Construção Civil (cimento e contreto)

Concreto & Argamassa: Aditivos químicos melhoram propriedades

Renata Pachione
1 de janeiro de 2020
    -(reset)+

    Química e Derivados - Nagamine: VAE amplia o rol de aplicações na construção civil

    Nagamine: VAE amplia o rol de aplicações na construção civil

    A Wacker também tem forte atuação no setor da construção civil. Para o mercado de concreto, a companhia conta com a linha Etonis, tanto em polímeros redispersíveis em pó, quanto nas dispersões de acetato de vinila-etileno (VAE). “O produto melhora o comportamento do concreto fresco e otimiza as qualidades do concreto endurecido”, afirmou o gerente técnico da área de polímeros em pó da Wacker, André Nagamine. Essa família chegou ao mercado como um ligante polimérico para diversas aplicações de concreto projetado, e é hoje empregada em inúmeros tipos de construções: da estabilização do solo a um concreto permeável, passando por concreto de autopreenchimento e reforçado com fibras.

    O aditivo, aliás, ajudou nos reparos de uma rodovia na Coreia do Sul, onde se testou um ligante à base de VAE para cimento modificado. Segundo Nagamine, a obra demonstrou que os produtos Etonis aumentam, de forma significativa, a durabilidade, mesmo com ciclos de gelo e degelo frequentes.

    Para o mercado de argamassas, a Wacker divulga a tradicional linha de polímeros em pó redispersíveis Vinnaplas. Os benefícios, segundo Nagamine, são vários como: melhora da aderência e deformabilidade da argamassa colante, flexibilidade e hidrofobicidade para as argamassas de rejuntamento, bem como aumento na resistência à abrasão, compressão e flexão para os autonivelantes cimentícios. Os polímeros da marca podem ser utilizados em argamassa colante tradicional e em impermeabilizantes, sejam mono ou bicomponente.

    Os silicones da linha Silres BS também compõem o portfólio da empresa. Os produtos podem ser aplicados em diversos tipos de argamassa, e agem para evitar eflorescências, fissuras, fungos e bolores, além de promoverem a diminuição da pega de sujeira ao longo do tempo. “Eles podem atuar como aditivos hidrorrepelentes tanto para concreto quanto para argamassas, evitando o surgimento de problemas causados pela água”, afirmou Pedro Marani, gerente técnico de silicones para construção, da Wacker.

    Química e Derivados - Marani: silicones evitam danos causados pela água no concreto

    Marani: silicones evitam danos causados pela água no concreto

    O Silres BS 1802 é ideal para concretos estruturais, atuando na proteção contra a corrosão da armadura frente à carbonatação e aos ataques de cloretos, além de garantir proteção a reações álcali-agregado. Já o Silres BS 1803 atende a artefatos de concreto, como pisos intertravados e telhas de concreto, visando a redução de eflorescência e a melhor manutenção de cor em peças coloridas.

    Química e Derivados - Oliveira: formulador regional apresenta vantagem logística

    Oliveira: formulador regional apresenta vantagem logística

    A Chemiq Especialidades Químicas também conta com variados produtos para a construção civil, dos quais os principais são os ingredientes para formulações de aditivos. Do portfólio, a empresa apresenta a marca Pema/Roadcon, da sul-coreana SilkRoad. São éteres de policarboxilatos que no concreto garantem melhor resistência mecânica e trabalhabilidade. “É importante ressaltar que essa geração de químicos é a mais moderna para uso em aditivos”, comentou Oliveira.

    O portfólio da Chemiq conta ainda com a linha Chemdisp. São éteres de policarboxilato especialmente desenvolvidos para atender ao mercado brasileiro, o qual tem muitas particularidades em seu cimento/concreto, por conter componentes diversos e ser heterogêneo.

    Conforme lembrou Oliveira, os aditivos oferecem diversos benefícios ao concreto como a redução da quantidade de água a ser utilizada, melhoria de sua trabalhabilidade e resistência. Mas se depender das previsões dos especialistas da área, esta lista pode evoluir muito ainda. Tokudome, da MC Bauchemie, por exemplo, vislumbra construções com impressoras 3D e até mesmo que haja concreto sem cimento. Se as expectativas se confirmarem, os fabricantes de aditivos terão muito trabalho pela frente.



    Recomendamos também:








    0 Comentários


    Seja o primeiro a comentar!


    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *