Domissanitários (sabões, detergentes e limpeza)

Detergente em Pó – Produto com maior poder de lavagem e menor consumo de água é o desafio do mercado

Gerson Trajano
15 de dezembro de 2011
    -(reset)+

    Enzimas removem a sujeira– As enzimas são proteínas com propriedades catalisadoras de reações. São biodegradáveis e têm origem natural, obtidas pela fermentação de bactérias e/ou fungos. “É bom pensar nelas como num processo digestivo, no qual se degradam os elementos em frações menores. Isso auxilia o surfactante a remover as sujeiras”, explica Adriana Maganhotto, da Novozymes.

    Química e Derivados - Adriana Maganhotto - Novozymes - Zeólitas e Enzimas

    Adriana: combinação de zeólitas e enzimas pode substituir o STPP

    A Novozymes é uma multinacional voltada para o desenvolvimento de novas enzimas, de soluções biotecnológicas, engenharia genética e química proteica. Em 1989, inaugurou sua fábrica em Araucária-PR, produzindo enzimas e processos enzimáticos para os mais variados segmentos industriais, entre eles o segmento de limpeza. O desenvolvimento sustentável orienta a atuação e os negócios da empresa.

    A Novozymes investe de 12% a 14% de seu faturamento em pesquisas de novas proteínas para detergentes. “As enzimas viabilizam um negócio mais sustentável, melhoram a eficiência e aumentam a abrangência de especificidades de limpeza”, diz Adriana.

    Para Haruki Kume, da Clariant, as enzimas funcionam muito bem sobre as manchas, porém ela pode interferir na ação de outros ingredientes do detergente, diminuindo o seu desempenho, além de apresentar desafios em termos de estocagem e produção.

    Existem no mundo diferentes enzimas para essa aplicação. A mais comum é a protease, seguida pela amilase, celulase, carbohidrase (como a mananase e a beta-glucanase), e por fim a lipase. Cada uma delas atua em um tipo diferente de sujeira.

    A protease participa da degradação de proteínas (carne, sangue, leite, ovos), a lipase é usada contra as gorduras (manteiga, óleo de fritura, azeites), a amilase para os amidos (batata, trigo), a celulase atua na limpeza de fibras muito pequenas e delgadas, na manutenção do branco natural e tem efeito de antirredeposição. A mananase é utilizada na remoção de manchas causadas pelos espessantes utilizados na indústria alimentícia.

    Auxiliares de limpeza – Os alvejantes são auxiliares de branqueamento e se dividem em dois grupos: com e sem cloro. Alvejantes com cloro podem somente ser utilizados em roupas brancas e se degradam com facilidade. Também existe o grupo de alvejantes não clorados, com base no oxigênio ativo, que pode ser aplicado em todos os tipos de roupas, até mesmo as coloridas.

    Nos últimos anos, diversas linhas de alvejantes em pó, menos agressivos ao meio ambiente e às fibras dos tecidos, surgiram no mercado. Todos os alvejantes utilizam um composto chamado TAED (tetra acetil etileno diamina), eficaz em temperatura baixa.


    Página 5 de 512345

    Recomendamos também:









    1. Agora que estava ficando bom o assunto o texto acaba. Por gentileza, continuem essa reportagem, para sabermos mais sobre a utilização de enzimas e alvejantes. Afinal a propaganda que passa na TV do “rosa” manda colocar junto com o detergente em pó. E se esse detergente tiver enzima, o que acontece??


      • Quimica e Derivados

        Aparentemente, não há incompatibilidade entre alvejantes por oxidação (o rosa) e detergentes com enzimas. A composição do “rosa” inclui proteases, por exemplo. Veja a composição completa na ficha de segurança dos produtos, que está disponível no site do fabricante do “rosa”: http://www.rb.com/br/SegurancadeProduto-FISPQ. Eles são incompatíveis com alvejantes clorados – há um aviso bem grande quanto a isso nas embalagens.

        Atenciosamente,

        a redação de QD.



    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *