Comércio e Distribuição de Produtos Químicos e Especialidades

Comércio – Operações bem focadas permitem crescer mesmo em tempos difíceis

Marcelo Fairbanks
1 de novembro de 2013
    -(reset)+

    A participação brasileira nos negócios do grupo belga é expressiva. O CEO informou que as vendas da Manuchar Brasil se situam na faixa entre R$ 200 milhões e R$ 250 milhões. A esse valor devem ser acrescidas as vendas diretas da Manuchar global aos clientes locais (Indent), estimadas entre 6% e 7% do faturamento mundial. Com isso, o país representa o maior negócio do grupo na América Latina. “Apesar de operarmos em todo o mundo, os países emergentes estão no nosso foco central”, salientou Huybrechs.

    Química e Derivados, Krueder: investimentos para ampliar armazéns e tancagem - Química Anastácio

    Krueder: investimentos para ampliar armazéns e tancagem

    Atuando no Brasil desde 1993, a Manuchar pretende agora diversificar o portfólio de produtos com estoque local, incluindo especialidades químicas. “Commodities, como a barrilha e a soda, constituem uma boa porta de entrada em clientes de diversos segmentos e isso nos permite oferecer mais itens para eles, com a mesma qualidade e eficiência de atendimento”, ressaltou Huybrechs.

    A Química Anastácio apontou fraco crescimento em 2012, justificado pela baixa performance de toda a economia nacional. “Estamos vendo um comportamento semelhante neste ano, com pouca flutuação na demanda”, relatou o diretor presidente da empresa, Jan Felix Krueder. Apesar disso, a distribuidora investiu para ampliar sua área de armazenagem para 27 mil m² e a tancagem para 2,8 mil m³, além de implantar um laboratório de aplicação em poliuretanos e uma nova ferramenta de software (WMS) para melhorar a eficiência de gestão de estoques em todas as suas unidades.

    As variações cambiais dos últimos meses causam alguma apreensão. “Em um primeiro momento, sempre há um impacto com relação aos itens importados em relação aos concorrentes locais; em uma segunda fase, o mercado se ajusta, pois diversos insumos usados pelos fabricantes locais são dolarizados e toda a cadeia produtiva é obrigada a promover reajustes dos preços em reais”, comentou Krueder. Para ele, essas altas da moeda estrangeira acabam se refletindo nos custos finais dos clientes, reduzindo sua competitividade e aumentando a inflação. O mix de vendas da Anastácio é formado por 16,4% de especialidades e 83,6% de commodities, com uma participação de 75% de importados.

    Estruturas bem adaptadas – A D’Altomare ergue em Itupeva-SP sua nova unidade de armazenamento, fracionamento e, posteriormente, de produção de blends de especialidades, mediante investimento de quase R$ 10 milhões, com financiamento do BNDES. “Não vamos fechar a matriz, no bairro de Santo Amaro, mas levaremos para lá os estoques que hoje armazenamos em instalações de terceiros”, informou Machado. Esses prestadores de serviços abrigam atualmente cerca de 70% do inventário da distribuidora, que iniciará as operações em Itupeva entre outubro e novembro deste ano.

    A D’Altomare também investiu em um laboratório ampliado em Itupeva, bem como em um sistema de gestão empresarial e de relacionamento com clientes (ERP/CRM), fornecido pela Microsoft. A distribuidora possui três divisões de negócios, sendo a maior delas voltada para life sciences, responsável por quase 60% das vendas. Os 40% restantes são obtidos com produtos industriais e formulações para eletrônicos, incluindo pastas selantes, adesivas e lubrificantes especiais. “Nessa divisão, não vendemos equipamentos, mas soluções que compreendam a aplicação desses produtos, envolvendo, muitas vezes, ajustes das máquinas dos clientes”, explicou Machado.

    A área de químicos industriais também prepara formulações novas ou desenvolve ajustes de formulações completas para clientes, sempre oferecendo opções viáveis. “A formulação precisa envolver especialidades e deve facilitar a vida do cliente, não ajuda nada ter de recorrer a vários fornecedores diferentes”, considerou. A D’Altomare muitas vezes não fornece todos os itens aplicados nas formulações, alguns deles commodities. Neste caso, a empresa recomenda ao cliente buscar fontes de suprimento entre os distribuidores atuantes no mercado.

    Além da sede, a D’Altomare possui uma filial com depósito em Jundiaí-SP e outra em Manaus-AM, esta especializada em produtos para o polo eletrônico local. “Poderemos, no futuro, ter uma filial com estrutura logística também na Região Nordeste, onde já atuamos com uma equipe de vendedores”, informou Machado, justificando a medida pela tendência de aumento de negócios regionais. O trabalho dos vendedores é reforçado pela equipe técnica, que viaja regularmente pelo país para dar suporte. Os estados do Sul são atendidos por equipes de vendas próprias.



    Recomendamos também:








    0 Comentários


    Seja o primeiro a comentar!


    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *