Caixa de Skinner: uma jornada pelo condicionamento operante

A Caixa de Skinner, também chamada de câmara de condicionamento operante, consiste em uma ferramenta fundamental para o estudo do comportamento e aprendizado animal, desenvolvido pelo renomado psicólogo behaviorista B.F. Skinner.

Burruhs Frederic Skinner é considerado um dos pioneiros do behaviorismo moderno. Nasceu em 1904, na cidade de Susquehanna (Pensilvânia, Estados Unidos),  e faleceu em 1990. A sua inovação revolucionou a compreensão de como os organismos aprendem e interagem com o ambiente que os cerca, influenciando diversas áreas do conhecimento.

Como é a caixa de Skinner

Trata-se de uma estrutura fechada, com paredes suaves e um piso de grade metálica. No seu interior, há diversos elementos que despertam a curiosidade do animal.

  • Alavanca: uma pequena barra que pode ser pressionada pela pata ou pelo bico do animal.
  • Comedouro: um recipiente que solta alimento ao ser ativado por um mecanismo específico.
  • Luz: uma lâmpada que pode ser ligada ou desligada.
  • Alto-falante: emite sons de diferentes intensidades e tons.

Caixa de Skinner

Como funciona o experimento:

Ele é baseado no princípio do condicionamento operante, ou seja, a caixa de skinner tem por objetivo ensinar ao animal a associação entre suas ações e as recompensas ou punições que estas acarretam.

  • Reforço Positivo:  oferecer uma recompensa com o objetivo pretendido. Por exemplo, se o animal pressionar a alavanca, receberá comida no comedouro. Como esse reforço positivo, aumenta a probabilidade do comportamento ser repetido.
  • Reforço Negativo: de outras forma, o reforço negativo consiste em retirar consequências negativas quando um comportamento desejado acontece. Por exemplo, quando o animal aciona a alavanca, ele pode desativar um som desagradável. Isso também aumenta a probabilidade de repetições de comportamentos.
  • Punição Positiva:  a experiência punitiva, diminui a probabilidade de repetição do comportamento.
  • Punição Negativa: também conhecida como punição por remoção, ocorre quando um resultado favorável é removido após a ocorrência de um comportamento.  Por exemplo, se o animal pressionar a alavanca, a comida pode ser retirada do comedouro, ocasionando uma experiência aversiva de privação. A punição negativa também diminui a probabilidade de repetição da ação.

Aplicações dos princípios da caixa de skinner

Os princípios foram aplicados muito além do laboratório, podendo ser observados em diversas áreas. Desta maneira, ele teve impacto no campo da psicologia, no treinamento de animais, educação e até no marketing.

  • Treinamento animal: animais são treinados para realizar tarefas específicas, como auxiliar pessoas com deficiência, proporcionando maior independência e qualidade de vida aos tutores; ou detectar substâncias ilícitas e explosivos; ou para corrigir comportamentos indesejados, o que é realizado no adestramento de animais.
  • Educação: moldagem do comportamento de crianças e adolescentes através de recompensas e consequências apropriadas, incentivando-os a se engajar nas atividades, alcançar seus objetivos, a participar e colaborar na sala de aula, desenvolver suas habilidades e muito mais.
  • Terapia: auxílio no tratamento de fobias, vícios e distúrbios comportamentais.
  • Marketing: moldagem do comportamento do consumidor através de estratégias de publicidade, promoção, programas de fidelidade, brindes e outras ações que tragam recompensas e experiências positivas.

Explore mais sobre a caixa de Skinner:

A caixa de Skinner – Condicionamento Operante – Abiquim

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.