Óleo e Gás – Maior polo produtor nacional mantém poder de atração

Química e Derivados, Brasil Offshore 2015: Maior polo produtor nacional de óleo e gás mantém poder de atração
SERVIÇO

8ª Brasil Offshore/ Feira e Conferência da Indústria de Petróleo e Gás
Data: 23 a 26 de junho de 2015
Local: Macaé Centro, Macaé (RJ)
Horário: terça a quinta-feira, das 14h às 21h; sexta-feira, das 14 às 19h
www.brasiloffshore.com

Números de 2013
51 mil visitantes
700 expositores (155 internacionais, de 38 países)

Rodada de negócios
R$ 196 milhões de expectativa de negócios
550 encontros
19 empresas âncoras
98 fornecedores do setor de petróleo e gás

Realizada a cada dois anos em Macaé, no Norte Fluminense, a 8ª Brasil Offshore – Feira e Conferência Internacional da Indústria de Petróleo e Gás abre suas portas no dia 20 de junho com a expectativa de tirar o setor da inércia. Afinal, trata-se do primeiro grande evento nacional do ano a reunir a cadeia produtiva offshore. E justamente na cidade que é o centro logístico da Bacia de Campos, maior produtora de hidrocarbonetos do país – responde por aproximadamente 70% do óleo e 30% do gás natural extraídos.

Uma parte crescente dessa produção vem do pré-sal dessa bacia, que hoje gera mais de 30% da produção total dessa nova fronteira, de acordo com dados de abril de 2015 da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP). Esse dado é fundamental para quem busca reforçar sua inserção nesse mercado, pois o evento se realiza no município que abriga praticamente toda a infraestrutura de apoio à produção offshore da Bacia de Campos, incluindo a cadeia de fornecedores de bens e serviços.

Por isso mesmo, o Instituto Brasileiro de Petróleo, Gás e Biocombustíveis (IBP) e a Society of Petroleum Engineers (SPE), e a organizadora Reed Exhibitions Alcantara Machado apostam no potencial desse encontro, principalmente para alivanhar parcerias, aferir as novidades e os ânimos do mercado.

A estatal não se manifestou sobre sua participação no encontro, que tem como principais patrocinadores empresas internacionais, como as francesas Technip e Tenaris, a norueguesa Aker e a norte-americana UL, do setor de segurança de produtos, e uma única brasileira, a MRM Global Logistics Solutions.

Rodada de Negócios – A presença da principal promotora da economia da região, representada pela Unidade Operacional da Bacia de Campos – Petrobras (UO-BC), é confirmada pela organização, que anuncia cerca de 700 expositores, entre empresas públicas e privadas, organizações setoriais e agências de fomento, brasileiras e estrangeiras.

França, Estados Unidos, Alemanha, Polônia, Noruega, Inglaterra e China são alguns dos países representados por empresas que buscam prospectar negócios no mercado offshore brasileiro, um dos mais efervescentes do mundo, devido à intensa atividade exploratória nas bacias de Campos, Santos, Espírito Santo e de Sergipe, onde foram encontradas grandes reservas.

Para os organizadores, a realização da feira em junho traz um bom posicionamento no calendário para as compras e vendas para o setor. Movimento que vai ser estimulado nas rodadas de negócios promovidas pela Organização Nacional da Indústria de Petróleo (Onip) em parceria com o Sebrae/RJ – Serviço Brasileiro de Apoio à Micro e Pequena Empresa.

O objetivo das mesas de negócios, que se realizarão nos dias 24 e 25 de junho, das 15h30 às 19h30, é promover uma aproximação entre interlocutores e incrementar negócios, uma vez que reúne as principais âncoras do setor e pequenos, médios e grandes fornecedores regionais e internacionais.

Entre as empresas-âncora confirmadas estão a BR Distribuidora, Delp, Expro, FMC, GE Óleo & Gas, Halliburton, Nuclep, Oil States, Petrobras UO-BC, Queiroz Galvão O&G, Shell, Schlumberger, Sotreq, Subsea7, Techint, Teekay, Transpetro, Wärtsila Brasil, entre outras. Na edição de 2013, foram realizados 550 encontros com a participação de 98 fornecedores, gerando negócios na ordem de R$ 500 milhões. A expectativa é que a iniciativa gere aproximadamente R$ 1 bilhão em negócios a concretizar até 2016.

Revitalização de campos – Com expectativa de superar os 50 mil visitantes, o evento serve como vitrine para as empresas que atuam nesse mercado aferirem as tendências e mostrarem suas soluções.  E o congresso realizado em paralelo por IBP e SPE promoverá o debate sobre novas tecnologias de exploração e produção, desafios em águas profundas, novos cenários offshore, qualificação e mercado de trabalho etc.

O tema deste ano é justamente a revitalização de campos maduros e as oportunidades existentes na Bacia de Campos, em produção desde os anos 1980. Embora haja uma produção crescente do pré-sal nessa bacia, um volume significativo de hidrocarbonetos vem de poços offshore que estão produzindo há mais de 10, 20 e até 30 anos.

Na programação dos três dias do congresso estão previstas sessões plenárias sobre engenharia de poços, desde a perfuração à completação, revitalização e otimização de unidadesde produção maduras (plataformas em operação há mutos anos) e sistemas submarinos.

1 2 3 4 5 6Próxima página

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios