Alimentos e Bebidas

Corantes: Indústria de alimentos adere aos corantes naturais

Marcelo Furtado
24 de novembro de 2003
    -(reset)+

    Com a raiz de cúrcuma, comprada de produtores de Goiás e utilizada para dar um tom amarelado ao laranja/vermelho do urucum, a Corantec chega a fornecer cerca de 40 t/mês de blendas em pó para fabricantes de macarrões. Nesse segmento, inclusive, o urucum/cúrcuma destronou o sintético betacaroteno, cerca de dez vezes mais caro. “Hoje apenas 5% do mercado usa o sintético, mas em breve ninguém mais usará”, afirmou o assessor da Corantec, Crystiano Nunes. Segundo ele, os naturais aí se mostraram não só bons no preço como na qualidade técnica.

    Para produção de lipossolúveis, a empresa conta com processo de extração com óleo de soja a quente (80ºC), que antecede filtragem para purificação e padronização. Nela produz o corante de urucum lipossolúvel líquido, que após misturado com corante lipo de cúrcuma, extraído com álcool, é vendido para produtores de margarinas. Este último segmento também vem experimentando a substituição do betacaroteno com sucesso, segundo Crystiano Nunes.

    Outras opções – Mesmo sabendo da importância dos corantes de urucum, carmim e cúrcuma no mercado de corantes naturais, eles não são os únicos. Há uma infinidade deles que, a despeito de ainda estarem caminhando mais lentamente no Brasil, já são muito empregados em todo o mundo, permanecendo a postos para futuras substituições dos corantes sintéticos.

    A própria nacional Corantec está atenta a esse movimento e disponibiliza algumas alternativas novas. Por processos de desidratação/liofilização, seguida de centrifugação e residência em fornos, a empresa produz localmente corantes naturais de beterraba, a chamada betanina, responsável pela coloração roxa e com aplicação em massas. Também sob mesmo processo, produz betacarotenos naturais, a partir de cenoura, e clorofilinas verdes a partir de espinafre, ou ainda o licopeno, o vermelho do tomate. Embora mercado incipiente, a tendência é das melhores, na opinião do assessor da Corantec.

    A Chr. Hansen possui uma extensa linha desses outros tipos de corantes naturais. Mas até mesmo para o grupo, que segundo estimativas detém mais de 30% do mercado mundial de corantes naturais para a indústria de alimentos, essas especialidades ainda estão no começo em termos comerciais. De acordo com o gerente de vendas Marcos Munuera, cerca de 90% das vendas mundiais são oriundas dos corantes de urucum, carmim, cúrcuma e clorofila. Isso mundialmente, porque no Brasil os principais são os três primeiros, em ordem crescente de importância.

    A clorofila, utilizada de modo esporádico por alguns clientes no Brasil, é importada de fábricas do grupo na Europa, de onde é extraída da alfafa, que possui pigmento verde. Esse corante, segundo Munuera, quando 100% clorofila, não é estável. Por isso, o laboratório da empresa alterou a molécula da clorofila, substituindo o átomo de magnésio por um de cobre, criando a chamada clorofilina cúprica. Esta sim é estável e pode ser utilizada em formulações hidro ou lipossolúveis.

    Mesmo assim, explica o gerente, a clorofilina cúprica tem mercado limitado no Brasil. Há casos isolados, por exemplo para reforçar o verde em um sorvete de pistache da Kibon, onde faz parte de uma formulação verde clara com urucum e cúrcuma. Uma curiosidade desse corante é ele não ser considerado natural nos Estados Unidos, em razão da alteração na molécula.

    Os outros corantes também são importados quando solicitados por algum projeto no Brasil. É o caso das antocianinas, de cor vermelha, extraída das cascas de uvas na Itália, onde obviamente há fartura desse subproduto do vinho. E também do licopeno, extraído de tomates, ou das luteínas, cor amarela extraída de flores.

    Além de acreditar no potencial desses “novos” corantes e no centro de pesquisas da Chr. Hansen, que pode alterar para melhor suas características, Marcos Munuera tem outro motivo para aumentar sua confiança no mercado. Segundo ele, muitos desses aditivos naturais possuem também caracteríticas funcionais e não só estéticas. Os carotenos naturais, como os extraídos de cenouras e palma, são agentes antioxidantes, assim como as antocianinas. A luteína evita a chamada mácula da retina dos olhos e o licopeno é comprovado como antídoto do câncer de próstata. E o próprio nacional urucum, segundo pesquisa da Universidade Federal de Viçosa, em Minas Gerais, tem demonstrado eficácia no combate a diabetes e ao colesterol alto. Mais um ponto a favor dos corantes naturais na briga com os sintéticos.

    Pojeto facilita cadeia do Urucum

    Química e Derivados: Corantes: Os produtores vão vender o extrato.

    Os produtores vão vender o extrato.

    O Instituto de Tecnologia de Alimentos (Ital), de Campinas-SP, órgão de pesquisa da Secretaria Estadual de Agricultura de São Paulo, está desenvolvendo um trabalho para aumentar ainda mais a competitividade dos produtores de urucum do Estado, já considerado o mais avançado no cultivo.

    A idéia, segundo explica o pesquisador Paulo Roberto Nogueira, é construir unidades de extração da bixina no locais de cultivo, nas regiões produtoras de São Paulo, Monte Castelo e Olímpia, no oeste paulista. As unidades de pré-processamento diminuiriam em mais de 50% o volume de transporte das sementes, que hoje são remetidas para as fábricas de corante, a maior parte delas nas cercanias da capital paulista.

    A pesquisa conta com verba da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp) e deve entrar em sua fase piloto no início de 2004. O propósito principal, de acordo com Nogueira, é agregar valor aos produtores, que passariam a vender o extrato para os fabricantes de corantes. Em virtude de as unidades em projeto serem de concepção simples – apenas uma extração com água – os produtores de corantes ainda teriam de refinar e padronizar a bixina vendida, mas a cadeia de produção sem dúvida seria agilizada.



    Recomendamos também:








    7 Comentários


    1. francisco de assis silva

      bom dia meu nome assis gostaria de saber se voces tem um corante p usa em biscoito pois fabricamos uns biscoito e sai muito branco , e gostaria q ele fosse a Cor do biscoito de maizena da fortaleza


    2. Juliana

      Bom dia.

      Preciso dos corantes naturais abaixo, é possível o envio de uma amostra.

      Antocianina;
      Spirulina;
      Clorofila.

      Obrigada.

      Att.


      • Ale

        Prezada Juliana,

        Entre no guiaqd.com.br e pesquise por corantes naturais, você pode solicitar orçamento para múltiplas empresas de uma única vez.

        Att
        Alexandre


    3. PROJECOR 10
      ELABORAMOS UM PROJETO ESPECIAL PARA PRODUTORES DOS SEGUINTES SEGMENTOS
      1-SUCOS CONCENTRADOS DE MANGA TAMBEM COM APROVEITAMENTO DAS CASCAS RICAS EM BETA CAROTENO NATURAL
      2-SUCOS DO ASSAI
      3-PROCESSO DE ENVASE MANUAL, SEM O USO DE MOTORES
      4-SUCOS DE LARANJA, APROVEITANDO AS CASCAS QUE SÃO RICAS EM VITAMINA C
      5-CONDIMENTOS E TEMPEROS EM GERAL.
      6-EXTRAÇÃO DO SUCO DE UVA
      7-EXTRATO DE SUCUPIRA
      COMO TAMBEM CORANTE EXTRAIDO DA CENOURA.
      E DE EXTRATO DE TOMATE MISTURADO COM CURCUMA BEM CONCENTRADA.
      ENFIM TODOS OS PROCESSOS SÃO NATURAIS.
      PARA MAIORES ESCLARECIMENTOS ENTREM EM CONTA PELO EMAIL ABAIXO DESCRITO
      extracon.decio@gmail.com


    4. Rinaldo de Oliveira Verçosa - Me (Boigold Saúde e Prevenção Animal)

      Boa tarde, estou procurando empresas que fabrica corante em pó, para mistura de premix nutrição animal.


      • O objetivo principal da CAROBRAS não e superestimar seus projetos e de certa forma prestigiar os produtores no Brasil, pois estamos sendo invadidos por vários países como Colômbia, México e Peru apresentando produtos similares. Desprestigiando os produtores brasileiros

        O QUE A PROJECOR OFERECE AO MERCADO
        1.PROCESSO DE EXTRAÇÃO DE CORANTE DE URUCUM+TOMATE EM PÓ OU MESMO LIQUIDO+ CENOURA.PIMENTAS DE TODOS OS TIPO. E FARINHA DE ARROZ, E OUTROS, COMO CRAVO E LICETINA-DE SOJA E FORNECEDORES DE EQUIPAMENTOS PARA FRIGORIFICOS E TAMBEM PAPRICA.
        ETC.
        EQUIPAMENTOS
        4 CAIXAS DE AGUA DE 500 LITROS CADA
        2 PENEIRAS
        2 BOMBAS DE 2HP
        ISTO QUER DIZER QUE PODERÃO PRODUZIR POR DIA 500 LITROS DE CORANTE NUMA CONCENTRAÇÃO ALTA, EVIDENTE DEPENDENDO DO TEOR ENCONTRADO NAS SEMENTES DE URUCUM.
        COM ALGUMAS ALTERNATIVAS DE USO

        VALOR DO PROJETO A COMBINAR
        MAIS AS DESPESAS DE LOCOMOÇÃO E ESTADIA QUE NÃO DEVE PASSAR DE 3 DIAS.
        LEMBRANDO QUE NO MOMENTO ME ENCONTRO EM SP.
        Temos também o processo abaixo descrito

        MANENVASE
        TEMOS UM PROJETO ONDE NÃO USAMOS QUALQUER TIPO DE MOTORES E SERVIRA PARA EMBALAR PRODUTOS
        TANTO LIQUIDO COMO EM PÓ,E QUE PODERA SER USADO ATÉ EM QUANTIDADES MAIORES. DE 10 ML. ATÉ 50 LITROS OU 50 QUILOS OU MAIS.
        TEMOS TAMBEM UM PROCESSO QUE ENVASA 2 LIQUIDOS DIFERENTES, OU SEJA DE UM LADO PIMENTA E DE OUTRO QUALQUER LIQUIDO. ISTO SIMULTANEAMENTE, COM A MESMA OPERAÇÃO.
        ESTE PRODUTO TAMBEM PODE SER USADO EM ESSENCIAS E PERFUMES.
        SENDO QUE PASSAMOS O PROJETO COM EXPLICAÇÕES DETALHADAS QUE VAI SEREM FEITAS PESSOALMENTE.
        PODEMOS FAZER PARCERIAS COM INDÚSTRIAS DE SELAGEM EM EMBALAGENS LEMBRANDO QUE O PROCESSO ESTA DANDO ENTRADA COM REGISTRO NO I.N.P.I
        ULIZANDO ESSE PROCESSO.CERTAMENTE TERÃO UM CONSUMO BAIXO DE ENERGIA
        SE HOUVER INTERESSE ENTREM EM CONTATO PELO E-MAIL ABAIXO DESCRITO
        carobras169@gmail.com
        atenciosamente
        Cleide (secretaria)



    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *