Cosméticos, Perfumaria e Higiene Pessoal

Cosméticos – Celulite – Laboratórios oferecem arsenal químico para combater problema visível da pele

Rose de Moraes
1 de dezembro de 2008
    -(reset)+

    O extrato hidroglicólico da alga Sphacelaria scoparia (Scopariane) induz a pele a produzir fi broblastos, e evita a formação de novas células adiposas. As frações insaponificáveis de café verde e fitoesteróis de Brassica campestre (Slimbuster) ativam a lipólise por vários mecanismos biológicos, como ativação enzimática da lípase e ativação da adenilciclase, elevando os níveis de AMP, enquanto os extratos termogênicos irão ativar os mecanismos fi siológicos da lipólise voltados à queima de gordura, e a cafeína irá inibir a fosfodiesterase, aumentando os níveis de AMP.

    Saúde comprometida – Há várias décadas, a fi siologia da celulite e das células adiposas está na mira de pesquisadores de diferentes áreas como a medicina, a química e a farmacêutica. Tornou-se consensual entre esses profi ssionais que as alterações do tecido adiposo subcutâneo podem decorrer e se manifestar associadas a múltiplos fatores como herança genética, inatividade física, difi culdade circulatória e obesidade.

    A celulite, segundo define a química Maria Alice Marques, diretora da Vital Especialidades, de São Paulo, e professora de cursos de pós-graduação em cosmetologia, é uma hidrolipodistrofia ginóide, caracterizada por uma desordem no metabolismo lipídico e no fluxo de líquidos do organismo, que deve ser encarada como um problema complexo envolvendo os sistemas microcirculatório e linfático, a matriz extracelular e o excesso de gordura no tecido subcutâneo.

    “A celulite é o problema estético mais comum entre as mulheres após a adolescência, e não ocorre de forma específica em mulheres com sobrepeso. Já em homens, a celulite é mais comum nos indivíduos que apresentam estados de deficiência androgênica e em alguns pacientes submetidos a terapias com estrógeno para tratar câncer de próstata”, informou Maria Alice.

    A celulite é também caracterizada basicamente por quatro estágios/graus de progressão histológica e histoquímica. No primeiro estágio (grau 1), a superfície cutânea apresenta-se ligeiramente áspera, a pele perde a elasticidade e começam a surgir alterações como defi ciências na circulação. Na fase inicial, os edemas e os nódulos de gordura já estão presentes, porém ainda não são visíveis.

    No segundo estágio (grau 2), a celulite se torna visível por compressão da pele ou contração muscular. Nessa fase, aumentam as alterações na microcirculação vasoperiférica e também se observa um aumento desordenado de fi brina – proteína derivada do fi brinogênio na presença de trombina e que forma parte do coágulo sanguíneo, sendo uma das principais responsáveis pela formação de colágeno –, que irá se transformar em fi bra colágena hipertrófica.
    Segundo Maria Alice, a celulite em grau 2 é facilmente observada porque ocorre uma diminuição significativa na temperatura da parte do corpo afetada, a pele se torna fria, fi ca sensível ao toque, e também perde a elasticidade.

    Química e Derivados, Maria Alice, diretora da Vital especialidades, Cosméticos - Celulite - Laboratórios oferecem arsenal químico para combater problema visível da pele

    Maria Alice: celulite não é apenas um problema estético

    No terceiro estágio (grau 3), já estão formados os micronódulos de gordura, a superfície cutânea passa a ter aspecto semelhante ao da casca da laranja e o indivíduo passa a ter dor à palpação. No quarto e último estágio, os depósitos de adipócitos formam macronódulos e o tecido conjuntivo fi ca endurecido, fi – broso, ocorrendo irritação e compressão nas terminações nervosas. Nessa fase, caracterizada por nódulos palpáveis, a circulação está seriamente comprometida, e as regiões afetadas do corpo, em geral pernas e glúteos, tornam-se inchadas e doloridas.

    As conseqüências da celulite não são, portanto, nefastas apenas para quem cultua a beleza estética, mas também trazem vários comprometimentos à saúde. Entre as alterações mais comuns provocadas pela celulite estão aquelas que afetam o tecido conjuntivo e que provocam a hipertrofi a das células adiposas. Segundo Maria Alice, ocorre também a hiperpolimerização das macromoléculas da substância fundamental amorfa (SFA), o aumento das toxinas nos líquidos intersticiais e o prejuízo da circulação sanguínea e linfática.

    Para tentar afastar a celulite, é recomendável adotar algumas condutas, como reduzir e prevenir sobrecargas de gordura, reduzir a compressão vascular, melhorar a insufi ciência circulatória e reduzir o acúmulo de água e de toxinas no organismo.

    Dentro do possível, também é necessário reverter ao máximo o envelhecimento do tecido conjuntivo e aumentar a síntese de glicosaminoglicanas, as GAG.

    Renovação com enzimas – Segundo recomendação da farmacêutica Joyce Quenca, gerente de marketing da Vital Especialidades, antes de tratar a celulite com ativos específi cos e apropriados, é preciso promover a renovação celular, que consiste na remoção das células mortas da epiderme, seguida da regeneração dos tecidos epidérmico e dérmico, para que os ativos alcancem maior penetração no tecido subcutâneo.



    Recomendamos também:








    Um Comentário


    1. LORENA MEDINA

      BUEN DIA .QUIERO SABER SI SIGUEN VENDIENDO EL COMPLEJO BIO NORMALIZADOR CAPILAR . Y SI EN MEXICO TIENEN ALGUN DISTRIBUIDOR .YO VIVO EN MEXICO. GRACIAS



    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *