Química

Cosméticos – Tinturas – Europa começa a banir pigmentos irritativos a Brasil deve seguir medida

Rose de Moraes
13 de novembro de 2008
    -(reset)+

    Tecnologias nacionais – AS tinturas também contam com outras tecnologias nacionais. A Polytechno oferece várias fórmulas especiais que podem ser aditivadas diretamente nas colorações permanentes e semipermanentes, para aumentar a durabilidade das tinturas e proteger os cabelos contra os danos que possam ser causados pelas colorações.

    Um dos desenvolvimentos da empresa nessa área é denominado Bio- Restore, uma associação de um derivado estável de cisteína – aminoácido responsável pela reparação intensiva das cutículas danificadas –, com fi tonutrientes e silício orgânico.

    Química e Derivados,  Joãosinho A. Di Domenico, engenheiro químico,  Cosméticos - Tinturas - Europa começa a banir pigmentos irritativos a Brasil deve seguir medida

    Joãosinho A. Di Domenico: aditivo com císteína para reparar as fibras capilares

    De acordo com o engenheiro químico Joãosinho A. Di Domenico, vice-presidente da Polytechno e da Íon Química, e também responsável pelas diretorias técnica e industrial, o Bio-Restore confere força e resistência aos cabelos, repara as fi bras capilares, apresentando alta bioafinidade com os fios.

    Essa composição de ativos, portanto, tem alta afinidade com a queratina, e irá produzir um filme protetor nos fios com efeito condicionante, retendo a hidratação. Tinturas capilares formuladas com Bio-Restore comprovaram várias melhorias em laboratório. Testes para verificar a estrutura do fio microscopicamente revelaram que o produto reparou totalmente as cutículas, deixando-as com as escamas fechadas e uniformes. A estabilidade na cor de tinturas com Bio-Restore também se manteve praticamente inalterada após 24 lavagens. Os benefícios decorrentes da incorporação desse ativo em tinturas permanentes trazem resultados muito signifi cativos quanto à redução de volume e aumento de brilho, mais do que dobrando a maciez, a redução de frizz e a penteabilidade tanto a seco quanto a úmido.

    A lista de bioativos desenvolvidos pela Polytechno é, porém, bem mais ampla. Com proteínas hidrolisadas do arroz, presentes em ProArroz, é possível não só reduzir a velocidade de perda da cor dos cabelos tingidos, como reparar os fios, protegendo-os contra a agressividade dos agentes colorantes. A associação de proteínas obtidas da soja, do trigo e da aveia, tal qual realizada em Bioex Cereais, formando um filme protetor nos cabelos, restaura a flexibilidade natural dos fios e confere hidratação intensa. Com Polygreen Orbignya Quat, outra tecnologia inovadora da Polytechno, desenvolvida com o quaternário derivado do óleo de babaçu, a empresa oferece ao mercado, segundo destacou Domenico, uma importante alternativa ao uso convencional de quaternários, porém, com performance superior e segurança comprovadas. Com quaternário derivado do óleo de oliva, a Polytechno também desenvolveu Polygreen Quat OL. Após sucessivos testes realizados com esse ativo, constatou-se excelente ação lubrificante e baixa irritabilidade, além de maciez, conferidos pelos nutrientes do óleo de oliva. Uma composição de triglicerídeos vegetais, presente em Phyto-Glyceride, também comprovou facilitar a penetração dos pigmentos nas cutículas e no córtex dos cabelos. “PHyto-Glyceride restaura a flexibilidade e a elasticidade natural dos fi os, previne e combate o ressecamento e melhora a textura dos cabelos e a espalhabilidade da tintura, além de reduzir o tempo para que ocorra a penetração dos pigmentos da tintura no córtex, aumentando, assim, a quantidade que irá penetrar nos cabelos, melhorando bastante a coloração capilar”, concluiu Domenico.

    Tinturas renovadas – Aminoácidos da queratina, como a cisteína, integram inovações em tinturas permanentes de oxidação. Esse é o caso da linha Keraton Color, desenvolvida pela Kert, em 25 nuances, entre louros, castanhos, marrons, cobres, vermelhos e preto, incluindo nove tons intensos. A ação do aminoácido está voltada à proteção da fi bra capilar e visa a conferir proteção para que os cabelos não percam elasticidade. “A cisteína não representa apenas um dos dezoito aminoácidos da queratina existentes nos fi os de cabelos, como também, juntamente com a glutamina, são as que ocorrem em maior concentração nos fi os, sendo também rica em enxofre, e responsável pelas ligações de enxofre, que devem ser preservadas pois, do contrário, será muito difícil restabelecer ligações rompidas dos fi os, passíveis de ocorrer em meios muito alcalinos, quando se trabalha com pH acima de 11,0”, esclareceu a química Ivete Szilágyi de Carvalho, diretora da Kert.

    Além das colorações permanentes, a empresa também produz tonalizantes de deposição, sem amônia ou monoetalonamina, mas fabricados com nitroanilinas, para durar desde seis até oito lavagens, e que são compatíveis com tioglicolato de amônia, hidróxido de sódio, hidróxido de lítio e guanidina. Adepta do uso das nitroanilinas, Ivete considera que essa categoria de pigmentos não agride o couro cabeludo e é muito mais suave, recomendando seu uso para toda a extensão dos cabelos, fazendo-se apenas o retoque das raízes com colorações permanentes, caso seja necessário cobrir totalmente os fios brancos.



    Recomendamos também:








    8 Comentários


    1. LUiz menezes

      Esses produtos c pigmentação Carioni a trazem algum risco a saúde?Ex:Menfirst shampoo


    2. Léia

      A koleston é a coloração com a.maior concentração de ppd quase morri com a koleston, nunca tinha tido reação nenhuma com colorações até usar a koleston
      A keune, sensi color que sao para pessoas alérgicas, ela tbm contem o ppd maquiado com outros componentes, adquiri essa alergia ao ppd e amônia,no Brasil não existe nenhuma coloração ou tonalizante para pessoas alérgicas ao ppd, faço tratamento no hospital das clínicas, com alergologista e não tem nada que nos ajude com esse problema…usei um banho de brilho da salon line ele é uma máscara tonalizante que disfarça os fios brancos e tem tbm o Dedicace da loreal que pode ajudar tbm…o restante da reação até mesmo a henna surya!


    3. Leni Estevam

      Este texto foi muito esclarecedor.
      Obrigada


    4. A coloração da Lanza não tem nada disso, alem de ter o baixo nível de amônia!
      Deixa os cabelos hidratados !


    5. maria

      Boa tarde,
      Também tenho medo de tinta devido ao ppd…mas fenilendiaminas (diaminotoluenos), não é o mesmo? a syoss penso que usa fenilendiaminas (diaminotoluenos), na sua fórmula.


    6. Sonia Alves

      Já estamos em 2016 e até agora continuo aguardando que essa lei entre em vigor aqui no Brasil. Sou alérgica ao PPD, já utilizei a coloração 10′ da L’Oreal que há alguns anos foi colocada em nosso mercado, não tive nenhuma reação negativa no couro cabeludo mas ela, infelizmente, rapidamente foi retirada das lojas sem ninguém saber porque…



    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *