Couro e Curtumes

Couro: Curtumes aderem à onda ecológica

Fernando C. de Castro
24 de outubro de 2003
    -(reset)+

    REDUÇÃO DE SOLVENTES ORGÂNICOS NO ACABAMENTO DE COUROS HIDROFUGADOS.
    Cyprian Mushumba Elio Lemos – Empresa: Stahl Brasil S.A
    Nas últimas décadas, a STAHL vem trabalhando na direção de sistemas completos de acabamentos aquosos, na preocupação de reduzir o impacto ambiental, mantendo a estética dos couros e ao mesmo tempo oferecendo alta performance. Esta apresentação mostrou acabamento de couro hidrofugado com novas tecnologias, em polímeros como acrílico, poliuretano, híbrida e top fosco com tecnologia “Polimatte”, que associados a um reticulante à base de isocianato, podem oferecer aos técnicos em couros novos produtos, com altas propriedades num sistema totalmente aquoso com a redução de solventes orgânicos e menos riscos ao meio ambiente.

    SUBSTÂNCIAS NOCIVAS NO COURO – UM PANORAMA ATUAL
    Dr. Gerhard Wolf, BASF AG, Ludwigshafen e Felipe Schuck, BASF SA, Sapucaia do Sul
    Atualmente a indústria do couro se encontra numa situação complicada. Por um lado e em primeiro plano, há naturalmente dúvidas por parte dos curtumes em relação ao fornecimento e à qualidade de matéria-prima. Do outro, há uma crescente pressão sobre os curtumes e as indústrias que utilizam couro, tais como fábricas de calçados, móveis, automóveis e vestuário, para que minimizem as substâncias nocivas no couro e em produtos com couro. Principalmente na Europa e nos EUA, a discussão pública sobre substâncias nocivas criou enorme pressão sobre a indústria, criando uma legislação altamente restritiva para centenas de produtos.

    TINGIMENTO – UM ENFOQUE ATUAL
    Equipe técnica da Clariant no Brasil
    Para os técnicos curtidores, “tingir” nunca pôde restringir-se unicamente a executar a operação destinada, por definição, a “meter ou molhar em tinta, alterando a cor primitiva” ou “dar certa cor a; colorir”. Desde os tempos em que o tingimento de couros era realizado com produtos de origem ou vegetal ou animal ou através de combinações minerais insolúveis em água, a operação sempre mostrou-se complexa e sujeita a uma série de fatores intervenientes. Esta complexidade torna-se maior nos dias atuais quando as empresas curtidoras mundiais estão constantemente em busca de aprimoramento do processo de tingir, por tratar-se de uma das etapas mais importantes e onerosas no ciclo de fabricação de couros.

    METODOLOGIA DE ANÁLISE DE DIOXINAS EM CINZAS OBTIDAS DA INCINERAÇÃO DE COURO WET-BLUE
    Cristina Hoffl, Lígia Marczak e Maria Cândida Mendes
    Programa de Pós-Graduação em Engenharia Química da Universidade Federal/RS em convênio com a Fundação de Ciência e Tecnologia do Estado.
    O presente trabalho trata da validação de uma metodologia de análise para a determinação de dibenzo-p-dioxinas policloradas (PCDDs) em cinzas obtidas através da incineração de aparas de couro wet-blue. As dioxinas podem ser formadas na superfície das partículas de cinzas em reações de combustão. A metodologia utilizada para analisar dioxinas nas cinzas de couro foi baseada no Método 8280B da Agência de Proteção Ambiental dos Estados Unidos da América (EPA-USA). Este método descreve os procedimentos de extração de matrizes específicas, o clean-up para os analitos específicos e a determinação de dioxinas através das técnicas de cromatografia gasosa de alta resolução e espectrometria de massa de baixa resolução. A eficiência de extração das dioxinas foi obtida com os resultados comparativos das análises entre matrizes contaminadas com solução padrão de dioxinas e o padrão analítico. A validação deste método para análise de dioxinas policloradas em cinzas de couro wet-blue foi considerada satisfatória para os objetivos do trabalho, uma vez que a eficiência de extração de dioxinas obtida ficou dentro dos critérios estabelecidos pelo método.

    ÓLEOS ENGRAXANTES, EVOLUÇÃO E ECOLOGIA
    Valter Graffunder
    Objetivando contribuir com informações técnicas, apresentamos um histórico da evolução dos engraxantes para o tratamento de couros.Enfocamos a evolução dos engraxantes, inovações e suas estruturas, características químicas e efeitos, em função das exigências que surgiram. Complementam-se com informações sobre tecnologia limpa, ecológicos, ambientalmente favoráveis, com relação aos engraxantes e os respectivos artigos de couro produzidos. Seguimos a atual tendência de uso de inovações sustentáveis. Desta forma, aumenta-se a qualidade e a competitividade mercadológica dos artigos de couros e seus artefatos.

    OTIMIZAÇÃO DO PROCESSO DE CURTIMENTO AO CROMO COM NOVA TECNOLOGIA DE SAIS MASCARANTES E CONTROLES DE VARIÁVEIS
    Elígio Stoppa, Marcelo Camargo e Luiz Paulo Azevendo
    A industria coureira em geral, deve voltar-se para responsabilidade de produzir couros de uma forma ecologicamente correta, otimizando os processos existentes visando melhorar sempre o produto final couro. Com esse pensamento desenvolvemos um processo de curtimento ao cromo utilizando em conjunto uma nova tecnologia de sais mascarantes que proporcionam resultados ao curtente ( como diminuição da adstringência, aumenta a velocidade de penetração do curtente ), nos couros ( como melhora na padronização dos wet – blues nas pilhas, melhora na estrutura da flor e na lisura, modifica o toque, melhora a distribuição vertical do cromo, proporciona um wet – blue com coloração mais limpo, maximiza a quantidade de Cr2O3 fixadas a proteína em ate 30 %, obtém-se couros que ao serem recurtidos, apresentam uma grande melhora na padronização e intensidade dos tingimentos dos couros ) e nos banhos ( minimiza a quantidade de Cr2O3 nos banhos finais de curtimento em ate 50% ).



    Recomendamos também:








    0 Comentários


    Seja o primeiro a comentar!


    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *