Química

Sociedade Sustentável – Congresso Atuação Responsável debate soluções

Quimica e Derivados
5 de dezembro de 2016
    -(reset)+

    A programação contará com a apresentação do Sistema de Gestão do Patrimônio Genético (Sisgen), ministrada pelo Diretor de Patrimônio Genético no Ministério do Meio Ambiente, Rafael de Sá Marques, seguida pelo debate: “É possível esperar investimentos no Brasil com o novo marco legal, seu regulamento e sistema?”, que será mediado pela especialista de Política e Indústria da Gerência Executiva de Meio Ambiente e Sustentabilidade da Confederação Nacional da Indústria (CNI), Elisa Romano Dezolt. Segundo a especialista, é importante debater a lei, pois ela afeta todas as indústrias que usam a biodiversidade, como cosméticos, fármacos, química, agronegócio e até outros mais distantes, como o têxtil. Elisa explica que a criação da legislação é importante para dar segurança jurídica ao setor industrial e todos os países são encorajados para regulamentar o uso da biodiversidade. “O objetivo é debater se a nova lei vai incentivar a pesquisa no Brasil, se podemos esperar investimentos no país e quais gargalos precisam ser solucionados”, explica.

    Além da moderadora Elisa Romano Dezolt, o debate tem confirmada a participação de Adriana Diaféria, vice-presidente do Grupo FarmaBrasil, associação que representa os interesses das indústrias farmacêuticas nacionais que investem em inovação; e do diretor jurídico de Propriedade Intelectual da Syngenta para América Latina, Filipe Geraldo de Moraes Teixeira, que também é coordenador do Grupo de Trabalho Acesso aos Recursos Genéticos na Associação das Empresas de Biotecnologia na Agricultura e Agroindústria.

    A programação da sala Meio Ambiente, no dia 19 de outubro, terá a apresentação do Plano de Redução de Emissão de Fontes Estacionárias. O Prefe, como é chamado, é uma das proposições do Decreto Estadual nº 59.113, de 23 de abril de 2013, que estabelece novos padrões de qualidade do ar e dá providências correlatas. A apresentação será feita pela gerente da Divisão de Avaliação de Ar, Ruído e Vibrações da Companhia Ambiental do Estado de São Paulo (Cetesb), Maria Cristina Poli. Ela explicará a dinâmica do plano e as ações para garantir a qualidade do ar no Estado. Segundo Maria Cristina, por ser técnico e detalhado, o decreto é complexo e a Cetesb participa de eventos para esclarecer as dúvidas das indústrias e da população. A sala terá também uma apresentação do coordenador da Comissão de Meio Ambiente da Abiquim, Carlos Barbeiro; e da especialista em Políticas Públicas e Gestão Governamental do Ministério do Meio Ambiente (MMA), Nelcilândia Pereira de Oliveira, que explicará o Plano Nacional de Adaptação às Mudanças Climáticas, além do coordenador corporativo de Desenvolvimento Sustentável da Braskem, Luiz Carlos Xavier, que fará um relato sobre o plano da empresa para adaptação às mudanças do clima.

    Congresso de Atuação Responsável destaca lançamentos de estudos e novidades para o setor

    Durante a plenária de abertura do Congresso de Atuação Responsável, na manhã do dia 18 de outubro, serão apresentados os indicadores de desempenho do Programa Atuação Responsável pelo coordenador da Comissão de Gestão do Atuação Responsável e CEO da Rhodia Solvay, José Borges Matias.

    O Congresso também marca o lançamento do Manual de Gestão Eficiente de Recursos Hídricos, desenvolvido pelo Grupo de Trabalho sobre Recursos Hídricos (GT Água) da Comissão de Meio Ambiente. A apresentação do Manual será feita no dia 18, na sala Meio Ambiente. O material apresenta informações sobre o cenário da disponibilidade hídrica no Brasil, as demandas de diferentes segmentos pelo recurso e o desempenho da indústria química na economia de água. Além disso, o manual detalha como uma empresa pode identificar oportunidades de melhoria em sua gestão de recursos hídricos e como sistemas de reuso interno industrial de água podem ser implementados. São abordadas também as diferentes tecnologias disponíveis para tratamento de água e cases de sucesso de indústrias químicas do Brasil. Para desenvolver o Manual de Gestão Eficiente de Recursos Hídricos, a Abiquim contou com a contribuição de empresas como Basf, Braskem, Cabot, Dow, Nitro Química e Solvay.

    Segundo o coordenador do Grupo de Trabalho sobre Recursos Hídricos (GT Água) da Abiquim, Wagner Freitas, a publicação tem o objetivo de disseminar boas práticas de gestão eficiente de recursos hídricos às empresas de pequeno e médio porte. “A indústria química tem uma grande demanda de água e o uso eficiente dos recursos hídricos é, certamente, um tema muito relevante. À medida que a indústria adota práticas de reuso de água e melhora a gestão dos recursos hídricos, aumenta-se a disponibilidade de água potável à população”, conta.

    O prefácio do Manual de Gestão Eficiente de Recursos Hídricos foi escrito pelo professor titular da Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (USP), fundador e diretor do Centro Internacional de Referência em Reuso de Água (Cirra), Ivanildo Hespanhol. Doutor pela University of California e considerado uma referência nos temas tratamento e reuso de água, o professor Hespanhol fará a abertura do painel sobre Gestão Eficiente de Recursos Hídricos. A sala Meio Ambiente também contará com a participação do deputado federal Evair de Melo (PV-ES), coordenador do setor de Água da Frente Parlamentar Mista pela Competitividade da Cadeia Produtiva do Setor Químico, Petroquímico e do Plástico.

    No dia 18 de outubro será lançado na sala SASSMAQ, o módulo Estação de Limpeza, desenvolvido para assegurar os melhores padrões nas áreas de saúde, segurança, meio ambiente e qualidade nas operações de limpeza de tanques, isotanques, vagões-tanque e embalagens utilizados no transporte ou armazenagem de produtos químicos. O desenvolvimento do módulo Estação de Limpeza se deve à necessidade da indústria química de garantir o transporte e/ou armazenagem adequados de produtos acabados e matérias-primas. A apresentação do módulo será feita pelo diretor técnico da Associação Brasileira de Transporte de Produtos Perigosos (ABTLP), Sergio Sukadolnick, e pela responsável pela área de Saúde, Segurança e Meio-Ambiente no Grupo Luft, Eva Moraes.

    A abertura da sala será feita pelo coordenador da Comissão Consultiva do SASSMAQ, Wellington Watanabe. Já o vice-coordenador da Comissão, Fernando Franco de Oliveira, contará como a indústria qualifica seus fornecedores de serviços logísticos. Também será realizado o debate: “Qualificação dos serviços logísticos”, que contará com a participação de Sergio Sukadolnick, da ABTLP, e dos especialistas da Dow, Sérgio Renato Pereira Leitão, e da Braskem, Antonieta Rojas.



    Recomendamos também:








    0 Comentários


    Seja o primeiro a comentar!


    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *