Comércio e Distribuição de Produtos Químicos e Especialidades

Arinos Química – Comércio de Produtos Químicos – Confiar no Brasil estimula a investir US$ 5 milhões

Quimica e Derivados
11 de abril de 2002
    -(reset)+

    Durante dois anos e meio, a Arinos Química investiu US$ 5 milhões para reformar suas instalações em Osasco-SP, onde ocupa 12 mil dos 21 mil metros quadrados de área própria.

    Distribuidora de matérias-primas para o setor químico, a empresa ampliou a área administrativa, passando de 600 m² para 3 mil m², e também construiu mais 9 mil m² de armazéns. Novos tanques, de aço inox e aço carbono, agregam 1,3 mil m³ de espaço para granéis líquidos.

    O investimento atesta a boa expectativa da Arinos quanto ao desenvolvimento do mercado nacional, a despeito das dificuldades atuais da economia brasileira. O ano passado foi fundamental para a empresa consolidar posição nos mercados de alimentos, cosméticos, lubrificantes, poliuretano e tintas, admite o gerente de marketing, José Antonio da Costa. “A busca de um maior vínculo junto aos clientes e fornecedores contribuiu positivamente para isso”, observa.

    Hoje, a Arinos tem cerca de 200 itens em linha, fornecidos por diferentes parceiros. A empresa comercializa a linha de isocianatos e polióis da Dow; silicones, surfactantes e aditivos de performance para poliuretano da Crompton; e os catalisadores anímicos da Air Products. Da Dow Performance Chemicals, distribui os éteres, ésteres, poliglicóis, álcoois e surfactantes; da Sachtleben, dióxido de titânio e sais de bário; e da Columbian Chemical, negros-de-fumo.

    Finalizada a reforma, a nova área de armazenamento possibilita melhor disposição e armazenamento em contêineres dos produtos comercializados, que deverão ser ampliados. Para os recebidos a granel, os novos tanques têm maior capacidade de armazenagem e permitem melhor gestão sobre os estoques. Segundo Costa, todos os tanques são inertizados com nitrogênio. “Isso garante maior segurança e estabilidade das especificações do produto”. A capacidade de entamboramento, superior a mil tambores/dia, em turno de oito horas, permite o atendimento das necessidades da empresa e, ainda, prestar serviços a terceiros.

    Perspectivas – Depois de dois anos e meio de reforma, é hora de arregaçar as mangas e vender. Segundo o gerente de marketing, 2002 deve ser promissor. Na sua opinião, a Arinos está preparada para responder aos estímulos do mercado. “Neste ano teremos alguns fatores que poderão contribuir, ainda mais, para nossos resultados, como as eleições, a Copa do Mundo e o fim do racionamento de energia”. Pelos cálculos da empresa, em oito anos os US$ 5 milhões investidos já terão retornado ao caixa da empresa. Para tanto, foi montado um esquema agressivo de vendas, com sistema de informação automatizado, permitindo mais agilidade nas negociações.

    Na opinião de Costa, o mercado de produtos químicos funciona como um sistema de vasos comunicantes. “Nesse momento, atravessamos um período no qual os preços de alguns itens são ajustados, em função de uma nova realidade nos custos das matérias-primas básicas do setor, como a nafta e o gás natural”, explicou. Isso é decorrente da guerra no Oriente Médio e o conseqüente aumento do preço do petróleo.

    Com relação ao futuro Costa afirma que as atividades da empresa seguem os procedimentos da certificação ISO 9002. A Arinos deve continuar investindo na capacitação de seus colaboradores e, para isso, foi construído o que o diretor Mateos Raduan Dias chama de “universidade”. É um local totalmente equipado, com auditório, onde serão ministrados cursos, palestras e especializações para seus funcionários. Além disso, haverá desenvolvimento de novos produtos e investimentos em tecnologia da informação. A reforma, de acordo com Costa, permite à empresa atender às crescentes exigências de operação na distribuição de produtos químicos, atendendo os princípios estabelecidos pelo Programa de Distribuição Responsável (Prodir), da Associquim. Além disso, “será favorável aos clientes, pois eles poderão satisfazer suas necessidades comerciais em um mesmo local por um custo menor”, garante.



    Recomendamos também:








    Um Comentário


    1. Estamos interessados em adquirir Aditivo Químico Surfactante para uso em usinagem de mistura asfáltica Morna. Vocês produzem ou comercializam? Caso não prduzam ou comercializem, poderia nos informar onde encontrar?
      Grato

      Rubem Reis



    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *