CPhI South America 2011 – Insumos farmacêuticos atraem mais expositores estrangeiros

Química e Derivados, CPhI South America 2011, Insumos farmacêuticos atraem mais expositores estrangeirosDe volta a São Paulo, a CPhI South America 2011, em quarta edição, abriu novas perspectivas e oportunidades para a indústria farmacêutica, ao receber cerca de 300 expositores nacionais e internacionais, principalmente vindos da China (60), Índia (20), Coreia (15), mas também da França, Itália, Alemanha, Estados Unidos, México, Argentina, entre outros, refletindo o bom momento do setor no país para implementar expansões e ter acesso a grandes players, sejam produtores, fornecedores e/ou distribuidores de matérias-primas para a fabricação de medicamentos.

Realizada de 24 a 26 de agosto, no Transamerica Expo Center, pela UBM Brazil, a exposição cumpriu a meta de alcance de público, ao atrair mais de quatro mil visitantes. “A CPhI 2011 cresceu 20% em relação à edição de 2010 e projetamos um crescimento de 25% para 2012, consolidando-a como o maior evento focado em insumos farmacêuticos da América Latina, que proporciona a troca de informações, networking e a certeza de grandes negócios para os expositores e visitantes”, considerou Cassiano Facchinetti, gerente de eventos da UBM Brazil.

Já planejada pelos organizadores, a quinta edição, programada para o período de 21 a 23 de agosto de 2012, das 13 às 20 horas, terá novamente São Paulo como sede, e ocupará parte do novo pavilhão atualmente em construção no mesmo centro de exposições. De caráter itinerante, a CPhI South America já transitou por várias cidades e países da região. A primeira edição foi realizada no Rio de Janeiro, em 2008. A segunda, em 2009, ficou em São Paulo, e a terceira foi instalada em Buenos Aires, na Argentina.

Simultaneamente à CPhI South America 2012, a UBM Brazil promoverá pela primeira vez a PTX (Powder Tecnology Expo) South America. O evento é voltado à apresentação de tecnologias para os campos de partículas finas e sólidos secos a granel, e está direcionado aos setores de produtos farmacêuticos, mineração, construção, produtos químicos, vidros, cerâmicas, alimentos, processamento de madeiras e agricultura, constituindo uma oportunidade para fornecedores de equipamentos e de serviços para armazenamento, manipulação e processamento de partículas finas e sólidos secos a granel buscarem novos clientes.

Novos projetos são ativados – Como representante de empresas internacionais, o grupo M.Cassab foi um dos estreantes de peso da CPhI South America deste ano. Com 15 diferentes unidades de negócios e especializada em importação, distribuição, trading e produção de insumos para vários segmentos, foi representada pela divisão farmacêutica, e aproveitou a oportunidade para comemorar a recente aquisição das operações da Barrera Pharma, que propiciará à companhia representar no Brasil 18 fabricantes internacionais de princípios ativos farmacêuticos.

“Com a Barrera Pharma, vamos complementar nosso já amplo portfólio de produtos e passaremos a atuar também com vendas locais. Já atuávamos no fornecimento de excipientes, princípios ativos e insumos considerados commodities para as indústrias farmacêuticas, mas com a compra da Barrera vamos acentuar nossa atuação na área de novos ativos e de ativos próximos a expirar a vigência de patentes, participando do desenvolvimento de novos projetos e de produtos para lançamento”, informou Gustavo Levy Dosualdo, diretor comercial das áreas farmacêutica e de alimentos da M.Cassab.

O novo investimento, portanto, permitirá à divisão farmacêutica oferecer ao mercado um pacote completo de serviços. Nesse pacote, estão incluídas atividades de consultoria ou assessoria para a busca de novas oportunidades em matérias-primas e produtos, bem como de novos fornecedores, suporte técnico para o desenvolvimento de formulações, entre outras. “Pretendemos oferecer uma nova maneira, mais dinâmica, de atendimento às indústrias, e estamos nos estruturando para ser uma referência no setor, oferecendo tudo o que uma indústria precisa”, sintetizou.

A nova abordagem na maneira de fazer negócios também foi confirmada pela participação de Cynthia Barrera, gerente nacional de vendas da M.Cassab, na programação de conferências da CPhI 2011. No dia 25 de agosto, a especialista discorreu sobre as “Estratégias Internacionais de Sucesso Adotadas em Laboratórios Genéricos”, atraindo grande interesse de público.

Química e Derivados, Cynthia Barrera e Gustavo Levy Dosualdo, M.Cassab, aquisição
Cynthia e Dosualdo: aquisição reforçou o portfólio da M.Cassab

Segundo Cynthia Barrera, várias estratégias de desenvolvimento são passíveis de adaptação ao mercado brasileiro. Uma delas é acompanhar as moléculas desenvolvidas e patenteadas no mundo todo, cujo estudo propiciaria aos laboratórios fabricantes de medicamentos genéricos desenvolver moléculas alternativas, que não infrinjam as patentes registradas, apresentando, porém, alto nível de eficácia e concebidas com formas ou formulações diferentes, para o lançamento de novas formulações e medicamentos.

Outras estratégias propulsoras de desenvolvimento bem-sucedidas ocorrem pela fusão, aquisição ou joint venture firmada entre empresas. Entre os vários modelos que deram certo, Cynthia citou a fusão entre os laboratórios Pfizer e Teuto, e várias aquisições, como a da Amgen, que adquiriu a Bergamo, a da Sanofi que comprou a Medley e firmou também joint venture no exterior, destacando ainda outras negociações mais recentes, a exemplo da compra da Sun Pharmaceutical (Índia) pela Merck, realizada em abril deste ano, e da aquisição da Granules (Índia) pela Ajinomoto, efetivada em junho de 2011, bem como a negociação entre a Eurofarma e o Cristália, que resultou na criação da empresa Supera, em julho de 2011.

Outra estratégia lembrada por Cynthia vai ao encontro dos biossimilares. Nesse caso é primordial identificar quais produtos biológicos patenteados são de interesse e trabalhar para oferecê-los ao mercado brasileiro. Outra forma de implementar maior desenvolvimento das indústrias ocorre pelos licenciamentos. “Existem várias empresas no exterior que oferecem produtos acabados para licenciamento no Brasil e uma delas é a alemã AET, que possui portfólio com mais de 50 produtos para tratamento de várias afecções e moléstias”, acrescentou a gerente nacional de vendas da M.Cassab, finalizando com uma informação preciosa para o conhecimento de toda a cadeia: “Até 2012, 17 medicamentos no mundo todo, e com faturamento em reais superior a R$ 750 milhões, terão suas patentes vencidas e essas oportunidades devem estar na mira dos fabricantes locais.”

Saúde cardiovascular – No rol das líderes globais em insumos para nutrição humana, com uma gama de mais de 30 vitaminas lipossolúveis (A, D, E, K etc.), e várias outras hidrossolúveis (C, B, Pantenol etc.), a DSM Produtos Nutricionais lançou um ingrediente inovador e natural voltado para a saúde cardiovascular. Trata-se de Fruitflow, um concentrado de tomate que age sobre as plaquetas impedindo sua agregação, para emprego em lácteos, bebidas e suplementos nutricionais.

Considerado seguro por não interromper o processo de coagulação sanguínea, tão importante na ocorrência de lesões, Fruitflow já está disponível para ser aplicado em bebidas e alimentos, devendo ser disponibilizado também como insumo farmacêutico em 2012.

Nos Estados Unidos, a primeira aplicação de Fruitflow ocorreu na concentração de três gramas por porção na bebida RelaxZen, uma mistura de extratos de maracujá, açaí e camomila, com consumo recomendado para pessoas que farão viagens aéreas, ficando horas na mesma posição, como prevenção à formação de coágulos e tromboses, pois ajuda a manter o fluxo sanguíneo dos passageiros em padrões normais.

“Fruitflow consiste na parte hidrossolúvel do tomate, é isento de licopeno e capaz de manter as plaquetas dos indivíduos, até mesmo os estressados, tensos e fumantes, em estado desativado, embora, na ocorrência de lesão, não irá impedir a coagulação do sangue, não apresentando, portanto, uma ação irreversível”, comentou Daniel Lacerda Borges, gerente da área de nutrição humana e saúde da DSM Produtos Nutricionais Brasil.

Química e Derivados, Daniel Lacerda Borges, DSM Produtos Nutricionais Brasil, tomate ajuda inibir a agregação das plaquetas
Borges: tomate ajuda a inibir a agregação das plaquetas

Como solução natural, o ingrediente é o primeiro a ser aprovado pela E.F.S.A. (European Food Safety Autority), entidade europeia que avalia a segurança dos alimentos, até para o emprego do apelo: “Ajuda a manter a agregação plaquetária normal, o que contribui para o fluxo sanguíneo saudável”, colocado em alimentos funcionais, suplementos alimentares, entre outros a serem comercializados em todos os países da comunidade.

Altamente estável e solúvel em água, o novo ingrediente conquistou dois prêmios na categoria inovação, concedidos pela Health Ingredients Europe em 2010 e pelo Nutracon, em março de 2011. Apresentado sob duas formas, como xarope solúvel em água, e em pó, livre de açúcar, esse concentrado de tomate foi preparado por processos patenteados e conta com o selo Quality for Life.

A crescente demanda dos consumidores por produtos naturais também levou a DSM a adquirir a Vitatene, empresa sediada na Espanha e especializada em carotenoides naturais. Os carotenoides, como o beta-caroteno, apresentam atividade pró-vitamina A e, assim como a luteína, o licopeno e a zeaxantina, exercem atividade antioxidante, protegendo, por exemplo, contra a degeneração macular, considerada a maior causadora de cegueira, e também contra a catarata e outras doenças desencadeadas pela ação de radicais livres.

Pela primeira vez participando da exposição, a Química Anastácio destacou sua nova atuação em ingredientes ativos para o setor farmacêutico, complementando o seu amplo portfólio de matérias-primas e excipientes, como óleo mineral USP, propilenoglicol USP, vaselina sólida USP, sorbitol em pó e a 70%, sacarina sódica, glicerina vegetal, triglicérides do ácido cáprico, entre muitos outros.

“Nossa intenção é atuar fortemente no fornecimento de ativos para o setor farmacêutico, abrangendo em nossa oferta, por exemplo, paracetamol em pó, dipirona sódica, nicotinamida, cafeína anidra, vitamina C, entre tantos outros”, informou Rodrigo D’Amaro, gerente de vendas da Química Anastácio.

Química e Derivados, Rodrigo D'Amaro, Química Anastácio, ingredientes ativos
D’Amaro: linha de produtos inclui ingredientes ativos

Reforço no suprimento local – Por sua vez, a Bandeirante Brazmo destacou a recente criação da divisão Farma, que estará dedicada à importação de ativos e excipientes para o setor farmacêutico. Segundo José Roberto Arruda, diretor comercial da divisão, os primeiros embarques de insumos farmacêuticos já estão sendo iniciados e os fornecimentos para o mercado brasileiro estão previstos para começar em janeiro de 2012.

“Pretendemos abastecer o mercado brasileiro com insumos como dipirona, paracetamol, captopril, cetoconazol, cânfora sintética, maleato de enalapril, omeprazol em pellets (10% e 8,5%), vitamina C em pó, vitamina C revestida, entre muitos outros, ajudando a manter os suprimentos locais em benefício da atuação das indústrias farmacêuticas”, informou o diretor Arruda.

Atuando em oito diferentes áreas de negócios, a Bandeirante Brazmo reúne atualmente uma das maiores estruturas de distribuição de produtos químicos da América Latina, com 20 mil m² de armazéns e 90 mil m³ de tancagem. A empresa também distribui matérias-primas das linhas Carbowax, Sentry e polietilenoglicol da Dow Química, além de álcool isopropílico, acetona, ácido acético e hexilenoglicol da Rhodia.

Química e Derivados, Jose Roberto Arruda, Bandeirante Brazmo, divisão farmacêutica
Arruda: divisão farmacêutica começa a operar com importados

Novas cápsulas para uso tópico– A grande inovação apresentada pela Catalent Pharma Solutions neste ano ficou por conta das cápsulas vegetais moles em uma única dose e com abertura twist off para uso tópico, podendo envolver ativos e ingredientes para emprego dermatológico e dermocosmético, com benefícios antissinais, antimanchas, antiacne e de tratamento de várias outras afecções da pele. Trata-se da tecnologia de encapsulação Vegicaps, isenta de componentes animais, constituída de uma combinação de goma de carragena, amido de milho, fosfato dissódico e glicerina vegetal.

Apresentadas com vários acabamentos e cores, estão disponíveis em mais de 250 tipos e acondicionam cerca de 150 desenvolvimentos e soluções já formuladas em produtos. Entre as formulações encapsuladas exclusivas estão ingredientes como a vitamina A (retinol) e a vitamina C (ácido ascórbico), que possuem alta instabilidade, mas cuja produção em cápsulas moles e microencapsulação em sistemas especiais de liberação ajudam a melhorar a estabilidade e a aumentar a absorção pela pele.

“A nossa proposta é a de nos posicionarmos no mercado como parceiros no desenvolvimento de novos produtos, apresentando diferenciais, como poder trabalhar com cápsulas vegetais de fácil abertura e estáveis ao calor, que permitem encapsular ativos sem conservantes, auxiliam na posologia de aplicação dos produtos e também se biodegradam em apenas dez dias após o uso”, destacou Rodrigo F. Pytel, gerente de contas da Catalent.

A empresa também destacou tecnologias exclusivas, como Liopan, para o desenvolvimento e a fabricação de comprimidos liofilizados de rápida dissolução, para medicamentos antialérgicos e produtos de venda livre (OTC), e Zydis, oferecendo formas farmacêuticas orais sólidas e liofilizadas, que se derretem em de três a cinco segundos na boca, dispensando o uso de água. “Pesquisamos com sucesso muitas soluções farmacotécnicas para modular a farmacocinética de ingredientes ativos”, complementou Pytel.

Com fábricas no Brasil, Colômbia e Venezuela, a Procaps produz e comercializa produtos farmacêuticos, cosméticos, veterinários e também participa do mercado alimentício, produzindo gomas de gelatina. Fundada em 1977, na cidade de Barranquilla, na Colômbia, foi pioneira na fabricação de cápsulas de gelatina naquele país, especializando-se também nas áreas de líquidos estéreis, injetáveis, seringas, cremes, géis, tabletes e cápsulas duras.

Segundo Daniel Torres, executivo de contas da Procaps, a empresa desenvolve cerca de 50 novos produtos a cada ano, seguindo tendências apresentadas no mercado global. As cápsulas moles de gelatina, além de garantir a uniformidade de conteúdos e a estabilidade dos princípios ativos, tornam os fármacos mais absorvíveis. Entre as novidades apresentadas na CPhI 2011 pela empresa, destacou-se a vitamina C, produzida em goma de gelatina, uma forma diferenciada de apresentação do produto.

Excipientes em expansão – Represen­tante da francesa Roquette Pharma, destacada produtora global de polióis e excipientes apirogênicos para fabricação de soluções parenterais e injetáveis, entre outros, a Labonathus destacou novos desenvolvimentos envolvendo fibras solúveis, além da gama de polióis e amidos de aplicação farmacêutica. “O mercado de excipientes vem crescendo vigorosamente e nós acreditamos muito na sua expansão, oferecendo mais de 500 itens, tendo como líderes de venda os polióis derivados do milho, como umectantes e auxiliares de compressão direta”, informou Fernando C. Graton Leite, gerente comercial da Labonathus.

Química e Derivados, Fernando C. Graton Leite, Labonathus, polióis
Leite: polióis lideram a venda de excipientes farmacêuticos

A linha da Roquette se compõe de polímeros para revestimento (film coating), feitos de amidos modificados; diluentes, como amidos nativos, modificados e pré-gelatinizados; tecnologias para encapsulação molecular e agentes de dissolução, desintegrantes, complementos nutricionais (dextrina, proteína de ervilha, microalga), entre outros.

Sediada no Brasil, mas com filiais na China e na Índia, a Lanza Pharma, fornecedora de insumos para a indústria farmacêutica, divulgou a sua mais nova parceria, firmada com a dinamarquesa Chr. Olesen Pharmaceuticals. A nova representada, fundada há mais de 120 anos, propiciará a expansão do portfólio com o acréscimo de ingredientes e ativos nas áreas de vitaminas e de aminoácidos, como explicou Naiara Carvalho, farmacêutica da Lanza Pharma.

Da Alemanha, a Lipoid, representada no Brasil pela Lipid Ingredients & Tecnologies, apresentou ao público ampla linha de lecitinas e fosfolipídeos em grau farmacêutico, destacando lecitinas de ovo, fosfolipídeos sintéticos (fosfatidilcolina, lisofosfatidilcolina, fosfatidilglicerol, fosfatidiletanolamina, entre outros), utilizados para a fabricação de lipossomas injetáveis para tratamento de cânceres, vacinas contra a hepatite C e contra a gripe aviária, para citar apenas algumas aplicações.

Segundo Gustavo Cadurim de Oli­veira, diretor comercial da Lipid, ainda se destaca no mercado brasileiro em virtude da grande demanda a oferta de óleos purificados combinada com lecitina de ovo, para o preparo de emulsões para nutrição parenteral, entre outras, fabricadas em sintonia com as normas de GMP, em três fábricas instaladas na Alemanha e totalmente documentadas. “Também trabalhamos na área de P&D de novas drogas, utilizando diferentes carreadores, representados pelas tecnologias de lipossomas, nanoemulsões e micelas (ex-patente Roche), para carrear drogas lipofílicas mais potentes para o tratamento de deficiências vitamínicas, envolvendo a vitamina K e drogas para tratar cânceres”, mencionou Oliveira.

Anestésicos em alta – Com 30 toneladas de produção prevista para 2011 de antirretrovirais para o programa DST/AIDS do Ministério da Saúde do governo brasileiro, boa parte relacionada com efavirenz e zidovudine, o AZT, e projeção de fabricação de 40 toneladas em 2012, a Nortec Química, de Duque de Caxias-RJ, destaca-se como a maior fornecedora desse gênero de medicamentos.

Química e Derivados, Juliana Megid Cossa, Nortec Química, anti-histamínicos
Juliana: anti-histamínicos são os itens mais vendidos

Contudo, apesar dessa posição, o carro-chefe de vendas da empresa, segundo a gerente técnica Juliana Megid Cossa, é representado pela linha de anti-histamínicos, principalmente o citrato de orphenadrine, princípio ativo do medicamento Dorflex, fabricado para suprir o mercado local e também as exportações, direcionadas, em grande parte, aos países asiáticos. “Temos alcançado bons resultados também com a venda de anestésicos, principalmente lidocaína e prilocaína, área na qual também nos destacamos, ocupando a posição de principal fabricante nacional e somos reconhecidos como o maior fabricante de insumos farmacêuticos ativos da América Latina”, comentou Juliana.

Com sede em Berlim, Alemanha, a Pharma Action, por sua vez, destacou substâncias ativas focadas no anticoagulante heparina, cuja produção já rendeu à companhia uma premiação.

Como subsidiária da Bayer Schering Pharma, pertencente ao grupo Bayer Healthcare, detentora de amplo portfólio de hormônios, a Proquina também marcou presença na exposição deste ano. Instalada em Orizaba, no México, a empresa iniciou atividades em 1963, produzindo intermediários de esteroides e ingredientes ativos, baseados na planta barbasco, abundante naquela região. Na CPhI 2011, o principal destaque ficou por conta da apresentação de um ativo para tratamento da alopecia (estradiol).

Com escritório instalado no Rio de Janeiro e sede em Lisboa, Portugal, a Biolotus Biotech destacou suas especialidades nas áreas de importação, exportação, desenvolvimento, registro e distribuição de produtos para hematologia, ginecologia, tratamento de feridas, endocrinologia, entre outros.

De Michigan, EUA, a Graminex LLC marcou presença na feira, destacando extratos insolúveis de pólen de flores, contendo altos níveis de aminoácidos, antioxidantes e flavonoides, e com posologia recomendada para manter a saúde da próstata, do fígado, aliviar sintomas da menopausa e atuar sobre os sistemas urinário e imunológico.

Pela primeira vez participando da CPhI, a Hovione, empresa farmoquímica, fabricante de corticosteroides, antibióticos, meios de contraste e produtos para inalação, destacou, de acordo com a diretora Carla Vozone, itens de sua produção, realizada em cinco fábricas na Europa e na China, além de Centro de Tecnologia instalado nos Estados Unidos e dedicado às atividades de terceirização de produtos inovadores.

 

[box_light]Saiba mais: CPhI South America 2011 – Participação asiática domina a exposição[/box_light]

[box_light]Leia também: Mercados local e global seguem em alta[/box_light]

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.