Cosméticos, Perfumaria e Higiene Pessoal

Cosméticos – Celulite – Laboratórios oferecem arsenal químico para combater problema visível da pele

Rose de Moraes
1 de dezembro de 2008
    -(reset)+

    Isso tanto pode ser feito por meio de esfoliações mecânicas com o uso de cremes com microesferas e sementes de frutos como damasco, maracujá e morango ou por esfoliações químicas com alfahidróxiácidos.

    Contudo, entre os métodos mais modernos e menos irritantes para se promover uma completa renovação celular previamente aos tratamentos com ativos estão os peelings enzimáticos, que associam propriedades de frutos como a romã (Punica granatum L), rica em polifenóis, com proteínas chaperones, ou seja, “proteínas pertencentes a uma família que previne a agregação de proteínas recém-sintetizadas, antes que assumam sua forma  ativa, sem alterar o resultado fi nal do processo de enovelamento”, explicou Joyce.

    A renovação celular enzimática tem sido recomendada por vários especialistas como alternativa tecnológica natural às esfoliações químicas. “Para que possamos promover uma renovação celular enzimática, utilizamos enzimas proteolíticas que hidrolisam a queratina e diminuem a espessura da camada córnea, tornando a pele mais fi na, mas sem provocar descamações ou irritações”, explicou Joyce.

    Dentro de sua ampla oferta de matérias-primas para a área cosmética, a própria Vital Especialidades desenvolveu Renew Zyme, cuja fórmula reúne as propriedades antiinflamatória, antioxidante e emoliente da romã com a tecnologia enzimática.

    “Renew Zyme remove os queratinócitos envelhecidos acumulados na pele e outros componentes protéicos, favorecendo o processo de limpeza profunda”, informou Joyce.

    Testes in vivo confirmaram que Renew Zyme revelou capacidade para promover a renovação celular em treze dias, sem irritar ou sensibilizar a pele, e com eficácia superior à do ácido glicólico.

    Promover a renovação celular, contudo, é apenas uma das etapas recomendadas para tornar mais efetivos os tratamentos com ativos contra a celulite. Concomitantemente, deve-se provocar a termogênese da pele, promovendo-se o aquecimento das regiões afetadas com substâncias como nicotinato de metila ou extrato de pimenta, antes de iniciar os tratamentos com os ativos.

    Delivery-system de bioativos -Segundo constata o diretor técnico da Polytechno e da Íon Química, Joãosinho A. Di Domenico, uma série de disfunções estão associadas ao surgimento da celulite. Entre elas, ele destaca a deformação do tecido conjuntivo, o aumento da presença de toxinas nos líquidos intersticiais, a redução da capacidade dos vasos linfáticos e sanguíneos, a transformação fibronóide das fibras conjuntivas e a hiperpolimerização das macromoléculas.
    Não é demais, portanto, ter em mãos um verdadeiro arsenal de ativos para o seu tratamento. A Polytechno, por exemplo, oferece às indústrias cosméticas desde ativos de origem botânica, formados por complexos exclusivos, que associam, de forma balanceada e cientifi camente estudada, extratos vegetais e outras moléculas que auxiliam na eliminação das gorduras localizadas, até ativos biológicos, oriundos de silícios orgânicos.

    Um dos lançamentos mais recentes e promissores oferece uma inovação mundial desenvolvida pela Lucas Meyer, da França, representada pela Íon. Trata-se de Adiporeguline, tecnologia capaz de regularizar o metabolismo dos adipócitos, reduzindo seu tamanho e densidade, e que, num só tempo, inibe a lipogênese e estimula a lipólise.

    Composto de bioativos como aspartame, cafeína, forskohlii (planta chinesa exótica) e genisteína de soja, em sistema de liberação do tipo delivery-system, Adiporeguline conta com lisofosfolipídeos, e age em várias frentes de batalha. O aspartame atua sobre os receptores da glucose e limita a penetração de açúcares. A cafeína e o forskohlii agem em sinergismo na hidrólise dos triglicerídeos, enquanto a genisteína de soja estimula a adipose aquaporina, aumentando a eliminação do glicerol.

    Química e Derivados, Tatiana Straioto Bianco, analista de marketing da área cosmética da Ipiranga Química, Cosméticos - Celulite - Laboratórios oferecem arsenal químico para combater problema visível da pele

    Tatiana Straioto Bianco: ativo africano aumenta a atividade lipolítica

    A Atrium Biotechnologies foi buscar na África um ativo biotecnológico com eficácia comprovada no combate à celulite. Trata-se, segundo Tatiana Straioto Bianco, analista de marketing da área cosmética da Ipiranga Química, de um extrato hidroglicólico da planta Chrysantellum indicum. “Essa planta africana possui um ativo excepcional para estimular a lipólise que age bloqueando os receptores alfa-2 do adipócito, permitindo e estimulando o processo de lipólise, e que promove a degradação dos lipídios em ácidos graxos liberados para o meio externo”, informou Tatiana.

    Outro forte combatente da celulite é Liporeductyl. A formulação lipossomada inibe a maturação dos adipócitos, possui atividade lipolítica graças à sua composição com cafeína, carnitina e hidroiodeto, melhora a microcirculação pela presença de escina, hederina e extrato de gilbarbeira e, ainda, inativa as toxinas por meio da presença de tripeptídeo-1. Segundo Daniela Yoshimi Baba, supervisora do laboratório de aplicação da área cosmética da Arinos Química, Liporeductyl melhora a elasticidade e a firmeza da pele, reduz o aspecto de casca de laranja e também modela e promove hidratação.



    Recomendamos também:








    Um Comentário


    1. LORENA MEDINA

      BUEN DIA .QUIERO SABER SI SIGUEN VENDIENDO EL COMPLEJO BIO NORMALIZADOR CAPILAR . Y SI EN MEXICO TIENEN ALGUN DISTRIBUIDOR .YO VIVO EN MEXICO. GRACIAS



    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *