% do Ebitda, mas ele entende que, no Brasil, operar na faixa entre 5% e 8% pode ser considerado muito satisfatório. “A M.Cassab está nessa faixa de rentabilidade”, afirmou.

Embora a divisão química tenha crescido acima das demais, a área de produção animal ainda é a maior do grupo, compreendendo o suprimento de aminoácidos, enzimas, produtos pra saúde animal e premixes. “Essa área tem futuro garantido, porque é a vocação natural do país, que aplica alta tecnologia na produção de suínos e aves e tende a fazer o mesmo com os bovinos”, salientou Abrantes.

A área de life sciences (alimentação, farmacêutica, cosméticos e domissanitáros) também possui muitas oportunidades de negócios. A vida moderna exige o consumo crescente de comidas prontas e de alimentos funcionais. A M.Cassab oferece às indústrias misturas de vitaminas da Basf, com alta receptividade pelas indústrias alimentícias.

Os segmentos de farma e de cosméticos mantêm a trajetória de vendas crescentes, apoiados nos genéricos e no aumento de renda da população (veja mais informações sobre esses segmentos na reportagem sobre as feiras FCE Pharma e Cosmetique). O segmento de domissanitários (household) aproveita insumos disponíveis nas demais áreas e também responde aos pleitos da vida moderna. “Com a redução do desemprego, a tendência atual é de as famílias não contarem com empregadas domésticas, realizando por elas mesmas esse serviço, como acontece na Europa e nos Estados Unidos”, afirmou Abrantes. “Essas pessoas querem produtos de limpeza mais eficientes e fáceis de usar, aplicando insumos mais avançados nas formulações.” Esse mercado também é regulado pela Anvisa.

Página anterior 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11Próxima página
Mostrar mais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios