Domissanitários (sabões, detergentes e limpeza)

Avanço tecnológico adiciona benefícios ambientais – Tensoativos

Hamilton Almeida
24 de abril de 2019
    -(reset)+

    Posicionamento – A Lubrizol se considera “bem posicionada” no ramo. Nos últimos anos fez investimentos importantes, como a unidade fabril no Rio de Janeiro e o centro de distribuição em Paulínia-SP, além de contar com fábricas de abastecimento globais de tensoativos.

    “A planta de Belford Roxo-RJ, inaugurada em 2015, com o intuito de ser uma planta multipropósito, foi e continua sendo um grande investimento a fim de atender as demandas citadas”, observa Manzano. Os principais produtos são os blends especiais customizados e itens diferenciados que atendem as tendências de comércio como sulfate-free e preservative-free, entre outras.

    A Novecare divulga que é uma das líderes deste segmento. “A política é não especificar a nossa parcela de participação. O importante, porém, é que os mercados já reconhecem a Solvay como uma companhia inovadora que oferece soluções eficientes para que a clientela possa estar à frente das tendências e apresentar aos consumidores finais produtos modernos e sustentáveis”, sublinha Fienga.

    Líder na produção de tensoativos e especialidades químicas nas Américas, a Oxiteno se posiciona como provedora de soluções, “comprometida em evoluir o mundo através da química”. Combinando expertise técnica, inovação, excelência operacional e intimidade no relacionamento com os clientes, entrega formulações e serviços customizados.

    Química e Derivados, Andrea: R$ 300 milhões para atualizar fábricas em 2019

    Andrea: R$ 300 milhões para atualizar fábricas em 2019

    Andrea comenta que, para alavancar a presença no continente americano, o maior mercado de tensoativos do mundo, a companhia inaugurou, recentemente, uma planta de alcoxilação em Pasadena, no Texas (EUA), com tecnologia de ponta, localização estratégica e capacidade produtiva de 170 mil toneladas/ano.

    “A nova fábrica, um centro de P&D, que conta com profissionais altamente qualificados e com expertise em tensoativos, escritório local e planta piloto, operam em conjunto para atender um mercado altamente exigente e competitivo, sendo ágil, flexível e voltada a soluções customizadas”, adiciona.

    Atuando desde 1986, a ATA “detém uma grande fatia do mercado de especialidades químicas e tensoativos especiais”. O gerente alega ser difícil dimensionar essa grandeza em números, devido à segmentação do negócio. A linha de produtos está assim dividida. Tintas e vernizes – dispersantes, antiespumantes, nivelantes, promotores de slip, etc. Espumas PU, com silicones, aminas e catalizadores. Polimerização em emulsão, com monômeros funcionais, emulsionantes e umectantes. Agroquímicos, com tensoativos simples e poliméricos, adjuvantes, etc. Plásticos e embalagens flexíveis contam com dispersantes, antiestáticos, antifogging e desmoldantes.

    A ATA Tensoativos investe cerca de 15% das suas receitas em pesquisa e desenvolvimento, informa Fejfar. Recentemente, lançou “uma linha ATASTAB de aditivos siliconados para fabricação de espumas flexíveis, promovendo excelente distribuição de densidade com mínima variação da parte inferior e superior do bloco, além de células finas e estrutura uniforme promovendo boa passagem de ar”. Outra novidade foi “a linha Surfata MR, que são agentes reológicos 100% uretânicos para tintas decorativas, que possuem diversas vantagens sobre os tradicionais”.

    Inovações – A Lubrizol prepara algumas surpresas. “Estamos avaliando projetos para produção local que serão concluídos nos próximos meses, e também investimentos em equipamentos que permitem maior flexibilidade quanto ao volume de produção para atender aos nichos que necessitam de especialidades”, anuncia Manzano. Ele não descarta, entretanto, que outras táticas possam ser definidas ao longo de 2019, “mediante necessidade e avaliação do mercado e segmento”.

    Com investimentos concentrados somente em pesquisa e desenvolvimento, “uma vez que o parque industrial foi recém expandido”, a Novecare está desenvolvendo produtos 100% de origem vegetal, mais suaves e menos irritantes. E também livres de sulfatos e conservantes.

    Fienga explica que a Solvay já possui em seu portfólio tensoativos que utilizam matérias-primas de origem 100% vegetal, que são alternativos aos de origem sintética, inclusive para os etoxilados sintéticos: “Muitos clientes já exigem que suas matérias-primas sejam livres de origem animal e, como tendência, destaco o elevado índice de vegetalização, cada vez mais solicitado”.

    De acordo com o executivo, os livres de sulfatos e de conservantes são produtos que possuem maior suavidade, com menor irritabilidade para a pele. Apesar de seu custo ser um pouco mais elevado, os consumidores finais enxergam valor nestes apelos e estão dispostos a pagar mais por isso. Esses tensoativos já são vendidos em toda a América Latina, porém alguns ainda são importados. “O centro de pesquisa e inovação em Paulínia investe recursos em novas aplicações, que substituirão as tecnologias atuais menos sustentáveis”, ressalta Fienga.



    Recomendamos também:








    0 Comentários


    Seja o primeiro a comentar!


    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *