Química

Cosméticos – Tinturas – Europa começa a banir pigmentos irritativos a Brasil deve seguir medida

Rose de Moraes
13 de novembro de 2008
    -(reset)+

    Também na opinião de Tatiana Straioto Bianco, analista de marketing da área cosmética da Ipiranga Química, vários efeitos adversos das tinturas aos cabelos como ressecamento e desbotamento podem ser facilmente revertidos com o emprego de ativos especialmente desenvolvidos para formulações de tinturas. “Para uso em tinturas, oferecemos ao mercado dois ativos específi cos, cuja ação é comprovada por testes de eficácia”, informou Tatiana.

    Um deles é o óleo de jojoba (Eco Oil), que propicia vários benefícios às tinturas. “Estudos de eficácia comprovaram que a adição do óleo de jojoba às formulações melhora a espalhabilidade da tintura nas mechas dos cabelos, facilita a penetração da cor no córtex, aumenta a durabilidade da cor e promove brilho, mesmo após sucessivas lavagens”, informou a especialista. Outro ativo específi co para incorporação em tinturas foi desenvolvido pela Ajinomoto. Trata-se de arginina, um aminoácido que torna os cabelos tingidos mais macios e previne o enfraquecimento dos fi os. “Incorporar a arginina como agente alcalinizante à porção oxidativa das tinturas reduz os danos causados aos cabelos, melhora a textura e a sedosidade ao toque e prolonga a duração da cor, reduzindo a perda da coloração por lavagem”, informou. A recomendação quanto à concentração de uso desse ativo em tinturas é até 8% e quanto mais for possível aumentá-la menor uso se fará de hidróxido de amônio.

    Além de ativos para tinturas, a Ipiranga Química também oferece vários ativos para tratamento de cabelos pós-coloração que revitalizam os cabelos danificados. O Ajidew TM NL 50 é uma pirrolidona carboxilato de sódio, um PCA sódico, na forma de solução aquosa a 50% que mantém a coloração dos cabelos tingidos, conforme comprovado por testes clínicos. Já Prodew 500 é um blend constituído de aminoácidos – PCA sódico, lactato de sódio e mais onze aminoácidos na forma de solução aquosa a 50%. “Por conter PCA sódico, Prodew 500 ajuda a manter a coloração dos cabelos após as lavagens, sendo que a arginina aumenta a adsorção do PCA de sódio aos fi os e o mix de aminoácidos ajuda a diminuir os danos causados aos cabelos”, informou Tatiana. Ambos os ativos representam tecnologias da Ajinomoto.

    Corantes naturais – A italiana Alfaparf resgatou recentemente um conceito de tintura que vem da Antiguidade, quando os cabelos eram tingidos com plantas de alto poder tintorial. Assim, a linha Color Wear de colorações vem oferecendo ao público a mais nova opção em fórmulas tonalizantes naturais que propiciam até 100% de cobertura dos fi os brancos, alcançando até a tonalidade correspondente ao louro médio. “Trata-se de uma linha de coloração tom sobre tom, desenvolvida com pistilos das flores de açafrão (amarelos), raízes da rúbia (vermelhas) e índigo (azul), e que também conta com fixador natural à base de taninos de vinho”, informou Rivelino Rodrigues, técnico de produtos do Centro Técnico da Alfaparf, instalado em São Paulo. Testada quanto à efi – cácia, a linha toda contendo corantes naturais comprovou ser 30% mais duradoura nos cabelos em comparação com os demais tonalizantes de qualidade existentes no mercado.

    De todos os corantes naturais utilizados, o mais famoso certamente é o índigo. Originalmente cultivada na Índia, a planta índigo, também utilizada na coloração de calças jeans, os famosos jeans índigo blue, é conhecida no Brasil por anil, sendo representada por várias espécies como Indigofera tinctoria L. e Indigofera anil L. que, fermentadas e submetidas a altas temperaturas, dão origem à substância corante denominada indigotina. O anil já foi bastante cultivado no Brasil, mas perdeu escala de produção com o advento dos corantes sintéticos de anil, desenvolvidos a partir de 1880.

    Dependendo das proporções de diluição das tinturas da linha Color Wear com corantes naturais, é possível oferecer desde nuances de brilho aos cabelos, tonalizá-los, criar reflexos mais vibrantes, profundos ou mais suaves ou, ainda, cobrir totalmente os fi os brancos até em tons de louro médio.

    As inovações tecnológicas da Alfaparf também estão presentes na tradicional linha de colorações permanentes Evolution of The Color. As fórmulas dessa linha, abrangendo 116 nuances, contêm micropigmentos cristalizados. A cristalização, patente da empresa, constitui um processo que torna os micropigmentos ainda menores e mais puros, com grau de pureza superior a 99%. Um dos resultados é a maior penetração das moléculas corantes no córtex dos fi os de cabelos, o que possibilitará diminuir os teores de amônia empregados nas tinturas. “A fórmula de Evolution of The Color é considerada revolucionária e requer a mais baixa concentração de amônia utilizada em tinturas permanentes do mercado”, destacou Rodrigues.

    Além das tinturas, outra forte preocupação da empresa é desenvolver vários cosméticos para tratamento dos cabelos, voltados a manter a juventude dos fios tanto virgens quanto tingidos.

    “A plataforma tecnológica da linha para tratamento e rejuvenescimento dos cabelos, lançada em julho na Europa e em agosto no Brasil, está focada no semi di lino, nas proteínas da seda e em extratos de rebentos de faia, matérias-primas que criam uma mistura energética que proporciona maciez, brilho, força e vida aos cabelos ”, informou Rodrigues.



    Recomendamos também:








    8 Comentários


    1. LUiz menezes

      Esses produtos c pigmentação Carioni a trazem algum risco a saúde?Ex:Menfirst shampoo


    2. Léia

      A koleston é a coloração com a.maior concentração de ppd quase morri com a koleston, nunca tinha tido reação nenhuma com colorações até usar a koleston
      A keune, sensi color que sao para pessoas alérgicas, ela tbm contem o ppd maquiado com outros componentes, adquiri essa alergia ao ppd e amônia,no Brasil não existe nenhuma coloração ou tonalizante para pessoas alérgicas ao ppd, faço tratamento no hospital das clínicas, com alergologista e não tem nada que nos ajude com esse problema…usei um banho de brilho da salon line ele é uma máscara tonalizante que disfarça os fios brancos e tem tbm o Dedicace da loreal que pode ajudar tbm…o restante da reação até mesmo a henna surya!


    3. Leni Estevam

      Este texto foi muito esclarecedor.
      Obrigada


    4. A coloração da Lanza não tem nada disso, alem de ter o baixo nível de amônia!
      Deixa os cabelos hidratados !


    5. maria

      Boa tarde,
      Também tenho medo de tinta devido ao ppd…mas fenilendiaminas (diaminotoluenos), não é o mesmo? a syoss penso que usa fenilendiaminas (diaminotoluenos), na sua fórmula.


    6. Sonia Alves

      Já estamos em 2016 e até agora continuo aguardando que essa lei entre em vigor aqui no Brasil. Sou alérgica ao PPD, já utilizei a coloração 10′ da L’Oreal que há alguns anos foi colocada em nosso mercado, não tive nenhuma reação negativa no couro cabeludo mas ela, infelizmente, rapidamente foi retirada das lojas sem ninguém saber porque…



    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *