Cosméticos Capilares: Skinificação do Cabelo, A Tendência do Momento

ABC Cosmetologia

Desde 2020, temos ouvido muitas queixas em relação aos cabelos.

O estresse e as mudanças de hábitos vividas no último ano desencadearam distúrbios capilares, como o aumento da queda e o aumento dos quadros de caspa e de dermatite seborreica, entre muitos outros.

Mas o que isso tem de Relação com os Cosméticos Capilares?

Para entender sobre o assunto, vamos antes falar um pouco sobre skin care.

A necessidade de se ter cuidados com a pele, principalmente com a da face, já é difundida e bem aceita pelo público em geral.

Nos últimos anos, vivemos movimentos diferentes para esses cuidados, seja utilizando protocolos com diversas etapas, que utilizam diferentes produtos, ou os mais simplificados, que utilizam poucos produtos com ação multifuncional.

Independentemente da escolha, utilizar cosméticos com ativos consagrados e eficazes para manter o bom estado da pele já faz parte da rotina da grande maioria das pessoas mundo afora.

E o que mudou então? É que, com o aumento desses distúrbios capilares, passou-se a ter um novo olhar com os cuidados dos cabelos.

O fio do cabelo deixou de ser o protagonista e deu lugar ao couro cabeludo.

A skinification of hair ou skinificação do cabelo, numa tradução literal, é a maior tendência do momento, na qual o couro cabeludo merece o mesmo nível de atenção e cuidado que a pele, como uma extensão da face.

O cuidado do cabelo está se tornando mais parecido com o cuidado da pele, com mais etapas e tipos de produtos, ingredientes mais luxuosos ou direcionados a atender as suas necessidades.

Agora, as fórmulas requerem ingredientes mais sofisticados, que tradicionalmente têm sido usados em cuidados com a pele, com a função de nutrir, desintoxicar e restaurar o equilíbrio do couro cabeludo como base essencial para o crescimento de um cabelo saudável.

Talvez a maior mudança no mercado de cabelos seja o reconhecimento de que para se ter um cabelo saudável é necessário que o couro cabeludo desenvolva as suas funções adequadamente, tanto do ponto de vista do pH, da barreira cutânea ou do microbioma.

Da mesma forma que já acontece com as madeixas, o couro cabeludo de cada pessoa apresenta necessidades diferentes, por isso a avaliação da real necessidade para a escolha do produto mais adequado é de extrema importância.

As marcas de cuidados com os cabelos estão ampliando as linhas de cuidados básicos, dos tradicionais xampus, condicionantes e esfoliantes para o desenvolvimento de uma variedade de tônicos, soros, pré-xampus, cremes ou geleias para massagens, máscaras para o couro cabeludo, entre outros.

E com ativos que já estamos acostumados a ver nos tratamentos da pele, como ácido salicílico, gluconolactona, ácido hialurônico, niacinamida, pré-bióticos, pós-bióticos e óleos essenciais.

E para citar uma mudança no desenvolvimento de cosméticos capilares, vamos falar um pouco de caspa, que é um dos distúrbios mais comuns do couro cabeludo.

A caspa é caracterizada por se desenvolver a partir da adolescência, principalmente em homens, e causar uma alteração na qualidade dos lipídeos do couro cabeludo, com aumento da proliferação do fungo Malassezia furfur e alteração da barreira cutânea, desencadeando uma descamação branca e fina, com aspecto de farinha.

Claro que podemos encontrar casos em que um tratamento medicamentoso é indicado, mas não podemos deixar de lado o fato de que a caspa é uma das condições em que os consumidores procuram e utilizam cosméticos para o seu tratamento e prevenção, e que movimenta milhões de dólares ao ano.

Até pouco tempo atrás, o conceito que se tinha para o desenvolvimento de um xampu anticaspa era o da utilização de um ativo antifúngico e, muitas vezes, associado a um seborregulador.

Com a evolução do conhecimento e a expansão do conceito da skinificação dos cabelos, o cenário mudou.

O foco deixou de ser o “extermínio” da M. furfur, mas sim o equilíbrio do microbioma dessa região.

Então, esses ativos antifúngicos estão sendo gradualmente substituídos por pré-bióticos e/ou pós-bióticos, com o objetivo de reorganizar a população de microrganismos inerentes ao couro cabeludo e, como consequência, ocorre a melhora da qualidade dos lipídeos e também da barreira cutânea.

Com esse equilíbrio reestabelecido, apresenta-se uma melhora no quadro ou até o seu desaparecimento.

Ana Carolina Ribeiro – Diretora - ABC Cosmetologia Química e Derivados - Skinificação do Cabelo - ABC Cosmetologia ©QD Foto: iStockPhoto
Ana Carolina Ribeiro – Diretora Técnica da ABC Cosmetologia

Esse foi apenas um exemplo do novo olhar que se deve ter em relação aos cosméticos capilares.

Aposte nessa tendência dos cuidados com o couro cabeludo que chegou com força e que vai ficar.

Mas claro, vamos lembrar que esse é um dos pilares para se ter cabelos bonitos.

Os cuidados com os fios dos cabelos devem permanecer.

Menos danos e mais equilíbrio, esse é o caminho para um cabelo sedoso, macio e brilhante!

Texto: Ana Carolina Ribeiro

 

Leia mais sobre Cosméticos Capilares e outros produtos para o setor: 

  1. Cosméticos; Pandemia aumenta a demanda de produtos para cabelos
  2. Cosméticos para cuidados com o couro cabeludo – ABC Cosmetologia
  3. Tinturas – Europa começa a banir pigmentos irritativos a Brasil deve seguir medida
  4. Cabelos; Rhodia cria tecnologia para formulações de produtos Co Wash
  5. Cosméticos – Combinações adequadas dos tensoativos deixam a pele e os cabelos mais limpos e saudáveis
  6. Cosméticos: Previsão de crescimento
  7. In-cosmetics latin america: Formulações ressaltam beleza e proteção para cabelos e pele
  8. IYC 2011 – Medicamentos: Saúde reforçada com avanços da Química
  9. Ativo de palmeiras brasileiras repara os cabelos

 

Química e Derivados - Ana Carolina Ribeiro é Vice-presidente técnica da Associação Brasileira de Cosmetologia (ABC)

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios