Centrífugas: Automação e economia de energia abrem caminhos para novas aplicações

Como exemplo de possibilidade de desenvolvimento de centrífugas compactas, Gabriel observa que para uma planta offshore de 100 mil barris por dia, por exemplo, a Alfa Laval disponibiliza tecnologia centrífuga para aplicações de tratamento de óleo e água produzida que ocupam uma área de 48 m², contra aproximadamente 300 m² dos vasos separadores convencionalmente utilizados nesse processo. “Esse benefício se traduz também na representativa redução de peso: 40 toneladas da centrífuga, contra 700 toneladas dos vasos”, compara.

Química e Derivados, Alfa Laval: sistema em skid permite instalação rápida
Alfa Laval: sistema em skid permite instalação rápida

A automação, prossegue o profissional da Alfa Laval, também constitui vertente importante do atual processo de desenvolvimento da tecnologia de centrífugas: “Todos os nossos equipamentos saem da fábrica com interfaces de automação e com maior facilidade de instalação, no sistema plug & play”, relata.

Decantação otimizada – Além de centrífugas verticais de discos, GEA e Alfa Laval produzem no Brasil também as horizontais decantadoras, geralmente utilizadas em processos de separação de compostos com sólidos presentes em concentrações maiores – ou mais pesados –, ou quando se deseja maior taxa de desaguamento.

Comumente chamados de decanteres, esses equipamentos têm aplicações muito disseminadas, começando pelo tratamento de água e efluentes, e a partir daí abrangendo inúmeros processos de separação de líquidos e sólidos – em duas ou três fases –, dos mais diversos setores: mineração, papel e celulose, indústria química e petroquímica, açúcar e álcool, entre outros.

Química e Derivados,Estela: linha HS consome 20% menos energia, com baixo ruído
Estela: linha HS consome 20% menos energia, com baixo ruído

As decanteres seguem avançando tecnologicamente: na multinacional de origem italiana Pieralisi, suas versões mais recentes trazem a sigla HS (de High Speed), concebida para destacar equipamentos que, via modificações no sistema de transmissão de potência e na concepção estrutural, trazem características como consumo de energia reduzido, níveis também inferiores de vibração e ruído, menor necessidade de manutenção.

Apresentadas ao mercado nacional há apenas quatro meses, as decanteres HS, consomem 20% menos de energia que os modelos anteriores, como explica a engenheira Estela Testa, diretora-geral no Brasil e CEO na América Latina, da Pieralisi. “As primeiras máquinas dessa linha já estão chegando ao Brasil, onde serão usadas inicialmente na produção de sucos e em saneamento”, informa.

As mais recentes decanteres de sua empresa apresentam também itens como sistema de higienização CIP (tecnologia de limpeza automática que dispensa a interrupção do processo) e, nas versões de três fases, contam com um sistema de regulagem apto a permitir seu ajuste para separação de duas fases líquidas sem a tradicional necessidade de parada da máquina para a troca de anéis de regulagem.

Química e Derivados, Sistema com decanter e secador de lodo, da Pieralisi
Sistema com decanter e secador de lodo, da Pieralisi

A Pieralisi mantém uma fábrica e, Louveira-SP, disponibilizando ao mercado nacional, além das decanteres, centrífugas automáticas verticais de discos, utilizadas mais intensamente em processos como clarificação de vinho, padronização do leite e produção do biodiesel entre outros. “E as nossas centrífugas de bicos ejetores são usadas em aplicações como recuperação do fermento no processo de produção de etanol, produção de amido e fermento de panificação”, complementa Estela, referindo-se a um gênero específico de centrífugas de discos.

Já as centrífugas de discos da Andritz têm como principais mercados a indústria alimentícia (especialmente no segmento dos laticínios). Essa mesma empresa fabrica também decanteres, presentes em sistemas de tratamento de água e efluentes, tanto públicos quanto industriais, mineração e em atividades petroquímicas, como produção de PVC e PEAD. “Temos também centrífugas dos tipos peeler e pusher, que constituem um nicho específico, representado por inúmeras aplicações no setor de química fina”, destaca Miguel Brito, gerente comercial da Andritz, referindo-se a dois gêneros componentes do grupos das chamadas centrífugas de cesto.

Página anterior 1 2 3 4Próxima página
Mostrar mais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios