Couro e Curtumes

Couro: Redução do ICMS ELEVA as exportações paulistas

Renata Pachione
5 de dezembro de 2004
    -(reset)+

    Química e Derivados: Couro: Fleck foi reeleito presidente do centro tecnológico do couro. ©QD Foto - Divulgação

    Fleck foi reeleito presidente do centro tecnológico do couro.

    O Centro Tecnológico do Couro, Calçados e Afins – CTCCA reelegeu pela quinta vez consecutiva Martinho Fleck à presidência da entidade, agora para o biênio 2005/2006. A posse foi realizada durante a 32ª edição da Couromoda, em janeiro, no Pavilhão do Anhembi, em São PauloSP. Ele anunciou como uma das prioridades de seu mandato buscar mais competitividade para o industrial brasileiro atuar no mercado externo. Em 2004, o setor calçadista faturou US$ 1,8 bilhão, em exportações, com a venda de 200 milhões de pares de calçados, um incremento de 17% frente aos números do ano anterior. Para 2005, a Associação Brasileira das Indústrias de Calçados (Abicalçados) prevê aumentar esse índice em 15%.

    O mercado coureirocalçadista (indústrias de calçados, de componentes, curtumes e máquinas) registrou faturamento de US$ 4,06 bilhões com as exportações. Desse total, a indústria coureira contribuiu com US$ 1,4 bilhão. Segundo dados do Sindicato da Indústria do Curtimento de Couro e Peles no Estado de São Paulo (Sindicouro), as exportações paulistas de couro (wetblue, semiacabado e acabado) somaram, em 2004, US$ 380 milhões, 43,2%, superior às do ano anterior. O índice é três vezes maior do que o registrado pelo líder nas exportações do setor: o Rio Grande do Sul. De acordo com a Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), um dos fatores favoráveis para esse incremento referese à redução da carga tributária do ICMS, na cadeia produtiva do couro e do calçado, de 18% para 12%.

    Alto nível – Com fabricação de 700 milhões de pares de calçados, por ano, o País é considerado o terceiro maior produtor mundial de calçados atrás da China e Índia. Na opinião de Fleck, a tecnologia empregada pela indústria nacional também contribui para a forte penetração da produção brasileira no exterior. Um dos aliados do setor nesse quesito é o Centro Brasileiro de Engenharia do Calçado Nestor Herculano de Paula – Cebec, criado pela CTCCA. No local são realizados testes de biomecânica, destinados à avaliação do conforto e da ergonomia dos calçados.

    Química e Derivados: Couro: Fábrica de calçados - Brasil é o terceiro produtor mundial. ©QD Foto - Divulgação

    Fábrica de calçados – Brasil é o terceiro produtor mundial.

    “O centro é uma ferramenta que agrega valor ao produto nacional”, comentou Fleck. O Cebec desenvolve processos, técnicas, matériasprimas para a fabricação de calçados, com o apoio de instituições universitárias do País.

    Os relatórios técnicos emitidos pelo CTCCA também possuem o respaldo do Satra Technology Centre. Desde 2002, o centro é certificado por esse instituto inglês, tornandose o único órgão da América Latina a possuir esse reconhecimento internacional. “A certificação do Satra é a porta de entrada dos produtos nacionais no mercado europeu”, afirmou Fleck.

    O CTCCA possui 32 anos e funciona como uma instituição de pesquisa do setor coureiro-calçadista. Prova de seu comprometimento com o mercado pôde ser conferida no Anhembi. A entidade montou na exposição a Fábrica Modelo, uma réplica de uma indústria de calçados.

    Sob a operação da Pé de Ferro Calçados, de FrancaSP, o projeto mostrou ao visitante todo o processo de confecção de um calçado, com a participação de cerca de 100 indústrias. Os produtos fabricados no local receberam o Selo de Conforto e Saúde do Pé, conferido pelo centro.



    Recomendamos também:








    0 Comentários


    Seja o primeiro a comentar!


    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *