Universidades, Faculdades, Ensino, Cursos e Pesquisa

Capacitar os profissionais às necessidades do mercado – Abiquim

Quimica e Derivados
22 de agosto de 2019
    -(reset)+

    Química e Derivados - Indústria química cria alternativas para capacitar os profissionais às necessidades do mercado

    Indústria química cria alternativas para capacitar os profissionais às necessidades do mercado

    Química e Derivados - Alunos da primeira turma do curso de Aperfeiçoamento Profissional: Colas, Adesivos e Selantes com membros da comissão

    Alunos da primeira turma do curso de Aperfeiçoamento Profissional: Colas, Adesivos e Selantes com membros da comissão

    Inovações tecnológicas e complexidade do setor tornam necessárias ações para desenvolver mão de obra especializada

    O setor produtivo tem encontrado dificuldades em recrutar colaboradores qualificados para atuar em áreas que exigem conhecimento técnico, o qual avança a cada dia devido às tecnologias advindas da Indústria 4.0, com características e habilidades como liderança, trabalho em grupo, planejamento, gestão estratégica e aprendizado de forma autônoma, competências conhecidas como soft skills. Portanto, cresce a demanda por uma formação técnica sólida, combinada com uma formação mais humanística e empreendedora.

    As novas necessidades da indústria já fizeram com que o setor industrial recomendasse que fossem feitas mudanças nas Diretrizes Curriculares Nacionais (DCN) do Curso de Graduação em Engenharia, o que ocorreu em abril deste ano, quando o Ministério da Educação homologou as novas DCN do curso, contemplando sugestões da Confederação Nacional da Indústria (CNI) e da Associação Brasileira de Educação em Engenharia (Abenge). Essas novas diretrizes propõem um ensino conectado com as transformações que tecnologias como a inteligência artificial e a internet das coisas promovem na indústria.

    Química e Derivados - Lahoz Maia: cursos de capacitação estão mudando

    Lahoz Maia: cursos de capacitação estão mudando

    Entre as propostas aprovadas pelo Conselho Nacional de Educação (CNE) está a formação por competências, com foco no desenvolvimento do aluno e na educação mais prática e próxima do ambiente profissional, por meio do ensino baseado em projetos e na adoção de tecnologias digitais em sala de aula. Além disso, as novas diretrizes estimulam a interação entre centros de ensino e organizações externas incluindo o desenvolvimento de atividades e projetos de interesse comum. O texto ainda contempla o detalhamento do projeto pedagógico pelas instituições de ensino, listando as ações previstas para o alcance das competências.

    Também foi definida a criação de programas de acolhimento que deem suporte a estudantes que, eventualmente, estejam em defasagem pedagógica, com o objetivo de diminuir a evasão, que é próxima de 50% no Brasil. Do lado do professor, foi aceita a sugestão de valorização do trabalho docente e de atividades de capacitação.

    Antes da mudança na diretriz curricular do Curso de Graduação em Engenharia, a indústria química, que contempla diversas especialidades produtivas no Brasil, já discutia a necessidade de especializar os colaboradores que ingressam no setor. Há seis anos a Comissão Setorial de Colas, Adesivos e Selantes da Abiquim iniciou o desenvolvimento do curso de Aperfeiçoamento Profissional: Colas, Adesivos e Selantes.

    Segundo o então coordenador da comissão, Murilo Brotherhood, que à época atuou no desenvolvimento do curso, é papel da comissão entender as principais necessidades do segmento e debater de que forma é possível contribuir para atender essas necessidades, e o curso em questão foi desenvolvido para cobrir uma lacuna de formação profissional sem precedentes no segmento.

    “Foram aproximadamente seis anos entre entendimento das necessidades inerentes ao setor, bem como da melhor formatação do conteúdo pragmático e escolha do parceiro educacional (Senai). Tudo isso visando entregar o melhor para os profissionais interessados no aprimoramento de seus conhecimentos no segmento de colas, adesivos e selantes. Nós, da Comissão, estamos muito orgulhosos de poder entregar a primeira turma de formandos em nosso curso, com a certeza de estarmos contribuindo de forma muito positiva não só na capacitação destes profissionais, mas também na geração de valor para as empresas em que os mesmos trabalham”, afirma Brotherhood.

    O atual coordenador da Comissão Setorial de Colas, Adesivos e Selantes da Abiquim e diretor de Marketing e Estratégia para América Latina da Henkel, William Yuen, enaltece o trabalho dos membros da comissão; do antigo coordenador Murilo Brotherhood; da coordenadora-executiva, Carolina Ponce de León, além dos colaboradores das empresas que fazem parte da comissão e do Senai, no desenvolvimento do curso. “Com o trabalho deles conseguimos realizar um projeto que nasceu na Comissão para atender uma necessidade do setor”.



    Recomendamos também:








    0 Comentários


    Seja o primeiro a comentar!


    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *